Cidadeverde.com

A salvação da lavoura

O PT tem tudo para seguir os passos do PFL (atual DEM). É o que especula a mídia nacional. Após registrar o recorde de deputados federais eleitos (105, em 1998), o antigo pefelê elegeu 21 deputados em 2014, ou seja, encolheu 80% depois dos tempos de poder.

Há dois anos fora do governo, o PT segue a mesma trilha: dos 91 deputados em 2002, na eleição de Lula, caiu para 68, na reeleição de Dilma. Com Lula fora da disputa, as perspectivas para 2018 são desanimadoras.

A previsão do PT é sair da eleição deste ano com no máximo 30 deputados federais.  Nesse caso, através de um empate técnico, o partido fica do tamanho do PTB, com os atuais 25, e PDT, com 20 parlamentares.

O PT perdeu 60% das 630 prefeituras obtidas em 2012, despencando para as atuais 256 desde 2016, menos que as 265 prefeituras do DEM.

No Piauí não tem disso, não!

No Piauí, porém, a situação do Partido dos Trabalhadores é outra. Nas eleições municipais de 2016, o PT foi o que mais elegeu prefeitos no estado, depois do PP.

O Partido Progressista saiu de nove prefeituras em 2012 para 40 em 2016, enquanto que o Partido dos Trabalhadores partiu de 21 para 38, no mesmo período.

De 2017 para cá, usando a caneta do poder no Estado, o partido arrebanhou mais uma dezena de prefeitos de outras siglas.

Ou seja, se no resto do país o PT derrete e encolhe, no Piauí o partido faz o caminho inverso e se faz cada vez mais musculoso, tornando-se a salvação da lavoura. 

 

Foto: Divulgação

Deputados pedem ao TCE informações sobre empréstimos do governo

Onde está o dinheiro?

Os deputados Robert Rios (PDT), Marden Menezes (PSDB), Rubem Martins e Gustavo Neiva, do PSB, que formam a bancada de oposição ao Governo Wellington Dias (PT) na Assembleia Legislativa, bateram ontem à porta do Tribunal de Contas do Estado.

Os parlamentares foram em busca de informações sobre os recursos recebidos pelo Governo do Estado através de empréstimos junto à Caixa Econômica Federal.

Os parlamentares pediram informações também sobre os empréstimos consignados.

Bacia

A governadora em exercício, Margarete Coelho, participou da solenidade de assinatura do acordo de cooperação técnica que estabelece o pacto para a gestão integrada dos recursos hídricos da Bacia Hidrográfica do Rio Parnaíba.

O pacto foi firmado entre a Agência Nacional de Águas, os estados do Piauí, Ceará e Maranhão e a Comissão Insterinstitucional do Comitê da Bacia Hidrográfica do Parnaíba (CBH – Parnaíba).

O ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, o senador Elmano Férrer e o deputado federal Átila Lira participaram do momento.

Caravana

O vice-presidente regional do MDB, João Henrique Sousa, encerra hoje a nova maratona de viagens da ‘Caravana Piauí em Movimento’.

As visitas começaram na quarta-feira. O ex-ministro conversa com representantes do MDB em 24 cidades das regiões de Floriano, Canto do Buriti e de São João do Piauí.

O objetivo é conversar com os presidentes e delegados do MDB nos municípios sobre a candidatura própria do partido ao Governo do Estado.

Desvio de função

Para o presidente nacional do PPS, deputado Roberto Freire, é grave o desvio de função no Supremo Tribunal Federal (STF)

- Alguns ministros deveriam se candidatar a um mandato político para que pudessem comentar a vontade os fatos políticos – sugere o parlamentar.

Foto: Reinaldo Barros Torres

Sem saque - Um caminhão carregado virou na madrugada de terça-feira passada, dia 20, na cidade de Esperantina. Para alívio dos encarregados da carga, ela não foi saqueada. A carga era de livros didáticos!

 

 

* A Federação das Indústrias do Piauí – Fiepi realiza hoje, às 15hs, na sede da instituição, mais um Encontro Empresarial.

* Desta vez, com o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES, Paulo Rabello de Castro. 

* O deputado federal Heráclito Fortes (Sem partido) está se mexendo para acompanhar a visita do governador Wellington Dias à Europa.

* Em Brasília, avançam as articulações pelo retorno do ex-governador Zé Filho ao MDB. 

 

Nova disciplina

O ministro da Educação, Mendonça Filho, solicitou à AGU, ao TCU, à CGU e ao MPF apuração de improbidade administrativa por parte dos responsáveis pela criação da disciplina “O golpe de 2016 e o futuro da democracia no Brasil”, na Universidade de Brasília. Para o ministro, trata-se de fazer proselitismo político e ideológico de uma corrente política usando uma instituição pública de ensino. Ele ataca:

- Faço uma pergunta pública à ex-presidente Dilma: em nome da autonomia universitária, ela defenderia a criação de uma disciplina intitulada "O PT, o petrolão e o colapso econômico do Brasil"?