Cidadeverde.com

Coluna do Zózimo: Wellington Dias não repete vice

Foto: Divulgação

Margarete, Themístocles e Wellington Dias

Já na marcha contra o calendário eleitoral, que exige decisões e definições políticas, intensificam-se as especulações sobre a escolha do companheiro de chapa do governador Wellington Dias em 2018.

Até antes do carnaval, o nome da vez era o do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Themístocles Filho, indicação da bancada estadual do MDB e do presidente regional do partido, deputado federal Marcelo Castro.

A partir da quarta-feira de cinzas, passou-se a dizer que o PP do senador Ciro Nogueira recuperou o fôlego na indicação da candidatura de vice-governador.

O certo é caberá ao governador Wellington Dias bater o martelo sobre a questão, no prazo que julgar apropriado, depois de pesar e medir as consequências.

Um vice em cada eleição

É fato, porém, que, a caminho de disputar o quarto mandato de governador, Wellington Dias não tem repetido vice. Em cada eleição, ele se apresenta com um companheiro de chapa diferente.

Wellington ganhou a sua primeira eleição para o Palácio de Karnak, em 2002, tendo o comunista Osmar Júnior (PCdoB) como seu companheiro de chapa.

Na reeleição, em 2006, seu vice já era outro, o deputado estadual Wilson Martins, presidente regional do PSB e que acabou assumindo o governo na última hora e se elegeu governador em 2010.

Na busca do terceiro mandato, em 2014, Wellington já foi buscar outro vice, agora nas hostes do PP, recaindo a escolha sobre o nome da então deputada estadual Margarete Coelho. Ela, com o apoio de seu partido, procura se manter na cadeira.

Ao contrário, no entanto, das vezes anteriores, quando seu vice foi escolhido sem traumas, desta vez Wellington terá que bater cabeça para fazer a opção entre o PP ou MDB sem provocar abalos em seu palanque. São dois partidos de peso de sua base que estão decididos a não abrir mão de suas indicações.