Cidadeverde.com

Crise agita julgamento da chapa Dilma-Temer

O Brasil acompanha desde terça-feira, com vivo interesse, o julgamento do processo que pede a cassação da chapa Dilma-Temer, vitoriosa na eleição presidencial de 2014.

O interesse maior pelo caso dá-se em função do momento vivido pelo país, afundado em grave crise política. Por isso mesmo, esse julgamento é feito debaixo de uma tempestade de fatos alheios ao processo, mas que de certa forma lhe dão substância.

Não seria descabido afirmar-se, ainda, que sem esse julgamento no Tribunal Superior Eleitoral, essa enxurrada de fatos também não estaria sendo vista com tanta intensidade.

Esse mesmo processo já foi julgado, lá atrás, sem tanta pressão, e a relatora, ministra Maria Thereza de Assis Moura, decidiu pelo seu arquivamento.

A ação ressuscitou depois, através do ministro Gilmar Mendes, que pediu a sua reabertura para atingir a então presidente Dilma Rousseff. Agora o mesmo ministro procura sepultá-la para beneficiar o presidente Michel Temer.

Ou seja, tudo faz parte do jogo do poder, que nem sempre é limpo. Sempre foi assim. E sempre será, enquanto o país não fizer suas escolhas com mais critério político.

Calote

Em São João do Piauí, foi dado um calote geral na praça. As empresas que trabalharam na instalação de dois parques de energia solar estão devendo muito em postos de combustíveis, lojas de material de construção, gráfica, transporte, restaurante, aluguel de imóveis e lojas de móveis.

Uma das empresas já foi embora da cidade sem pagar suas contas.

Os credores estão no desespero.

Propaganda

O Governo do Estado lançou, há poucos dias, uma grande campanha publicitária para mostrar os investimentos feitos pela iniciativa privada na área de energia no município de São João do Piauí e o impacto desses empreendimentos na economia da região.

Certamente não estava sabendo desses calotes no comércio local.

Foto: Divulgação/CCom

O ex-deputado Warton Santos e o filho Pablo em audiência com o governador

Meu garoto!

Quem voltou ao Palácio de Karnak foi o ex-deputado Warton Santos, secretário dos governos Wilson Martins e Zé Filho. Ele acompanhava o filho, deputado Pablo Santos (PMDB), em seu primeiro despacho com o governador Wellington Dias, como presidente da recém-criada Fundação Hospitalar do Piauí.

TRE digital

Todas as zonas eleitorais do Piauí passarão a utilizar o processo eletrônico até 2019, deixando de lado os arquivos impressos.

O sistema passa a ser obrigatório para os servidores do Tribunal Regional Eleitoral já na próxima segunda-feira. 

O juiz eleitoral Agrimar Araújo disse que são três os benefícios diretos da mudança. "São três ganhos, pelo menos iniciais, que o processo judicial eletrônico traz: a economia, celeridade e transparência".

Foto: Divulgação

O PPS também põe o pé na estrada no Piauí

Pé na estrada

Além do PMDB do ex-ministro João Henrique e do PSB do ex-governador Wilson Martins, o PPS do Piauí também marcha para o interior.

O partido abriu em Piripiri o projeto “PPS pé na Estrada/2016”, com o tema: uma nova Agenda para o Piauí.

O evento foi prestigiado por diversas lideranças políticas da região, em sua maioria vereadores.

Os próximos eventos do PPS serão em Picos, Floriano, Bom Jesus e Teresina.

Deu que chiou

O líder da oposição, deputado Robert Rios (PDT), e o deputado Gustavo Neiva (PSB) fizeram a dobradinha perfeita. Com Robert na tribuna e Gustavo presidindo a sessão, foi caco de Governo para todo lado.

Em um discurso só, o orador deu conta de malhar a segurança, educação, saúde e várias outras áreas.

Não fez economia de tempo. Só de elogios.

 

Foto: Divulgação

Agora vai? - A obra de recuperação e ampliação do Centro de Convenções de Teresina recebeu mais tapumes. Será que agora vai?

 

* A campanha de vacinação contra a gripe, já prorrogada, será encerrada hoje.

* O PT não quer assinar o projeto que visa retirar por completo o sigilo das operações do BNDES.

* O ex-ministro Joaquim Barbosa anda se insinuando como presidenciável ao velho estilo manjado dos políticos que negam o que de fato querem.

* Ele renunciou à presidência do STF e ao cargo de ministro alegando motivos de saúde. E para ser presidente da República não é preciso ter saúde, não?

Curto-circuito

O líder da oposição na Assembleia Legislativa, deputado Robert Rios (PDT), não acredita que vá longe a aliança do PT com o PP no Piauí. E explicou:

- Aqui o PP não pode se aproximar do PT que leva uma vaia.