Cidadeverde.com

Vestindo a toga

Ao dar posse a novos juízes, no início da semana, o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Erivan Lopes, fez uma recomendação dura aos novos magistrados: que eles não encarem o trabalho como um “bico”, nem usem a função como um trampolim para conquistarem outros cargos. 

O presidente do Tribunal de Justiça fez a crítica ao considerar que alguns empossados, de outros Estados, veem no cargo de juiz apenas a possibilidade de buscar a aprovação em outros concursos públicos.

O desembargador avisou que o Tribunal de Justiça não quer isso, quer magistrados comprometidos com a causa da magistratura e trabalhando a favor do Estado.

Sem compromisso

É muito pertinente a recomendação do presidente do Tribunal de Justiça. O que se vê hoje, infelizmente, é que, em diversas áreas, muitos dos aprovados em concurso público são de elevado nível técnico, mas sem qualquer vocação para o exercício dos cargos que assumem.

Muitos ingressam no serviço público apenas atrás de um bom emprego, de um alto salário e das benesses do cargo. Depois, acabam não prestando adequadamente o serviço pelo qual são tão bem remunerados.

Desses, muitos vão para o trabalho como quem vai para a guerra. Quando o trabalho deve ser encarado como algo útil, necessário e prazeroso.

Daí a oportunidade e até a necessidade do apelo do presidente do Tribunal de Justiça em relação aos magistrados.

Que essa recomendação possa ser repetida em relação aos concursados aprovados para outras funções no serviço público. E que ela seja devidamente acatada por quem dela precisar, mesmo julgando que não precisa!

Drible

O PSB do Piauí deu um “de arrodeio” bonito no presidente Michel Temer. Na votação da denúncia contra ele, na Câmara, dois deputados do PSB piauiense votaram pelo engavetamento do processo – Átila Lira e Heráclito Fortes.

Mas estes votaram a favor do Planalto não por que estão filiados ao PSB, mas porque são governistas de quatro costados.

A jogada

Muito bem! Dos três parlamentares do  PSB do Piauí, o único que votou partidariamente foi o deputado Rodrigo Martins, sobrinho do presidente regional do partido no Piauí, o ex-governador Wilson Martins. Ele votou pelo prosseguimento da investigação contra o presidente.

Na rearrumação da base, quem vai para a chefia de Gabinete da Codevasf? José Augusto Nunes, o homem forte do governo Wilson Martins, de quem é primo, como é primo também de Rodrigo Martins.

Quem ganha

Não obstante o drible político, o Piauí e a Codevasf ganham com a jogada, pois o José Augusto é um bom quadro e conhece a empresa, da qual já foi presidente, no governo Dilma, por indicação do então governador Wilson Martins.

Além disso, trata-se de um gestor correto.

Paga pra ver

O deputado Robert Rios (PDT) disse ontem, na Assembleia Legislativa, que paga para ver o senador Ciro Nogueira (PP) recebendo ex-presidente Lula em Teresina ou que ele suba no palanque do PT durante a visita do ex-presidente ao Piauí.

Não ao Fundo

O prefeito Mão Santa (SD) endossou o manifesto lançado pela Câmara Municipal de Parnaíba repudiando o aumento do Fundo Partidário num momento de caos ético, político e social.

A iniciativa partiu do vereador Reinaldo Santos.

Foto: João Albert/CCom

Agência reguladora - O governador Wellington Dias se reuniu ontem, no escritório da residência oficial, com o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Themístocles Filho. Ele pediu agilidade na votação da Agência Reguladora Geral do Piauí. A agência do Estado será nos moldes das agências reguladoras nacionais, criadas para fiscalizar a prestação de serviços públicos praticados pela iniciativa privada. 

* O Piauí foi o estado com população que menos cresceu no ano passado, apenas 0,22%.

* Poucos deram bola para isso. Agora se isso resultasse em redução no número de cadeiras parlamentares o barulho seria grande!

* Outra coisa: o IBGE constatou que o Piauí continua liderando a corrente migratória, ou seja, mandando seus filhos para outras regiões.

* Trocando em miúdos, faltam mais oportunidades para os piauienses em seu próprio Estado.

Hora de comemorar 

Na Câmara Municipal de Teresina, uma liderança comunitária cercava o vereador Joninha (PSDB). E explicou o motivo:

- Vereador, me ajude. A letra do meu carro venceu no banco!

Joninha escapuliu

- Ora! Você devia era tá comemorando. Pior era se tivesse perdido.

(Colaborou Elivaldo Barbosa)