Cidadeverde.com

Uma greve que agradou a gregos e a troianos

Ainda ontem, ao final do dia, começaram os balanços sobre a greve-geral convocada pela CUT e sindicatos filiados, com o apoio da CNBB, OAB e outras instituições.  Os organizadores avaliaram que o movimento deu o seu recado: os trabalhadores são contra as reformas trabalhista e previdenciária. O governo, por sua vez, calculou que a greve foi um fracasso geral.

É compreensível que os dois lados não cheguem a um consenso, pois defendem pontos de vista diferentes e antagônicos. Os ânimos estão exaltados e a temperatura se manterá alta pelas próximas semanas, na votação da reforma trabalhista no Senado e no início da votação da reforma previdenciária.

No Piauí, nem a palavra do arcebispo de Teresina, Dom Jacinto Brito, contra as reformas, nem a decisão das escolas católicas de aderir à greve conseguiram encher as ruas. Quem mais contribuiu mesmo com o movimento foi o governador Wellington Dias, que liberou os servidores públicos do trabalho.

Outra significativa contribuição ao movimento partiu dos rodoviários, que paralisaram o transporte urbano da capital. Assim, os protestos de rua em Teresina foram realizados basicamente por sindicalistas e servidores públicos. A adesão dos trabalhadores das empresas privadas foi mínima. No entanto, os organizadores viram um mar de gente em todo lugar.

E este foi, sem dúvida, o melhor da greve geral de ontem: os dois lados em disputa e em confronto – oposição e governo – saíram plenamente satisfeitos do movimento. Uma greve que, portanto, agradou a gregos e a troianos.

Foto: Pablo Cavalcante

A senadora Regina Sousa nos estúdios da Rádio Cidade Verde

Fim da "Lei Áurea"

A senadora Regina Sousa (PT) considera que a reforma trabalhista é a revogação da “Lei Áurea”.

Ela disse isso ao deputado federal Átila Lira (PSB), que votou a favor da reforma, nos estúdios da TV Cidade Verde.

Para a senadora, as mudanças na CLT voltam a escravizar os trabalhadores.

Casamento

Quem se inscreveu para o casamento comunitário que será realizado no próximo dia 27 pelo Serviço Social da Indústria, Regional Piauí, foi o casal Michele e João Henrique Sousa, ele presidente do Conselho Nacional do Sesi.

As inscrições foram encerradas ontem e o casamento comunitário será celebrado no Parque da Cidadania.

O cartório Dora Martins é que está à frente da organização.

"Operação Real"

O Condomínio Fazenda Real Residence divulgou ontem, através de sua Administração Condominial, uma nota pública sobre a Operação Real, realizada na quarta-feira pela Eletrobrás Piauí, em parceria com a Greco, para investigar furto de energia elétrica.

Na nota, o condomínio “rechaça a maneira abusiva e “pirotécnica” de como a denominada “Operação Real” ou “Caiu na Real” foi realizada”.

Invasão

O condomínio observa que não há inquérito anterior instaurado que justifique a ação, decorrente de uma notícia crime da Eletrobrás – PI.

“O fato é que a polícia adentrou ao Condomínio Fazenda Real sem mandado judicial, o que nos faz questionar qual a fundamentação jurídica para a Greco estar lá”, acentua a nota.

Denúncias

“Sabe-se que o auxílio policial poderia ser solicitado em caso de eventual resistência ou agressão aos funcionários da Eletrobrás-PI, o que não ocorreu”, prossegue a nota.

O condomínio informa também que “em razão dos péssimos serviços (da Eletrobras, vários condôminos e a própria Administração do Condomínio oficializaram denúncias junto a Aneel ou propuserem ações judiciais ou reclamações no Procon, inclusive com registro de Boletins de Ocorrências registrados na Polícia Civil, por causa de danos morais e materiais aos condôminos.”

Retaliação

Na avaliação do condomínio, “certamente, o número de reclamações dos condôminos deve ter reunido um considerável volume de material contra a Eletrobras-PI, que curiosamente iniciou a “Operação Real” ou “Caiu na Real” exatamente pelas residências cujos proprietários formalizaram as suas reclamações ou ações judiciais.”

"Cheiro do queijo"

A nota também questiona o porquê da condução de moradores até a Greco, sendo que os mesmos tinham em mãos os protocolos de solicitação de instalação ou substituição de medidores de energia elétrica.

“A Eletrobras-PI sabia, portanto, quais moradores necessitavam do equipamento e no lugar de instalar os medidores levou a polícia para conduzi-los no que consideramos um “flagrante preparado”.

Sem show

O condomínio informa que está adotando todas as medidas cabíveis aos atos que classificaram como retaliação, abuso de autoridade, invasão de privacidade e danos morais.

Por fim, a nota informa que a Eletrobras esteve no 27 de abril de 2017 realizando normalmente, e como deve ser, o seu trabalho no Condomínio Fazenda Real “sem nenhum alarde ou show.”

*Uma coisa é certa: pouca gente conhece de fato a reforma trabalhista. E menos ainda a reforma previdenciária. Os temas são complexos.

*Único voto da bancada piauiense contra a reforma trabalhista na Câmara, o deputado Assis Carvalho (PT) já está sendo chamado entre os companheiros de “O Cara”.

*Não sei com que objetivo, mas ontem por volta das 7h, um comboio do Exército atravessava a Ponte JK, em direção à Avenida Frei Serafim.

*Eram entre 6 a 8 caminhões. Quem viu os carros entrar na cidade pouco antes da deflagração da greve geral certamente que fez especulações.

Sobriedade na greve

Piada que corria ontem em grupos de WattsApp, a propósito da greve geral:

- Aviso! Sindicato dos Cachaceiros informa: não iremos parar neste dia 28.

Um dos membros respondeu:

- Vê-se que tem alguém sóbrio neste país.