Cidadeverde.com

Galeria levará 94 anos para ser concluída

Teresina amanheceu ontem, mais uma vez, com vários transtornos decorrentes da chuva da madrugada, que passou de 70 milímetros. Em vários pontos da cidade, houve interrupção do trânsito, afora outros problemas. Na entrada da capital, a BR-343 foi alagada e acabou sendo interditada por 5 horas.

Tudo isso ainda acontece porque a cidade é muito mal preparada para as chuvas. O seu sistema de drenagem é precário. Além disso, a população também não colabora, despejando todo tipo de lixo nas galerias pluviais, o que acaba obstruindo a passagem das águas da chuva.

De uns anos para cá, também, para agravar o problema, estão construindo muitas edificações no curso das águas, inclusive grandes condomínios de luxo.

Por sua vez, o poder público falha no cumprimento do dever de casa. Primeiro, quando autoriza a construção desses empreendimentos. Segundo, quando não avança na construção de obras de drenagem.

A galeria da zona Leste, por exemplo, resolveria os problemas mais graves de drenagem na região. Mas a obra está parada. Sua extensão é de 7 mil metros.

A obra começou, como muito foguetório, na administração do prefeito Elmano Férrer. Andou 72 metros em um ano. No mandato passado do prefeito Firmino Filho, andou mais 300 metros e parou de vez.

Nesse ritmo, se minha conta não estiver errada, essa galeria ficará pronta em 94 anos! E Teresina que se prepare para, até lá, conviver com rios e lagos nas ruas durante as chuvas.

 

 

Sem aulas

Os professores da rede estadual de ensino decidiram, ontem, não iniciar o período letivo de 2017 na segunda-feira, como está previsto no calendário escolar.

A categoria não aceitou o parcelamento do piso do magistério.

Nova greve

A exemplo do ano passado, o governo definiu o pagamento do piso do professor em duas vezes, sendo a primeira retroativa a janeiro (4%) e a segunda a ser implantada em julho (3,76%).

O magistério tem uma greve geral anunciada para março. 

Sem adesão

O ex-ministro João Henrique Sousa lotou o auditório ontem em Floriano, na terceira edição do evento “Piauí em Movimento”, da Fundação Ulysses Guimarães.

Ele disse que nem em Parnaíba nem em Piripiri e muito menos em Floriano ouviu qualquer liderança do PMDB defendendo a adesão do partido ao governo.

Belfort

O professor, matemático e médico Antônio Carlos Belfort de Carvalho morreu ontem, em Teresina, aos 66 anos, depois de lutar bravamente contra um câncer.

Belfort militou na política e foi candidato a deputado estadual nos anos 90. Era professor aposentado da Ufpi.

Ilha

Alagado e isolado pela segunda vez em dois anos, o governador Wellington Dias está prestes a ver mudado o nome de seu condomínio, Mirante do Lago.

O luxuoso residencial já vem sendo chamado de “Ilha do Governador”.

 

 

Em depoimento ao juiz Sérgio Moro, o ex-presidente FHC afirmou que presidente não sabe de tudo o que se passa no governo.

É verdade. E tem deles que não sabem é de nada. Pelo menos dizem que não sabem.

O deputado Mainha (PP), membro da Comissão de Reforma da Previdência da Câmara Federal, já formou juízo sobre a proposta do governo.

Para ele, o Planalto mandou um projeto robusto para que se tirem as gorduras durante as discussões e votações.

 

Mui amigo!

No churrasco de aniversário do jornalista Arimatéia Azevedo, com a presença de políticos, magistrados e profissionais de imprensa, o deputado Robert Rios andava de mesa em mesa. Não sentou em nenhuma delas. Quando se imaginava que ele estava tão-somente cumprimentando os presentes, o deputado explicou:

- Tô procurando uma mesa que só tenha amigo do aniversariante.