Cidadeverde.com

Adesão do PMDB ao governo não desanima ex-ministro

O PT não está só na sua convicção de que o PMDB não ficará com o governador Wellington Dias até o fim. Quem também acredita nessa hipótese é o ex-ministro João Henrique Sousa, vice-presidente regional do partido e presidente nacional do Sesi.

Por isso mesmo, ainda que o PMDB assuma agora cargos no governo estadual, como vem sendo noticiado, o ex-ministro garante que vai levar adiante o “Piauí em Movimento”, articulado por ele, através da Fundação Ulysses Guimarães, da qual é presidente no Piauí e secretário nacional.

O movimento tem o objetivo oficial de discutir o Piauí e as alternativas de desenvolvimento para o Estado. Na prática, porém, trata-se de um evento para propagar pelo interior a idéia de que o PMDB deve ter candidato próprio a governador nas próximas eleições. E, para João Henrique, não seria nada mal que esse candidato fosse ele.

O “Piauí em Movimento” já foi realizado em dois municípios, Piripiri, no Norte, e Floriano, no Sul do Estado. A próxima edição do evento será em Parnaíba, depois do carnaval. João Henrique disse que é crescente o interesse pelo evento no interior do Estado, o que, na sua avaliação, demonstra que a tese da candidatura própria tem viabilidade.

“O PMDB é um partido grande, um partido de embate e de combate, já testado nas urnas, e não pode viver indefinidamente na posição de se esconder do eleitor. Nós temos uma proposta viável para o Piauí e sentimos que há muito interesse dos piauienses em conhecê-la”, enfatiza o ex-ministro.

 

 

Oposição sem máscara

O deputado Robert Rios (PDT) lançou uma campanha com o objetivo, segundo ele, de desmascarar falsos oposicionistas na Assembleia Legislativa. Ele disse que vai denunciar o deputado que estiver recebendo benefícios do Governo e quiser se passar por oposição.

“Vou dizer o nome, os cargos e todas as vantagens que ele estiver recebendo”, avisou.

Pichador

O presidente da OAB-PI, Chico Lulas, aplaudiu a decisão do desembargador Edvaldo Moura mandando soltar o pichador conhecido como “Palestino”.

Para o advogado, houve abuso policial tanto na prisão quanto na exposição do jovem.

Cidades

A organização do Congresso das Cidades do Piauí confirmou a presença do consultor Ricardo Amorim no evento, que será realizado em Teresina de 13 a 15 de março.

Apresentador de televisão, consultor e colunista da Isto É, Ricardo Amorim é considerado o economista mais influente do Brasil na atualidade.

Assalto nos ônibus

O deputado Evaldo Gomes (PTC) pediu a atenção para o elevado número de assaltos que têm ocorrido nos transportes coletivos urbanos em Teresina.

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Themístocles Filho(PMDB), sugeriu que fosse formada uma comissão de deputados para uma audiência com o secretário de Segurança, Fábio Abreu, a fim de discutir o assunto.

Reforma trabalhista

O deputado federal Átila Lira está na comissão especial que analisará a reforma que o governo quer promover na legislação trabalhista. Ele foi indicado pelo PSB.

A comissão tem o papel de analisar e emitir um parecer sobre a reforma, com caráter terminativo, que não terá que passar pelo plenário.

 

Paternidade

Se não conseguiu os recursos federais para a continuidade da BR-222, no trecho que passa pelo Norte do Piauí, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Themístocles Filho (PMDB), avançou em sua luta.

O Governo Federal assumiu a paternidade do trecho. Entre Batalha e Esperantina, a estrada foi sinalizada recentemente pelo Dnit e já identificada como BR-222.

 

 

Apenas 10 dos 21 delegados de polícia convocados pela Segurança tomaram posse ontem. Os demais estão providenciando a documentação.

A reação do PT à decisão do governador de entregar mais cargos aos aliados e adesistas não vai tirar o sono de Wellington Dias.

Ele disse ontem que recebe com muito carinho a manifestação de seu partido sobre o assunto.

Mas Wellington lembrou que o PT elegeu apenas três dos 30 deputados estaduais e ele precisa de todos para governar.

 

Pela cara

O bilionário Lírio Parisotto foi ouvido ontem no Fórum Criminal da Barra Funda, na Zona Oeste de São Paulo, em nova audiência do caso no qual ele é julgado pela acusação de agredir a ex-mulher, a atriz Luiza Brunet. Quando o escândalo envolvendo o casal explodiu na mídia, em julho do ano passado, com a ex-modelo aparecendo com o rosto cheio de hematomas, comentou-se no cafezinho da Assembleia Legislativa:

- Se com a cara da Luiz Brunet esse empresário fez aquele estrago todo, imagine se ele se zangasse com o Assis Carvalho ou o Heráclito Fortes!