Cidadeverde.com

Intervenção no Rio tem aprovação popular

As primeiras pesquisas de opinião pública realizadas até agora mostram que a população do Rio de Janeiro apóia a intervenção militar no Estado. Os índices de aprovação da medida variam de 70 a mais de 80 por cento.

E se a moda pega? Aí é que está o perigo. Os críticos da intervenção na segurança do Rio têm medo é disso.

Enquanto alguns governadores se posicionam contra a intervenção, em seus estados já existem vozes reivindicando a adoção da medida.

É o caso do Piauí. O primeiro a pedir intervenção no estado foi o prefeito de Parnaíba, Mão Santa (SDD), em ofício encaminhado diretamente ao presidente da República.

Ele justifica que os comandantes da polícia e da segurança no estado só pensam em eleição e não combatem a criminalidade.

Solução para todos

Outra voz que se levanta a favor da intervenção militar no Piauí é a do deputado estadual Robert Rios, ex-secretário de Segurança.

São duas vozes de oposição, ainda isoladas, por enquanto, e certamente não interpretam o sentimento da maioria dos piauienses.

Até porque a segurança no Piauí, conquanto provoque desassossego e intranquilidade em grade parte da população, não chegou ao nível caótico do Rio, do Ceará e de outros estados.

Entre os efeitos da intervenção no Rio, está, porém, este de os demais estados entenderem a medida como solução também para o resto do país.

 

Foto: Divulgação/Alepi

Jeová Alencar assina convênio com Themístocles

Juntos e misturados

Agora é que o prefeito Firmino Filho não perdoa mesmo o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Themístocles Filho (MDB).

O parlamentar assinou ontem um convênio com o presidente da Câmara Municipal de Teresina, vereador Jeová Alencar (PSDB) para garantir espaço aos vereadores na TV Assembleia.

Transperência

“É mais um espaço que os vereadores da capital terão para mostrar para a população de Teresina o seu trabalho e o que cada um está desenvolvendo. O cidadão verá da sua residência o trabalho do vereador que ele escolheu para representar”, explicou o deputado Themístocles Filho.

A bancada da oposição na Câmara deu quórum ao ato de assinatura do convênio.

E os terceirizados?

O deputado Luciano Nunes (PSDB) cobrou o pagamento dos funcionários terceirizados do Estado.

Segundo o parlamentar, os servidores estão há mais de dois meses sem receber os salários e o ticket alimentação e passam necessidades.

Luciano destacou que a situação é dramática, sobretudo para os que trabalham na UESPI, HGV, na Junta Comercial e no Detran.

Foto: Divulgação/Sesi

Planalto não desiste de reforma - O presidente do Conselho Nacional do Sesi, João Henrique Sousa, esteve ontem à tarde  no Palácio do Planalto, em companhia do presidente da Confederação Nacional da Industria (CNI), Robson Andrade, e de todos os presidentes das Federações das Indústrias dos Estados. Eles foram recebidos em audiência pelo presidente Michel Temer. João Henrique informou ao final do encontro que Temer disse aos empresários que o tema Previdência deixou de ser legislativo, mas que continua sendo uma pauta de governo. 

 

 

* Depois de muitas idas e vindas e muitos vexames, o PTB jogou a tolha e indicou um nome para substituir o da deputada Cristiane Brasil no Ministério do Trabalho.

* O ungido é o ministro interino do Trabalho, Helton Yomura, que será efetivado no cargo com o endosso do partido. Temer respira aliviado!

* O ministro Moreira Franco, um dos homens fortes do presidente, avisa que no Planalto não tem amador. E esse é que é o perigo!

 

Frente humanitária

A propósito da intervenção militar no Rio de Janeiro, criticada pela oposição e os partidos de esquerda, corre nas redes sociais:

- PT, PSOL, MST, MTST, PC do B, PCC e CV compõem a frente humanitária contra a intervenção.