Cidadeverde.com

Grita geral derruba a taxa do lixo

Foto: Reprodução

Prefeito desiste da cobrança da taxa do lixo

A Prefeitura de Teresina distribuiu ontem uma nota comunicando a suspensão da cobrança da Taxa de Coleta de Lixo. Segundo a nota, a medida foi tomada em função das “manifestações relacionada à cobrança” e das “variadas reivindicações feitas diretamente à administração municipal”.

A Prefeitura esclarece, também, que outro fator considerado foi “a atual crise financeira que atinge diretamente as finanças públicas”. A nota comunica, ainda, que a cobrança da taxa será feita apenas a partir do próximo ano.

A Prefeitura informa, por fim, irá adotar todas as legais e cabíveis para regulamentar a decisão, especialmente no que se refere à restituição dos valores eventualmente já pagos pelos contribuintes.

O custo da limpeza

No ano passado, a Prefeitura de Teresina gastou R$ 78 milhões com a limpeza da cidade. Sua expectativa era a de arrecadar R$ 7 milhões com a cobrança da taxa do lixo. Isto é, menos de 10% da conta com o serviço.

Ao abrir mão da cobrança, a Prefeitura leva a algumas constatações ou conclusões. A primeira é que, apesar da “crise financeira que afeta diretamente à administração municipal”, ela não esta precisando dessa arrecadação extra de R$ 7 milhões.

Também leva a crer que o prefeito, mesmo estando já em seu quarto mandato, administra com um planejamento que não é essa Brastemp da qual tanto se vangloria. Do contrário, não teria lançado agora a taxa do lixo, pois a crise econômica e financeira já existia bem antes da distribuição dos 133 mil boletos da taxa, com vencimento para o final deste mês. Ou ele estava apenas testando o humor do contribuinte?

Por fim, o recuo do prefeito tanto pode expressar um gesto de sensatez, em sintonia com o sentimento popular, quanto pode revelar que ele também não se imunizou contra a demagogia que afeta os políticos. Ou ainda que não é duro o suficiente para não se envergar à pressão popular. No próximo ano tem mais!

Foto: Divulgação/Agência Câmara

O deputado Silas Freire: a favor da investigação

Questão fechada

O deputado Silas Freire (agora no Podemos, um dos partidos aliados do governo), suplente convocado, protestou ontem contra a cobrança de fidelidade ao PMDB, PR e PP para a absolvição do presidente Michel Temer na Câmara Federal.

"Quem for contra, será expulso. Já passei por isso. Não desejo a ninguém você querendo votar com a vontade dp seu eleitor e o partido te obrigando a votar o contrário", criticou.

Ah, bom!

Quando indagado se estava antecipando seu voto contra o presidente, Silas Freire botou os pingos nos is:

- Não é contra ninguém. É a favor do andamento do processo no fórum recomendável,que é o STF.

Ah, bom!

Condenação de Lula

O governador Wellington Dias se pronunciou ontem, através de um áudio, sobre a condenação do ex-presidente Lula pelo juiz Sergio Moro, coordenador da Operação Lava-Jato.

Para o governador, a condenação não surpreendeu, já que partia de Sérgio Moro, associando a uma questão de cunho pessoal.

Wellington disse que, observando a decisão, considera que é uma condenação “sem provas”.

Por isso, prefere esperar que o caso seja levado a outras instâncias para que saiba o que de fato acontecerá com o ex-presidente.

Nunca antes

Lula foi condenado a nove anos e meio de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O petista foi acusado pela força-tarefa da Operação Lava-Jato de receber propina da OAS.

Segundo a acusação, entre as vantagens recebidas por Lula, está um apartamento tríplex no balneário do Guarujá, em São Paulo.

É a primeira vez que um ex-presidente do Brasil é condenado por corrupção. Lula é réu em outras quatro ações.

Saneamento

A Águas de Teresina informou ontem, através de sua assessoria, que está na capital o doutor em engenharia hidráulica e sanitária Pedro Além Sobrinho.

A convite da empresa, ele está visitando as estações de tratamento de esgoto e vai ajudar na produção de um diagnóstico, além de propor soluções emergenciais para a ampliação e melhoria do sistema.

Protesto

O protesto das senadoras oposicionistas contra a reforma trabalhista, que resultou na ocupação da Mesa Diretora do Senado como se a Casa fosse um acampamento de sem-terra, não é, em si, falta de decoro parlamentar. Está mais para a falta de noção mesmo.

Um atestado público de quem não conhece o Regimento Interno do Senado ou não está a fim de se submeter ao processo legislativo, que no plenário se movimenta através da negociação, da tribuna e do voto.

Foto: Divulgação

Homenagem  - A propósito, nas redes sociais, a senadora Regina Sousa (PT) ganhou homenagem do blog petista Jornalistas Livres, por ter participado do protesto das senadoras oposicionistas anteontem no Senado.

*A Agespisa anunciou um plano especial de atendimento ao litoral do Piauí durante as férias do meio do ano.

* A empresa contratou inclusive grupos de geradores para garantir o abastecimento de água nos municípios litorâneos.

* Os que comemoram a condenação do ex-presidente Lula fariam melhor se recebessem o fato com alguma discrição.

* Os próprios ou seus ídolos políticos carregam investigações e processos nas costas e também podem ser condenados a qualquer momento.

Seguro-desemprego

Do jornalista Cláudio Barros, sobre as críticas e ataques à reforma trabalhista, aprovada no Senado:

- Sim, a reforma trabalhista pode gerar desemprego, sobretudo de sindicalistas pelegos cevados pelo dinheiro do imposto sindical.