Cidadeverde.com

PP faz o dever de casa no Piauí

Foto: Divulgação

Assinatura do contrato do novo empréstimo na Caixa, em Brasília

A assinatura do contrato para um novo empréstimo do Governo do Piauí com a Caixa Econômica Federal, no valor de R$ 600 milhões, mostra que o PP está fazendo o dever de casa na sua relação com o PT. Isto é, o partido faz por onde manter a aliança com os petistas para as eleições de 2018.

O empréstimo saiu a partir de articulações do senador Ciro Nogueira junto ao governo Michel Temer. Isso mesmo depois de o presidente nacional do partido e a deputada federal Iracema Portella serem hostilizados desnecessariamente por petistas no Piauí. O PP preferiu responder com flores às pedradas que recebeu.

Não custa lembrar que o comando da Caixa está entregue ao PP do senador. Ou alguém acha que esse empréstimo saiu foi através da influência política da senadora Regina Sousa e do deputado federal Assis Carvalho, os pontas de lança do governador Wellignton Dias em Brasília?

Foi não. Estes não compareceram sequer ao ato de assinatura do contrato do empréstimo. Talvez nem tenham sido convidados.

O governador vinha sonhando noite e dia com esse novo empréstimo, pois a situação financeira do Piauí, como se sabe, é delicada. O dinheiro do Estado dá mal para cobrir as despesas com a folha de pessoal. Pouco ou nada sobra para investimentos.

Segundo o contrato celebrado ontem com a Caixa, os R$ 600 milhões disponibilizados para o Governo do Piauí devem ser aplicados em obras de infraestrutura, mobilidade urbana e saneamento.

O governo do estado já começaria bem se divulgasse o plano de aplicação desses recursos. Ou seja, em que obras especificamente eles serão aplicados. E não apenas o PP, que lutou pela liberação do empréstimo, mas todo o Piauí, ficaria sabendo que valeu a pena o estado avançar ainda mais em seu endividamento.

Foto: Pablo Cavalcante/RCV

Secretário Rafael Fonteles, na Rádio Cidade Verde

Empréstimo

O secretário de Fazenda, Rafael Fonteles, disse que a tramitação do processo de empréstimo de R$ 600 milhões deu-se em tempo recorde. Segundo ele, da aprovação do empréstimo na Assembleia Legislativa até a assinatura do contrato na Cef foram apenas três meses.

O Piauí já levou três anos, conforme o secretário, para concretizar operações idênticas.

Ele destacou o apoio do senador Ciro Nogueira em Brasília.

Comemoração

A propósito, o deputado Heráclito Fortes (PSB) comemorou da Tribuna da Câmara, a assinatura da proposta de empréstimo de 600 milhões de reais, firmados entre o governo do Estado 
e a Caixa Econômica Federal.

Heráclito também pediu que o Presidente da Caixa Econômica envie à Câmara as garantias dadas ao empréstimo, bem como as informações sobre a destinação dos recursos.

O Piauí não é para amadores. Por aqui, até a oposição comemora quando o Estado se endivida.

Alfinetada

Heráclito Fortes também não perdeu a oportunidade de lembrar que em outra ocasião, o governador Wellington Dias quando estava na Oposição, em 2014, vetou um empréstimo do Banco do Brasil para o então governador Zé Filho, que substituiu o governador Wilson Martins.

“Isso é para mostrar que o mundo dá voltas. Se agora ele está sendo tratado dessa maneira, é porque tem um Governo sério e republicano”, disse.

Tradição quebrada

O presidente Michel Temer quebrou ontem duas tradições, na escolha do substituto do procurador Rodrigo Janot como chefe do Ministério Público Federal.

A primeira foi que não escolheu o mais votado da lista tríplice, o procurador Nicolao Dino.

A segunda foi que, pela primeira vez, indicou uma mulher para comandar a Procuradoria Geral da República.

Votação

A lista é elaborada por meio de eleição interna entre os membros da Associaão Nacional dos Procuradores da República. Raquel Dodge, a escolhida por Temer, recebeu 587 votos e foi a segunda mais votada na lista, atrás do atual vice-procurador-geral eleitoral, Nicolao Dino, que recebeu 621 votos.

Com a indicação, Raquel Dodge será submetida a sabatina no Senado e precisará ter a indicação aprovada pelos senadores antes de ser oficializada no cargo.

Caso seja aprovada, ela tomará posse em setembro, no lugar de Janot.

Janot perdeu

Dino, que foi o mais votado pelos integrantes do MPF, era o candidato preferido de Janot na eleição interna.

Além disso, ele é irmão do governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), que faz oposição sistemática ao governo Temer.

Por fim

Aliás, essa de não nomear o 1º da lista para chefia do MP não é novidade. No Maranhão, Flávio Dino indicou o segundo colocado. E aqui no Piauí, dois anos atrás, o governador Wellington Dias, em vez de nomear a promotora Cláudia Seabra, a primeira da lista para chefiar o MPE, escolheu Cleandro Moura, o terceiro colocado.

Foto: Reprodução/FUG

Piauí em Movimento - A Fundação Ulysses Guimarães já começou a distribuir os convites para a próxima palestra do seu presidente no Piauí, ex-ministro João Henrique Sousa, marcada para Valença do Piauí, no dia 15 de julho.

* Ontem houve um novo protesto na Ceasa, agora contra a decisão do desembargador Haroldo Rehem suspendendo a privatização da empresa.

* A revolta foi grande ontem nos hospitais da rede estadual de saúde, com descontos inesperados nos contracheques dos servidores.

* O corte foi motivado pela implantação do ponto eletrônico. O secretário de Administração, Franzé Silva, orientou os prejudicados a procurarem a direção dos hospitais.

* O Sindicato dos Médicos do Piauí lançou nota criticando os descontos e cobrando providências por parte do Governo do Estado.

Queda na vertical

Do humorista Fraga:

- O projeto de enterro vertical do prefeito João Dória ainda pode se consagrar: Temer resiste tanto a cair que seu governo será sepultado em pé.