Cidadeverde.com

Novo pacote fiscal atinge supersalários e auxílio-moradia

Nadando no seco da popularidade, com apenas 5% de aprovação, o presidente Michel Temer não se entrega. Seu governo fecha um novo pacote de ajuste fiscal que vai mexer em caixa de marimbondo. As novas medidas vão atingir diretamente o funcionalismo público.

O objetivo delas é reduzir as despesas com pessoal, a fim de conter a escalada do déficit público. Além do adiamento de reajustes já concedidos e do congelamento de salários daqui para frente, o governo pretende impor um teto para a remuneração total dos servidores federais dos três Poderes.

De acordo com cálculos da equipe econômica, só o fim dos auxílios geraria uma economia para os cofres públicos de cerca de R$ 2 bilhões por ano. O Judiciário está especialmente na mira, pela ampla ocorrência dos chamados supersalários. A folha de pessoal da União chegará a R$ 284 bilhões em 2017.

Acima do teto

Atualmente, já vigora um teto para o salário-base do funcionalismo, que não pode superar o vencimento de um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), de R$ 33,7 mil.

Mas a profusão de penduricalhos, como o auxílio-moradia, acaba inflando os contracheques, fazendo com que, na prática, a remuneração extrapole em muito os salários da mais alta Corte.

O Senado já aprovou um projeto que regulamenta o teto remuneratório, enviado pelo governo Dilma, mas falta o aval da Câmara. O governo pretende centrar esforços para desengavetá-lo e aprová-lo o quanto antes.

O governo também vai realizar cruzamentos de dados para acabar acumulações salariais indevidas, considerando, neste caso, União, estados e municípios.

Enquanto o governo prepara o seu pacote para reduzir despesas com o funcionalismo, o Ministério Público Federal, que está no calcanhar do presidente, acaba de se autoconceder um reajuste salarial de 16%. 

Foto: Pablo Cavalcante/RCV

 Deputado Heráclito Fortes: defesa de Wilson Martins

Bate-assopra

O deputado federal Heráclito Fortes (PSB) certamente deve ter gostado da manifestação do presidente regional do PSB, ex-governador Wilson Martins.

Segundo Wilson, a fala do sociólogo Messias Júnior, presidente do PSB de Teresina, sugerindo a Heráclito que caia fora da sigla, não reflete o sentimento do PSB Estadual.

A convite

“Em nosso Partido, todos têm o direito de livre expressão, de concordar ou discordar e, democraticamente, externar suas opiniões, porém, tratar de eventuais discordâncias partidárias internas, publicamente, não constrói, é inoportuno, improdutivo e desagregador”, avisou o presidente estadual do PSB.

Wilson lembrou que Heráclito ingressou no PSB a convite, dele e do governador Eduardo Campos.

“Se elegeu Deputado Federal pelo PSB. É merecedor, portanto, do nosso respeito”, destaca.

Olhar seletivo

O deputado federal Átila Lira está na mesma situação de Heráclito: votando com o governo Temer e sendo assediado a se filiar a outras legendas.

Mas o presidente do PSB de Teresina não fez qualquer menção a ele em seu protesto contra a posição de Heráclito.

Cidadania

O presidente do Conselho Nacional do Sesi, João Henrique Sousa, participa hoje da segunda etapa da Feira da Cidadania, no município de Curimatá, no Extremo-Sul do Piauí.

O evento é realizado pelo Instituto Conhecer Brasil, em parceria com o Sesi e a Federação das Indústrias do Piauí (Fiepi), com serviços e atividades de cidadania para a população.

Quatro cidades

O projeto já esteve em Gilbués e será levado ainda a Avelino Lopes e Redenção do Gurgueia, em agosto.

A realização da feira nesses municípios foi uma reivindicação dos prefeitos dos quatro municípios diretamente ao presidente do Sesi, em Brasília.

Foto: Divulgação/Agência Câmara

Deputado Silas: críticas à segurança, a Wilson Martins e ao governo

Espalhador de brasa

Quem anda espalhando brasa para todo lado é o deputado federal Silas Freire (Podemos). Ele está zangado com a cúpula da segurança no Piauí, com o PSB estadual e com o governo.

Segundo o parlamentar, os dois gestores do aparelho de segurança pública do Piauí – secretário Fábio Abreu, da Segurança, e coronel Carlos Augusto, comandante da PM – fazem política 24 horas com a bandeiras das instituições.

Nova derrota

Outra de Silas Freire: “Só o que falam os políticos em todo Piauí é que se Wilson Martins se lançar a senador com a trinca de ter o irmão a estadual e o sobrinho a federal, ele amargará outra derrota. Dizem os mais experientes que para o Wilsão sonhar com os tapetes do Senado precisará pelo menos demover o sobrinho Rodrigo Martins da ideia da reeleição à Câmara Federal. Errar é humano, mas permanecer errando não é nada inteligente.”

Me engana, que eu gosto

Silas ainda com a palavra: “A chiadeira é geral nos municípios. Segundo os prefeitos, o governador tem feito uma agenda somente de intenção nas cidades. Segundo os gestores, o governador visita o município, assina somente uma autorização para realização de obras, mas sua equipe não tira do papel esses compromissos feito em solenidade pública”.

*O TCE adiou para agosto o julgamento da prestação de contas da Secretaria de Educação relativas a 2015.

* O julgamento estava marcado para ontem. O processo tem parecer favorável do Ministério Público de Contas. Favorável à reprovação.

* O jurista Celso Barros Coelho preside hoje mais uma programação de eventos da Academia de Letras, História e Ecologia de Pastos Bons.

* Quando se preparava para voar para Portugal, o ex-presidente do Banco do Brasil e da Petrobras, Aldemir Bendine, foi preso ontem na 42ª fase da Operação Lava Jato.

Mãos ao alto

Do humorista Albert Piauhy:

- Agora o local onde o brasileiro está mais exposto a assalto é o posto de gasolina.