Cidadeverde.com

Eleição tira dinheiro da educação e da saúde

O fundo eleitoral bilionário criado para bancar as campanhas políticas com recursos públicos retirou R$ 472,3 milhões originalmente destinados pelos parlamentares para educação e saúde no orçamento federal deste ano.

Deputados federais e senadores, quando aprovaram a destinação de verbas para as eleições, haviam prometido poupar as duas áreas sociais de perdas.

Levantamento feito pelo jornal "O Estado de S. Paulo" mostra que o fundo receberá R$ 121,8 milhões remanejados da educação e R$ 350,5 milhões da saúde.

O valor corresponde à transferência de dinheiro das emendas de bancadas --que seria destinado a esses setores-- para gastos com as campanhas eleitorais deste ano.

Distribuição

O fundo, aprovado em 4 de outubro do ano passado, é uma alternativa à proibição das doações empresariais e receberá, no total, R$ 1,75 bilhão. Desse montante, R$ 1,3 bilhão sairá das emendas de bancada, cujo pagamento é obrigatório pelo governo, e R$ 450 milhões da isenção fiscal que seria concedida a rádios e TVs para veicular programas partidários.

O dinheiro será distribuído aos partidos de acordo com o tamanho de suas bancadas na Câmara e no Senado.

Então, fica assim: os que tiram dinheiro da educação e da saúde para a campanha eleitoral vão aparecer nos palanques defendendo mais recursos para a educação e a saúde!

 

 

Sucessão

O deputado federal Átila Lira (PSB) avalia que a oposição andou bem no Piauí na virada do ano.

Ele calcula que até o carnaval estarão montadas as chapas majoritárias de oposição que enfrentarão o governador Wellington Dias na campanha e nas urnas.

Átila disse que o governador é forte, mas não é imbatível.

Novidade

O parlamentar está animado com a receptividade da candidatura do deputado Luciano Nunes a governador, pela oposição.

Átila observou que o prefeito Firmino Filho seria um nome com mais densidade para a disputa, porém ele tem se mostrado arredio à candidatura ao governo.

Ministra fica

O presidente Michel Temer decidiu ontem que, apesar do tiroteio que o governo vem sofrendo, manterá o convite para que a deputada federal Cristiane Brasil assuma o Ministério do Trabalho.

O governo espera derrubar em outras instâncias da Justiça a decisão do TRF-2 suspendendo a posse da nova ministra.

Toga

A estas alturas, com todo o desgaste que o episódio ainda possa acarretar, é o melhor que o governo faz.

Somente diante de um governo fraco tantos magistrados se arvoram de tomar a caneta do presidente como estão fazendo agora.

Se o presidente abrir mão de sua prerrogativa constitucional de nomear e exonerar ministros – arcando, naturalmente, com as consequências das escolhas – o seu governo acaba bem antes do fim.

Prejuízo

Apenas durante o ano passado, o sistema de transporte coletivo de Teresina perdeu 12 milhões de passagens, ou seja, um milhão de passagens a cada mês. O levantamento foi feito pela Strans.

A redução na quantidade de passageiros é um dos itens observados na fixação do valor da tarifa.

Quanto mais passageiros, menor a tarifa.

 

 

* O deputado Luciano Filho (PSDB) vai tomar a rota do litoral, para um encontro político com o prefeito de Parnaíba, Mão Santa.

* O tucano quer trocar idéias com o prefeito sobre sua pré-candidatura a governador pelas oposições.

* O novo contrato para a retomada das obras da galeria da zona Leste de Teresina será de R$ 53 milhões.

* Seis construtoras estão disputando o contrato na nova licitação aberta pela Prefeitura.

* As três empreiteiras que venceram as primeiras licitações entregaram o serviço e abandonaram o canteiro de obras.

 

Heráclito fez escola

Do coordenador da bancada federal do Piauí, Átila Lira (PSB), sobre a reclamação do deputado Heráclito Fortes (Sem partido) de que o senador Ciro Nogueira (Progressistas) está fazendo festa com as emendas dos colegas de bancada:

- No passado, o Heráclito era o Ciro!