Cidadeverde.com

Conta mais, Joesley!

O jornal Folha de S. Paulo traz, em sua edição de ontem, um artigo do empresário Joesley Batista, dono da JBS/Friboi e delator-mor da República. Intitulado “67 dias e 67 noites de uma delação”, o texto não é recomendável para quem não tenha nervos de aço. Se, no entanto, alguém nessa situação se dispuser a encará-lo, deve enfrentar a leitura com um lenço à mão, pois se trata do ‘martírio’ do empresário após a megadelação.

Pelo que se viu e ouviu das gravações de sua conversa com o presidente Michel Temer, custa crer que um cidadão com a linguagem de Joesley Batista tenha condição de articular um texto como o que está assinado por ele. Bem, mas o artigo tem a sua assinatura e certamente as suas idéias. O texto foi escrito e publicado com o objetivo de desfilar suas lamúrias contra as mentiras que teriam sido assacadas contra ele após a delação. Eis alguns trechos:

Mentiras e verdade

(...) Desde então, vivo num turbilhão para o qual são arrastadas minha família, meus amigos e funcionários.

(...) Imagens minhas e da minha família embarcando num avião, tiradas do circuito interno do Aeroporto Internacional de Guarulhos, foram exibidas na TV, como se estivéssemos fugindo. Um completo absurdo.

(...) Políticos, que até então se beneficiavam dos recursos da J&F para suas campanhas eleitorais, passaram a me criticar, lançando mão de mentiras.

(...) De uma hora para outra, passei de maior produtor de proteína animal do mundo, de presidente do maior grupo empresarial privado brasileiro, a “notório falastrão”, “bandido confesso”, “sujeito bisonho” e tantas outras expressões desrespeitosas.

(...)Venderam uma imagem perfeita: “Empresário irresponsável e aproveitador toca fogo no país, rouba milhões e vai curtir a vida no exterior”.

(...) A única verdade que sei é que, desde aquele 17 de maio, estou focado na segurança de minha família e na saúde financeira das empresas.

(...) Hoje, depois de 67 dias e 67 noites da divulgação da delação, resolvi escrever este artigo, não para me vitimar - o que jamais fiz -, mas para acabar com mentiras e folclores e dizer que sou feito de carne e osso. E entregar ao tempo a missão de revelar a razão.

O que faltou

Em seu longo artigo, o presidente da JBS  foca em assuntos de seu particular e especial interesse e não trata de questões que verdadeiramente trariam esclarecimentos para os brasileiros. Por exemplo:

1 . Como se deu sua negociação com o Ministério Público Federal e o STF; Quem fez o meio de campo?

2. Como ele conseguiu arrancar do MPF e do Supremo uma anistia para mais de 240 crimes confessos baseado em uma gravação clandestina que fez com o presidente da República, sem passar uma hora na prisão e com direito a sair do país?

3. Como o seu grupo saltou da condição de uma empresa sem expressão no país para o maior grupo produtor de proteína animal do mundo em menos de dez anos?

4. Por que seu grupo saiu quebrando e comprando frigoríficos pelo país? Com quê dinheiro? E por que jogou alto nas campanhas de mais de 1.800 políticos?

5. O que de fato o atual presidente da República negou ao seu grupo ao ponto de ele ficar tão furioso e tramar a sua queda do cargo, com um golpe tão baixo e tão sórdido?

Ah!  Poderia esclarecer também se a JBS fez ou não fez lobby pela nomeação do ministro Édson Fachin, relator de seu caso, para o Supremo.

Sem dar respostas convincentes para estas e outras questões, e sem ser cobrado a oferecê-las, o empresário Joesley Batista certamente será capaz de imaginar que todo brasileiro tem para com ele a mesma boa-fé do MPF e do STF!

Foto: Divulgação

O presidente do Sesi e a governadora em exercício Magarete Coelho, em Corrente

ExpoCorrente

Da Feira da Cidadania, evento de ação social promovido pelo Sesi e pela Fiepi realizado no final de semana no município de Gilbuéis, o presidente do Serviço Nacional da Indústria, ex-ministro João Henrique Sousa, deu uma esticada até Corrente, para acompanhar a 42ª ExpoCorrente.

A feira agropecuária, a maior do Sul do Piauí, foi prestigiada por várias autoridades, inclusive pela governadora em exercício, Magarete Coelho, com quem o presidente o Sesi conversou.

O evento

Em Corrente, além de fazer contatos políticos, a governadora Margarete Coelho acompanhou o leilão misto de bovinos, equinos e caprinos e visitou estandes no evento.

“A cada ano, nosso apoio e incentivo aumentam para essa festa que já faz parte do calendário do piauiense e a região responde positivamente para a excelência da maior e mais tradicional feira agropecuária do Sul do Piauí”, comentou.

Plantão

A Assembleia Legislativa mantém a maioria de suas diretorias e setores em funcionamento durante o recesso, de acordo com comunicado divulgado pelo diretor administrativo, Leandro de Brito Coelho.

Uma Comissão formada por parlamentares estaduais, tendo à frente o presidente do Poder, deputado Themístocles Filho (PMDB), representará a Alepi até o reinício das sessões plenárias, no dia 1º de agosto.

E agora?

A Polícia Federal afirmou ao Supremo Tribunal Federal que o delator da Lava Jato Sergio Machado, ex-presidente da Transpetro, não merece os benefícios acertados com a Procuradoria-Geral da República por sua colaboração premiada ser “ineficaz”.

A avaliação da delegada Graziela Machado da Costa e Silva consta em relatório enviado ao STF na sexta-feira.

No material, a PF aponta que a delação não permitiu comprovar que os senadores Romero Jucá (PMDB-RR), Renan Calheiros (PMDB-AL) e o ex-presidente José Sarney (PMDB-AP) atuaram para obstruir a Lava Jato, sendo que “as conversas estabelecidas não passaram de meras cogitações”.

Mau humor

A juíza federal Luciana Tolentino de Moura, da 7ª Vara Cível do Distrito Federal, negou concessão de uma liminar pedida pela Câmara dos Deputados para determinar a retirada de um vídeo do humorista e apresentador Danilo Gentili do ar.

Para a magistrada, a Câmara busca na Justiça “medida nitidamente de caráter repressor, censor, própria das ditaduras”.

É no que dá não ter senso de humor.

Foto: Pablo Cavalcante/RCV

Advogado de JK - O ex-senador Hugo Napoleão avança na escrita de seu novo livro, “Eu fui advogado de JK”, que já está em seu quinto capítulo. Hoje fora da política, ele se dedica à advocacia, em Brasília, atuando nos tribunais superiores.

* O presidente do Tribunal de Contas, conselheiro Olavo Rebelo, disse que não tem qualquer dificuldade em rever seus votos. Nem em mantê-los.

* O último voto polêmico do conselheiro foi pela manutenção do bloqueio dos recursos do Fundef da Prefeitura de Teresina.

* O mérito do caso será examinado pelo plenário do TCE no próximo mês. A PMT juntou papelada ao processo.

* No Piauí, quando cobrem um santo, descobrem outro: Parnaíba vai ganhar um voo direto de São Paulo, mas perderá o de Recife.

Conselho amigo

O presidente da Assembleia Legislativa, Themístocles Filho (PMDB), instruiu o ex-senador Hugo Napoleão a não se declarar fora da política. Hugo gostou do conselho e já o pôs em prática. Agora, quando indagado se volta à política, ele responde:

-“O futuro a Deus pertence”.