Cidadeverde.com

Condenados em 2ª instância põem as barbas de molho

Os condenados em segunda instância começam a ir para a cadeia. O deputado federal João Rodrigues (PSD-SC) foi preso na quinta-feira passada pela Polícia Federal, no aeroporto de Guarulhos, na região metropolitana de São Paulo.

O parlamentar Rodrigues foi detido apenas dois dias após a 1ª. Turma do Supremo Tribunal Federal ter decidido por sua prisão imediata.

A PF informou que o deputado, que estava nos Estados Unidos, modificou sua passagem aérea, alterando o destino final do Brasil para o Paraguai.

Os investigadores brasileiros contaram com a ajuda de colegas norte-americanos e paraguaios na ação. O prazo dado para execução da pena prescreveria amanhã (12).

De acordo com a polícia, "com receio" de que isso ocorresse, o fato foi comunicado ao ministro Alexandre de Moraes, presidente da 1ª.Turma do STF, que autorizou a inclusão do nome do parlamentar no banco de dados da Interpol. Assim, o deputado foi impedido de entrar no Paraguai.

As autoridades, então, o embarcaram, em Assunção, em um "voo rumo a Guarulhos, onde foi preso", informou a PF, em nota.

Camburão

Depois dessa prisão, são muitos os condenados em segunda instância que estão agora com os nervos à flor da pele. Só na Lava Jato são aproximadamente 20.

Portanto, a prisão do deputado João Rodrigues deixa muita gente com as barbas de molho, com medo do camburão da polícia, que já está com a sirene ligada.