Cidadeverde.com

Bandidos já estão em todo lugar

Foto: Marcos Corrêa/PR

O presidente Temer se reúne com os membros dos Conselhos da República e de Defesa Nacional, para discutir a intervenção no Rio

 

Para onde vão os bandidos dos morros com a intervenção militar no Rio de Janeiro? Esta indagação passou a ser feita com muita frequência depois do anúncio da decretação de intervenção federal na segurança do Rio.

Uma das vertentes críticas à medida avalia que, com o cerco militar aos morros do Rio, os bandidos fugirão para os estados vizinhos, como Espírito Santo, Minas e São Paulo.

É como se os demais Estados tivessem feito o dever de casa no quesito segurança pública e como se o problema da criminalidade fosse exclusivo do Rio.

Crime organizado

Ora, esse pessoal que cuida da segurança pública, e também nossos analistas de plantão, andam tão desconectados da realidade que esquecem que o crime já se nacionalizou há muito tempo.

Hoje a bandidagem é uma organização criminosa espalhada por todos os estados. No final de semana mesmo, mataram um chefão do PPC de São Paulo na Grande Fortaleza.

Aqui no Piauí também existe bandido do PCC. Ao que se sabe, nos presídios. Inclusive já houve ameaça de morte até o secretário de Segurança, Fábio Abreu, se mandou para Brasília para, na condição de deputado federal, pedir garantias de vida ao presidente da Câmara Federal.

Em resumo, antes, muito antes que a intervenção militar no Rio se efetive, os bandidos de lá e de São Paulo já espalharam seus tentáculos por todo o país.

 

 

Garantias

Por cautela, o Alto Comando do Exército está pressionando o presidente Michel Temer para tome a seguinte providência: que todos os poderes do interventor no Rio estejam descritos no decreto complementar ou em algum outro documento a ser aprovado pelo Congresso Nacional.

Para a alta patente da Arma, é uma questão de segurança jurídica.

Isto é, o seguro morreu de velho.

Aprovação

A intervenção militar no Rio é aprovada por mais de 80% dos cariocas. E se a moda pega?

Esse é o medo maior dos governadores que não apóiam a medida.

Intervençao no Piauí

No Piauí, o prefeito de Parnaíba, Mão Santa (SD), não esperou nem o Exército subir os morros e mandou um ofício ao presidente Michel Temer parabenizando-o pela intervenção federal no Rio de Janeiro.

O prefeito não ficou só nisso: fez um apelo para que o presidente adote a mesma medida no Piauí.

Em campanha

O prefeito de Parnaíba rasga o verbo: ele cita que o comandante geral da Polícia Militar, coronel Carlos Augusto, e o secretário de Segurança, deputado federal Fábio Abreu (PTB) são candidatos, respectivamente, à Assembleia Legislativa e à Câmara Federal e afirma que eles deixam a segurança pública entregue aos marginais.

Audiência

O presidente da Federação das Indústrias do Piauí – Fiepi, Zé Filho, participa hoje de audiência com o presidente Michel Temer e com presidentes das Federações das Indústrias de todo Brasil.

O objetivo do encontro será tratar das questões que envolvem a aprovação da reforma da Previdência no Congresso Nacional.

Na Confederação Nacional da Indústria, Zé Filho participa das reuniões da Diretoria e do Grupo de Trabalho Nordeste Forte.

Foto: Pablo Cavalcante/RCV

João Mádison: licença da Sefaz para criadores

Boi no pasto

O deputado João Mádison (MDB) informou que, em reunião com diretores da Secretaria de Fazenda, os criadores do Piauí alcançaram uma grande conquista.  

É que o trânsito de animais de uma fazenda para outra de um mesmo proprietário (mudança de pasto) era sempre um risco, quando não se tirava a nota fiscal.

Dispensa

Mas ficou decidido na Sefaz que o criador que tiver essa movimentação de animais com uma certa frequência pode agora encaminhar uma solicitação para transitar com dispensa de nota fiscal, com duração de tempo razoável.

O parlamentar informou também que está deixando a presidência da Associação Piauiense de Criadores de Zebu (APCZ) para se dedicar à campanha pela renovação de seu mandato na Assembleia Legislativa.

 

 

* A tramitação da reforma da Previdência na Câmara está oficialmente suspensa, em razão do decreto de intervenção federal no Rio de Janeiro.

* A Constituição proíbe que lhe sejam feitas emendas durante a vigência de uma intervenção federal em algum estado, e a reforma da Previdência é uma PEC.

* O Brasil quer dar direito de voto a 3 milhões de venezuelanos. Uma temeridade!

* Ora, eles não souberam votar nem lá, pois puseram o Maduro no poder e hoje pagam as amargas consequências. 

 

Pena brasileira

Do humorista Fraga:

- Entre as penas alternativas no Brasil, a mais aplicada é o desemprego: já são 12 milhões de apenados.