Cidadeverde.com

O céu é aqui, no Piauí!

Dos 81 senadores eleitos em 2010 e 2014, cinco renunciaram, três morreram, dois foram cassados e outros 25 chegaram a se afastar do mandato. Desde então, 41 suplentes assumiram o cargo em algum momento da legislatura. Os dados são de um levantamento feito pelo G1.

O principal motivo para o afastamento foi a nomeação para cargos políticos no Executivo, como um ministério ou uma secretaria. Pelo menos 15 senadores titulares saíram temporariamente do Legislativo por esse motivo.

Olha o Piauí aí, gente!

O Piauí aparece nesse levantamento. O senador Wellington Dias, da safra de eleitos em 2010, renunciou ao mandato ao se eleger pela terceira vez para o Governo do Piauí, em 2014. Ele foi substituído no Senado pela suplente Regina Sousa.

Em resumo: o Senado virou uma Assembleia Legislativa do Piauí. Só na atual legislatura, 15 suplentes foram convocados para o exercício do mandato de deputado estadual no Piauí.

Proporcionalmente, na Assembleia do Piauí foram convocados mais suplentes do que no Senado. Lá, para atingir a metade da Casa só com suplentes, tiveram que contar duas legislaturas. Aqui, chegou-se a 50% em apenas uma, a atual.

No Piauí, através de todo tipo de malabarismo político, foi chamado o suplente do suplente do suplente. O resultado é que ligeirinho se fez meia Assembleia só de suplentes.

Na política, existe quem pense que o Senado é o céu. É nada! O céu é aqui no Piauí!

 

 

Tô fora!

O deputado Dr. Pessoa, pré-candidato a governador, já deu o primeiro passo para a sua saída do PSD. Ele comunicou ontem que não apoiará a candidatura do presidente regional do partido, deputado federal Júlio César, ao Senado.

O assunto foi tratado ontem, no encontro com a bancada, na sede do partido, na zona Leste de Teresina.

Balanço

O coordenador da Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal, ministro Edson Fachin, divulgou um balanço da operação no STF.

O tribunal tem, atualmente, 124 inquéritos e cinco ações penais da operação.

Apenas 6 ações

Na prática, são 123 inquéritos e seis ações penais: um dos inquéritos, contra Fernando Collor, já virou ação penal, mas a mudança ainda não foi oficializada no andamento do Supremo.

Dos inquéritos, 63 são relatados por Fachin e 61 foram redistribuídos para outros ministros.

Nem aí

Faltou o ministro divulgar também que essas ações e inquéritos no Supremo pouco preocupam os investigados.

Eles estariam com dores de cabeça se os processos estivessem em Curitiba, nas mãos do juiz Sergio Moro.

Na 1ª instância, os processos da Lava Jato correm; no Supremo, quando não andam devagar, simplesmente param.

Queda

Mais um tento do governo Michel Temer: caíram os gastos com cartões corporativos, usados nas repartições para bancar despesas menores e, historicamente, fonte de escândalos e dores de cabeça para o presidente da República.

Em 2017, os servidores consumiram R$ 49,7 milhões, o menor montante desde 2005, quando foram gastos R$ 42,3 milhões (valores corrigidos).

Corrida

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), comemorou ontem o resultado de uma pesquisa realizada com 2.800 investidores apontando a sua candidatura à presidência da República como a preferida de 38% ds entrevistados.

A pesquisa foi mais longe: apurou que 41% dos investidores acreditam que ele seria vitorioso.

Falta agora apenas combinar com o eleitor, que é quem decide a parada.

 

 

* Ciro Nogueira, Iracema Portella, Mainha, Dr. Pessoa, Júlio César, Merlong Solano, Luciano Nunes e tantos outros que concorrerão às próximas eleições passaram o carnaval nas ruas e nos clubes.

* O ex-governador Wilson Martins, que está de olho em uma cadeira no Senado, preferiu uma praia paradisíaca do Rio para passar a folia de Momo.

* O apresentador Luciano Huck jogou a toalha ontem: avisou que não será candidato a presidente da República.

* Ele não aguentou uma semana de “batismo” na mídia, que descobriu e revelou facilidades para concessão de empréstimos ao apresentador no BNDES.

 

Violência

A Campanha da Fraternidade 2018 aborda a questão da violência. Em seu lançamento, em Brasília, a presidente do Supremo, ministra Carmén Lúcia, apelou para que sejamos irmãos e não inimigos. O jornalista Alexandre Garcia comentou:

- Com 165 assassinatos por dia, somos irmãos como Caim & Abel.