Cidadeverde.com

A última flechada

Como esperado, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, disparou ontem a última flechada contra o presidente Michel Temer. Ela atinge também outros membros da cúpula do PMDB. Janot não poderia deixar de levantar o arco novamente na direção presidente.

Em primeiro lugar, esse novo lançamento de flechas foi alardeado por muito tempo. O procurador tinha, portanto, o compromisso moral de fazê-lo. Em segundo lugar, o Supremo confirmou esta semana que ele poderia continuar, sim, como arqueiro que mira o presidente Temer como alvo.

A nova denúncia

Nessa nova denúncia, Janot mete Temer no chamado “Quadrilhão do PMDB”. Além do presidente da República, são acusados de participar do esquema os ex-deputados Eduardo Cunha e Henrique Alves, ex-presidentes da Câmara Federal; os ministros Eliseu Padilha e Moreira Franco e os ex-deputados Geddel Vieira Lima e Rodrigo Loures.

Segundo a denúncia, eles praticaram ações ilícitas em troca de propina por meio da utilização de diversos órgãos públicos, como Petrobras, Furnas, Caixa Econômica, Ministério da Integração Nacional e Câmara dos Deputados.

Pelas contas do procurador, o esquema permitiu que os denunciados recebessem ao menos R$ 587 milhões em propina.

Delações

O núcleo político da organização criminosa, descreve a denúncia, era composto também por integrantes de PP e PT, dispostos em subnúcleos específicos, além de outros parlamentares do chamado “PMDB do Senado”.

A denúncia é baseada em delações de executivos da JBS e também do doleiro Lúcio Funaro, apontado operador do PMDB nos esquemas de corrupção.

Em documento de 245 páginas, Janot argumenta que, ao avalizar a compra de silêncio de Funaro e também do ex-deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), em conversa gravada pelo empresário Joesley Batista, um dos donos da JBS, Temer cometeu o crime de obstrução de Justiça.

Rito

Se seguir o trâmite da primeira denúncia, feita em maio passado, o ministro Edson Fachin, relator do caso JBS no Supremo, deve enviar a denúncia diretamente à Câmara. Para que a investigação seja autorizada, são necessários 342 votos dos deputados, dos 513 votos possíveis.

As chances de autorização da denúncia pela Câmara são ainda menores do que na primeira denúncia do procurador contra Temer. Começa que, desta vez, o procurador já estará sem arco e sem flecha quando e se a denúncia chegar à Câmara.

Além disso, a denúncia chega enfraquecida também pelo fato de os delatores que incriminam o presidente e seus aliados terem perdido completamente a credibilidade. Outro obstáculo é que o presidente está calejado para esse tipo de situação e não ficará mais na defensiva, como na anterior.

Suspensão

Ontem, o procurador-geral da República anunciou que os acordos de delação com os executivos da JBS foram rescindidos. O Ministério Público destaca, no entanto, que, mesmo com a rescisão, as provas entregues pelos delatores permanecem válidas.

Ainda ontem, a defesa do presidente Temer protocolou no Supremo pedido de suspensão da nova denúncia apresentada por Janot. A defesa pede que o Supremo só mande à Câmara o pedido de autorização para investigar o presidente após a conclusão das investigações sobre a delação da JBS. (Com informações do congressoemfoco.com)

Foto: Divulgação/ABI

Jornalista Domingos Meirelles, presidente da ABI, hoje em Teresina

Imprensa em debate

Com a presença do presidente da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), jornalista Domingos Meirelles, será aberto hoje, no Sesc Campos Sales, o X Encontro Estadual dos Jornalistas. A promoção é do Sindicato dos Jornalistas do Piauí.

As atividades do evento se estendem por todo o dia de sábado, com palestras, debates, lançamento de livros e exibição de filmes.

Segurança

O deputado federal Silas Freire (Podemos) cobrou na Câmara que os bancos financiem as atividades de segurança de suas agências.

Ele disse que, sozinhos, os governos estaduais não têm condição de garantir a segurança dos bancos em tempo integral.

Silas enfatizou que nos Estados falta dinheiro e, nos bancos, o dinheiro sobra.

Greve

O Tribunal de Justiça determinou, ontem, em caráter de tutela antecipada, que o sistema prisional retome a execução dos procedimentos rotineiros nos estabelecimentos penais – garantindo o mínimo de 60% do contingente de agentes penitenciários –, como visitas de familiares, advogados, servidores e outras pessoas ligadas ao sistema penitenciário e de justiça, procedimentos operacionais e atividades normais das unidades.

O relator do processo é o desembargador Edvaldo Moura, que acatou pedido feito pela Procuradoria Geral do Estado (PGE-PI), acerca do movimento paredista deflagrado pelo Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí (Sinpoljuspi), iniciado na última segunda-feira (11).

Acordo

Já o Sindicato dos Médicos do Piauí informou que chegou a um entendimento com a diretoria do Instituto da Assistência à Saúde dos Servidores Públicos do Estado do Piauí (IASPI) sobre a implantação dos códigos para as cirurgias endoscópicas no plano de saúde PLAMTA.

Os médicos vinham realizando cirurgias por vídeo, mas o PLAMTA faturava com os códigos de cirurgia aberta.

Além da questão ética, os médicos recebiam valores bem abaixo do que deveriam, segundo o sindicato.

Após diálogos e movimento acompanhado pelo sindicato, o IASPI reconheceu a falha e introduziu os códigos para as cirurgias endoscópicas.

Foto: Divulgação

Viver bem -  Projeto Neuro em ação, idealizado e coordenado pelo médico Benjamin Vale e desenvolvido por uma equipe multidisciplinar, focaliza a prevenção de trauma de crânio e coluna e este ano procura conscientizara comunidade sobre temas como: 1- perigo do uso de celular no trânsito ao dirigir; 2- perigos do mergulho em águas rasas; 3 - má postura como causa de problemas na coluna. As atividades são desenvolvidas através de palestras nas escolas públicas e privadas e também nas universidades públicas e particulares, por profissionais da neurocirurgia e estudantes de medicina, após curso de capacitação e tutorias. O encerramento do projeto será hoje, às 18 horas, no Cine-Teatro da Ufpi.

* A superlotação da Central de Flagrantes de Teresina levou a Secretaria de Justiça a inaugurar, às pressas, o novo presídio de Campo Maior.

* Começam na segunda-feira as inscrições para o novo concurso do Corpo de Bombeiros. Os candidatos devem ter entre 18 e 30 anos.

* No sétimo ano seguido de seca, os carros-pipas já estão pegando água no semiárido do Piauí a 150 quilômetros de distância.

* O professor Washington Bonfim, secretário municipal de Planejamento, já começou a limpar as gavetas. Vai trabalhar em São Paulo.

* O ex-ministro Joao Henrique Sousa leva hoje a Caravana 'Piauí em Movimento' a Campo Maior. 

Canoa furada

Do humorista Fraga:

- Como diria o dono do único colete salva-vidas a bordo da canoa furada: estamos todos no mesmo barco.