Cidadeverde.com

FHC propõe renúncia como saída para a crise

Foto: PSDB/MG

FHC dá uma nova guinada

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso voltou à cena política, no final de semana, com uma guinada espetacular. Há menos de um mês, FHC, na contramão da pregação do PT, dizia que antecipar as eleições presidenciais seria um golpe.

Mas ele mudou de ideia. E apenas três dias depois de o seu partido renovar a aliança com o governo, após a absolvição da chapa Dilma-Temer no TSE. O ex-presidente apareceu agora com a proposta de eleição direta já para presidente.

Como se sabe, o PMDB e o PSDB são as principais bases de sustentação do atual presidente, que há mês balança, mas não cai. Sem o apoio dos tucanos, Michel Temer lá teria descido a rampa do Planalto.

Espírito público

FHC cobra agora espírito público e grandeza para o país vencer a crise. Ele cobra espírito público dos outros, naturalmente, pois, em relação ao presidente licenciado de seu partido, o senador afastado Aécio Neves, delatado pelo dono da Friboi, ele não dá uma palavra.

É o velho Fernando Henrique Cardoso em seu melhor estilo e em sua melhor forma. Ele passou os oito anos de seu mandato no Palácio do Planalto com o PT gritando em sua porta: “Fora, FHC!”, “Fora, FHC!”, “Fora, FHC!”...

Mesmo com uma crise atrás da outra, o tucano só saiu do Planalto, entretanto, depois de bancar a emenda da reeleição e cumprir integralmente seus dois mandatos.

Agora o ex-presidente passa a defender a renúncia já de Michel Temer, por conta da crise política que abalou não apenas o governo, mas igualmente o presidente do partido do qual FHC é presidente de honra.

Na política, porém, tem disso: sempre aparece um artista querendo dar uma de Tiradentes, o herói da pátria. Mas com o pescoço dos outros!