Cidadeverde.com

2018, o ano do Brasil

Os ‘profetas do Apocalipse’, que anunciaram o fim do mundo, no Brasil, para o ano que se findou, voltaram à carga, depois do fracasso retumbante de suas malfadadas previsões. Na  chegada do novo ano, eles começam a lançar suas novas profecias remarcando o Apocalipse brasileiro para 2018.

Tal hecatombe seria provocada pela desesperança e a inércia da população, diante do avanço da corrupção; a crise de liderança e as posições do ex-presidente Lula e do deputado Jair Bolsonaro nas pesquisas de intenção de voto.

Desesperança e inércia

Ora, nunca antes na história do Brasil a corrupção foi combatida de forma tão vigorosa. Nunca antes na história do país tantos engravatados foram parar na cadeia e nas barras dos tribunais por que se envolveram com roubalheira. Esse trabalho de faxina moral não acabou, está em andamento.

Então, por que o brasileiro haveria de se desencantar com o combate a corrupção logo agora? É por que falta gente nas ruas? Mais importante do que isso, hoje, é que os processos andem, os julgamentos aconteçam e a justiça seja feita. No momento, a tarefa é das instituições.

O povo vai se manifestar oportunamente nas urnas, em outubro. É lá que exercerá o seu protagonismo. É lá que fará a sua parte. O fato de a população não se deixar levar na onda da “Maria-vai-com-as-outras” sinaliza que, ao contrário do que se imagina, o brasileiro está antenado nos acontecimentos e desconfiado. E isso é muito positivo. Entre os que tentam dominar a cena, há muitos aí que são lobos em pele de cordeiro.

As pesquisas

Os que lideram as pesquisas de intenção de voto têm índices ainda maiores de rejeição do eleitorado. Além disso, mais de 65% dos eleitores ainda não se definiram quanto ao seu candidato a presidente. Ou seja, as pesquisas de hoje tem pouca ou nenhuma validade para outubro.

A eleição presidencial ainda está totalmente em aberto. Os candidatos sequer foram postos. O país ainda terá muitas etapas a vencer até o seu encontro com as urnas. Uma de cada vez.

Portanto, 2018 tem tudo para ser o ano do Brasil. E por que não? Quem morre de véspera é peru de Natal.

 

 

Mudou

O site O Antagonista, do jornalista Diogo Mainard, já começa o ano pegando no pé do senador Ciro Nogueira:

“Ciro Nogueira, do PP, disse ao Estadão que Rodrigo Maia é seu “candidato de preferência” para o Palácio do Planalto.

Exatamente um mês atrás, ele havia dito que Lula era seu “candidato a presidente”.”

Luto

Mal conheceu 2018, o empresário Ferdinand Silveira já foi se despedindo dele.

Ferdinand morreu na Praia do Coqueiro, em Luís Correia, na madrugada de ontem, aos 82 anos.

Ele estava dormindo, em sua casa de praia, após celebrar a entrada do ano novo com a família, quando foi vitimado por um infarto fulminante.

Automaq

Por muitos anos, Ferdinand Silveira foi diretor da antiga Automaq, que funcionou na Avenida Frei Serafim, tendo como presidente o empresário e engenheiro Lourival Sales Parente.

Ele desfrutava de um vasto ciclo de amizades no Piauí, sobretudo no meio empresarial.

Presidente da ACP

Em meados dos anos 80, presidiu a Associação Comercial Piauiense, onde tive a oportunidade de conhecê-lo, exercendo a função de seu assessor de imprensa.

Era, antes de tudo, um cidadão cortez e um bom amigo. Assim que será lembrado por muitos.  

Mais imposto

Entram em vigor hoje os dois aumentos das alíquotas do ICMS, aprovados em julho e em novembro passado.

O secretário de Fazenda, Rafael Fonteles, publicou comunicando sobre as mudanças, reproduzido abaixo:

Reprodução/Sefaz

 

* A ex-presidente Dilma Rousseff aparece como uma boa substituta para Lula numa eventual corrida presidencial.

* A constatação é de uma pesquisa do Instituto Paraná e foi divulgada no Blog Radar, da revista Veja.

* Conforme a sondagem, sem Lula na disputa, Dilma seria a candidata mais competitiva do PT, com 13,4% dos votos, seguida de Geraldo Alckmin (8,7%), Ciro Gomes (7,7%) e Joaquim Barbosa (7,6%).

* Esta semana deve sair a decisão sobre o aumento da passagem de ônibus urbano em Teresina.

* O último reajuste foi em janeiro do ano passado. Já a meia passagem está congelada há 6 anos.

 

Ano Velho

Do humorista Fraga, ontem:

- Não dou mais 24 horas e o novo ano começa a ficar velho.