Cidadeverde.com

O calcanhar de Firmino

Foto: Cidadeverde.com

Firmino Filho: desculpas para ficar

O prefeito Firmino Filho tem muitas chances de ser entendido, em algum momento do futuro, por deixar, mais uma vez, de ser o candidato das oposições a governador, repetindo o gesto de 2002. São muitas as desculpas a favor do prefeito.

A principal delas é a de que não vai se meter em aventura. Ele só teria chance de se tornar um candidato competitivo se contasse com o apoio do senador Ciro Nogueira, seu aliado. E o parlamentar está muito bem, obrigado, no palanque do governador Wellington Dias, sonhando com a reeleição.

Nesse caso, então, a eventual candidatura do prefeito passa a ser um segundo plano na cabeça do senador, que joga nas duas pontas. Isto é, ele tanto é aliado do prefeito tucano quanto do governador petista. No momento, a candidatura que lhe interessa é a do governador, com ele concorrendo ao Senado na mesma chapa. Uma mão lavando a outra.

Pra onde sopram os ventos

Outra boa desculpa para Firmino: ele não quer repetir a ousadia do prefeito Silvio Mendes, que deixou o cargo no auge de sua popularidade, em 2010, para concorrer ao governo sem combinar com os aliados do PTB. Ou seja, o tucano deu um salto do trapézio sem rede de proteção. E se deu mal, além de deixar o PSDB na mão.

Firmino não quer correr o risco também de ser acusado de fazer uma análise equivocada do cenário político, como a realizada apressadamente em 2014 pelo governador Wilson Martins. Focando apenas em seu projeto de se eleger senador, Wilson montou precocemente uma chapa majoritária que existiu apenas até a sua saída do governo.

Depois que assumiu o comando do Estado, Zé Filho virou a mesa e se impôs como candidato a governador. Todos estão lembrados do resultado: Wilson perdeu a eleição ganha de senador e seu esquema perdeu a eleição de governador.

Também está a favor do prefeito a desculpa de que ele tem um compromisso com a cidade até 2020.

Todas as desculpas são válidas e plenamente aceitáveis.

Palanque

O que fica difícil para o prefeito é justificar a filiação de sua mulher, Lucy Carvalho, a outro partido, para ela ser candidata a uma cadeira na Assembleia Legislariva, tirando voto de legenda do PSDB e dificultando, assim, a reeleição dos deputados tucanos, que sempre se mostraram fieis ao seu comando e vão para a luta em 2018 sem um cabeça de chapa porque ele se nega a abraçar a candidatura ao governo.

Da mesma forma, será difícil o prefeito explicar como vai pedir voto para a sua mulher, com ela filiada a um partido aliado do governo, e ele tendo que estar no palanque da oposição, por bem ou por mal.

 

 

Governador chia

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), um dos principais críticos do governo Temer, chiou com o desconvite para o deputado Pedro Fernandes (PTB-MA):

- Deplorável o veto do ex-senador Sarney ao deputado maranhense Pedro Fernandes. Se não tem sobrenome Sarney/Murad/Lobão, não tem vez. Essa é a "lei" do coronelismo, que vamos revogar definitivamente neste ano.

A raposa e as uvas

O governador do Maranhão não quer nada. Só acusa o presidente de golpista e, ainda assim, quer aboletar num ministério um aliado seu.

Mico do ano

A propósito, o deputado Pedro Fernandes votou contra o impeachment. Portanto, é dos que consideravam o governo Temer ilegítimo.

Assim, ele deveria ser o primeiro a se negar a participar de um governo com essa identidade.

Mas não. O fisiologismo falou mais alto e ele pagou o mico do ano.

Pesquisa

Eleitores que divulgarem pesquisas falsas pelas redes sociais ou em qualquer plataforma da internet ficarao sujeitos a multa nas Eleições 2018. O valor será estabelecido pelo juiz eleitoral, de acordo com a repercussão e o veículo de comunicação no qual houve a publicação.

Essa é uma das regras estabelecidas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), e passou a valer desde ontem. 

 

 

* O ministro das Cidades, Alexandre Baldy, recebe amanhã em Parnaíba a Medalha do Mérito Municipal.

* As sessões plenárias da Assembleia Legislativa vão começar no dia 2 de fevereiro, que este ano cairá numa sexta-feira.

* O governador Wellington Dias comparecerá ao plenário para apresentar sua Mensagem Anual aos parlamentares, com a prestação de contas de 2017.

* A Comissão de Direitos Humanos da OAB-PI não deu um pio sobre a morte da menina Emily por policiais militares.

 

Secretário do Capeta

Do humorista Fraga:

- O diabo, quando não vem, manda retrospectivas do ano que acaba.