Cidadeverde.com

As veias abertas da corrupção

A Operação Lava-Jato muito já desvelou da corrupção existente no Brasil em seus três anos de atuação. Quase que diariamente uma nova revelação estarrece o país. Há poucos dias, o patriarca do Grupo Odebrecht, Emílio Odebrecht, jogou os órgãos de controle, os Poderes e a imprensa contra a parede.

Em delação premiada na Lava-Jato, o empresário se declarou incomodado com a imprensa e os "Poderes" por uma suposta omissão a respeito do saque de dinheiro público que, segundo ele, vigora há décadas no país. “O que nós temos no Brasil não é um negócio de cinco anos, dez anos atrás. Nós estamos falando de 30 anos atrás".

A Odebrecht decidiu fazer acordo de delação premiada depois que seu presidente, Marcelo Odebrecht, filho de Emílio, foi condenado a 19 anos de prisão pela Lava Jato, em março do ano passado. Naquela época, Marcelo já amargava quase um ano na cadeia. Até então, a companhia insistia em negar a prática de quaisquer irregularidades.

Chamado a depor na Lava-Jato, Odebrecht-pai declarou que as cenas explícitas de corrupção narradas pelos delatores em dezembro e publicadas depois pela imprensa não deveriam causar surpresa. "O que me surpreende é quando eu vejo todos esses poderes, a imprensa, tudo realmente como se isso fosse uma surpresa", criticou.

Outras revelações foram feitas por muitos outros que viveram por dentro o submundo das relações promíscuas do poder com as empresas. Agora é o publicitário João Santana, marqueteiro das campanhas presidenciais de Lula (segundo mandato) e Dilma (dois mandatos), que revela ao Tribunal Superior Eleitoral a existência de "verdadeiros leilões" financeiros nas negociações de coligação de campanhas, em troca do tempo de TV para os candidatos.

O marqueteiro João Santana explicou o que seria o leilão das campanhas eleitorais: “Quando falo leilão é financeiro, só que como a moeda na política não é só financeira, essa é mais problemática, mas também são os cargos, é um conjunto de interesses.”

Quem assiste a todo este deprimente espetáculo se desaponta, se indigna e, certamente, imagina que isso é coisa do passado, que as alianças políticas e partidárias deixaram de existir como negócios escusos e que elas agora passaram a ser feitas com o único e exclusivo objetivo de defender os interesses do povo!

 

Numa fria

Quem está fora da lista maldita da Lava-Jato ainda não pode respirar aliviado. Pelo menos 57 políticos que não entraram nas investigações podem ter recebido, por via indireta, recursos do esquema de caixa 2 da Odebrecht.

O dinheiro, que soma cerca de R$ 5 milhões, foi distribuído como doação de campanha, entre 2010 e 2014, por empresas ligadas à cervejaria Itaipava, apontada em delações como parceira da empreiteira na entrega de propina a agentes públicos.

Delação

No total, a Itaipava fez doações oficiais a 81 candidatos entre 2010 e 2014. Destes, 24 já são alvo da operação. Os demais receberam doações registradas na Justiça Eleitoral e, ao menos por enquanto, não foram citados nominalmente nos acordos de delação premiada firmados por executivos e ex-executivos da Odebrecht.

Fachada

Entre os 57 beneficiários da Itaipava que não são alvo de inquérito estão candidatos a quase todos os cargos eletivos: governador, senador, deputado federal, deputado estadual, prefeito e vereador.

A Lava-Jato apurou que há indícios de que todas as doações da Itaipava foram, na verdade, repasses da Odebrecht.

 

Foto: Divulgação/CCom

Governador reunido com a equipe da Secretaria de Saúde. Em pauta, a prevenção ao suicídio

Suicídio

O secretário Francisco Costa apresentou ontem ao governador Wellington Dias o Plano Estadual de Prevenção ao Suicídio, que inclui desde a organização das redes de atenção, com qualificação de profissionais, instituição de um fórum institucional e permanente para estudos e implentações de ações, além de uma central de cuidados às pessoas com transtorno mental.

O governador inseriu a proposta para assistência psicossocial 24 horas nas cinco macrorregiões: Bom Jesus, Floriano, Picos, Teresina e Parnaíba.

Sem luz

Falta energia com frequência na Estrada da Cacimba Velha. No Dia do Trabalho, o fornecimento foi interrompido cinco vezes.

Os pequenos comerciantes amargam prejuízos. As carnes apodrecem nos freezers.

Até o fim

Na última caravana “Piauí em Movimento”, realizada em Oeiras, o vice-presidente regional do PMDB e presidente nacional do Serviço Social da Indústria (Sesi), ex-ministro João Henrique Sousa, garantiu, que vai até a convenção partidária para defender a candidatura própria do partido ao Governo do Estado nas eleições do ano que vem.

Partido-bomba

Ele também criticou o Governo Wellington Dias e reafirmou que o PT esgotou seu modelo de gestão.

“O PT destruiu o país com uma gestão ineficiente e irresponsável!”, afirmou. 

Foto: Divulgação

João Henrique leva caravana do PMDB a Oeiras

*A decisão do STF de mandar soltar o ex-ministro José Dirceu foi vista também como um ensaio para tirar o ex-ministro Antônio Palocci da cadeia.

*José Dirceu conseguiu sua liberdade no mesmo dia em que a Lava-Jato fez uma nova denúncia contra ele.

*Na nova denúncia, o ex-ministro teria recebido dinheiro desviado da Petrobras antes, durante e depois de ser condenado no mensalão.

*O Supremo deu de ombros para a nova denúncia, interpretada como pressão da Lava-Jato aos seus ministros.

Advogado do diabo

Do humorista Fraga:

- Bons advogados sempre livram seus clientes da cadeia. Já os melhores, os libertam até do sentimento de culpa no cartório.