Cidadeverde.com

FMS e São Marcos buscam solução para atendimento a pacientes do Sus

A Fundação Municipal de Saúde e o Hospital São Marcos abriram negociações ontem em torno da decisão que restringe o atendimento, através do Sus, a pacientes portadores de câncer. A medida foi confirmada em nota divulgada pelo hospital.

Como o São Marcos é um hospital filantrópico, a lei o obriga a disponibilizar 60% da oferta para pacientes do Sus. O hospital está hoje com 90% e alega que não pode manter esse patamar, pois vem acumulando prejuízos que ameaçam a sua sobrevivência.

Com a mudança, o HSM se dispõe a dar treinamento para equipes hospitalares da rede municipal, a fim de capacitá-las a acompanhar pacientes cancerosos.

A nota informa que o hospital mantém o tratamento oncológico de alta complexidade, suspendendo o atendimento dos casos de intercorrências de baixa e média complexidade. Estes passariam a ser feitos pelos hospitais do município.

São consideradas intercorrências clínicas oncológicas todas as reações provenientes dos tratamentos de câncer, como febres, pneumonias e dores abdominais.  Elas ocorrem muitas vezes por conta das quimioterapias e radioterapias, que provocam, entre outros efeitos colaterais, a queda da imunidade.

O Hospital São Marcos informou que 40% de sua capacidade instalada eram ocupados por pacientes de baixa e média complexidade, que podem se atendidos por unidades de saúde de retaguarda, de modo satisfatório em casos de mal-estar, vômitos, diarreias, dores no corpo e sangramentos.

A Fundação Municipal de Saúde não se posicionou publicamente sobre a decisão do HSM, o que deve fazer após a conclusão das conversações com a sua direção.

Defasagem do Sus

Uma comissão de deputados estaduais esteve ontem no Hospital São Marcos, conversando com sua direção sobre a suspensão dos atendimentos de urgência a pacientes com câncer pelo SUS (Sistema Único de Saúde). O líder do Governo, João de Deus (PT), informou que vários hospitais filantrópicos existentes no país foram fechados por causa da defasagem dos valores pagos pelos SUS.

Presentes, os deputados João de Deus (PT), Aluísio Martins (PT), Belé Medeiros (PP) e Firmino Paulo (PSDB), que é o presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa. Eles foram informados que o HSM tem 330 leitos e 1.800 funcionários, que realizam 14.300 atendimentos e 16.200 exames a cada mês.

Dos atendimentos realizados pelo São Marcos, 89% são de pacientes do SUS, cuja tabela foi reajustada em 1996.

O hospital argumenta que há um déficit provocado pelo atendimento de pacientes do SUS, que correspondem a 37% de seu faturamento. Por um procedimento que custa R$ 26 mil, o São Marcos recebe R$ 1.200 do SUS. Segundo o hospital, isso gera um déficit de R$1,3 milhão por ano.

Divulgação/Alepi

Deputados com a direção do Hospital São Marcos


Temer perde ação

O presidente Michel Temer perdeu na primeira instância, em Brasília, a ação contra o empresário Joesley Batista, dono da Friboi, por injúria, calúnia e difamação.

Em entrevista à revista Época, o empresário apontou o presidente como chefe da quadrilha mais perigosa do Brasil.

Argumento

Conforme o juiz, o empresário apenas repetiu o que disse em sua delação premiada ao Ministério Público Federal.

Em função disso, negou o pedido do presidente para processar Joesley.

Delação

O magistrado decidiu acertadamente. As denúncias de Joesley na delação ainda não foram validadas, mas também não foram refutadas. E estão sendo investigadas. Portanto, tanto podem ser infundadas quanto verdadeiras.

The flash

O que não havia era a necessidade de o presidente mover um processo tão depressa contra o seu delator. Nem que o juiz se apressasse tanto em julgar o caso.

A ação foi impetrada na segunda-feira.

Elas voltaram

As andorinhas azuis voltaram. Elas vêm do Canadá. Voaram 13 mil quilômetros para passar a lua de mel em Teresina, no bairro Ilhotas.

Todos os anos a cena se repete, por esta época: elas povoam os prédios, bebem a água do Poti e se acasalam por aqui.

Foto: Luiz Ayrton Santos

As andorinhas voltaram

Reforma

A oposição faz muita festa em cima da derrota da proposta de reforma trabalhista na Comissão de Assuntos Sociais (CAS). A matéria foi rejeitada por 10 a 9. O resultado não muda a tramitação do projeto.

A proposta já passou na Comissão de Economia e tem amplas chances de ser aprovada na Comissão de Constituição e Justiça, onde está sendo discutida.

O que vale mesmo, no entanto, é a votação do plenário.

Puxão de orelha

O Tribunal de Contas do Estado deu um puxão de orelha na Prefeitura de Teresina.

O TCE alertou que a Prefeitura já ultrapassou o limite prudencial de gastos com a folha de pessoal.

O mesmo alerta foi feito para 114 municípios piauienses.

Foto: Reprodução

Ofício do TCE a Firmino Filho e a mais 113 prefeitos

*O Governo do Estado decretou situação de emergência no Complexo Turístico Porto das Barcas, em Parnaíba.

*E anuncia uma intervenção no espaço, através da Secretaria de Cultura. Com a emergência, não precisa fazer licitação.

* Deputados desconfiam que estão sendo monitorados pelo “guardião”, instalado para investigar bandidos.

* Na política tumultuada de hoje, é prudente não comemorar a prisão do adversário. Ninguém sabe o dia de amanhã.

Loroteiro

Das redes sociais:

- “A entrevista de Joesley Batista tem muito de conversa para Friboi dormir.”