Cidadeverde.com

Um gol de placa!

Fotos: Cidadeverde.com e acervo Dídimo de Castro

A capa do novo livro de Dídimo de Castro

Um gol de placa o novo livro de Dídimo de Castro, intitulado Na trajetória dos noventa – Uma história de trabalho e paixão pelo Rádio/TV e o Esporte.

O lançamento da obra foi feito na sexta-feira passada, no Salão de Eventos do Sesc Ilhotas, em uma sessão de autógrafos que se assemelhou a um clássico de futebol, pela grande presença de público no local.

Eram esportistas, políticos, empresários, colegas do autor e tantos outros cuja simpatia e admiração ele angariou no decorrer de sua longa e exemplar jornada profissional.

O livro, cujo título vem de seu conhecido bordão no rádio, durante a transmissão dos jogos de futebol, traz as memórias de Dídimo de Castro.

A jornada de Dídimo

A narrativa começa com o registro de seus primeiros passos em família, em Esperantina, Batalha, Piracuruca, Parnaíba e Teresina; seguem com o início de sua carreira no rádio e se prolonga pela sua entrada na TV e a carreira de bancário.

Também conta sobre seus ídolos no esporte, os grandes clássicos do futebol brasileiro, a sua presença em 57 jogos da Seleção Brasileira, as homenagens recebidas, sua atuação na vida pública e sua luta pela valorização profissional do cronista esportivo e do esporte, entre elas a campanha pela construção do estádio Albertão.

Há um capítulo especial ainda contando a sua relação com Carlos Said, o Magro de Aço, que lhe abriu as portas para a profissão. Há 55 anos estão juntos. Mais que um vínculo profissional duradouro e admirável, uma profunda relação de amizade.

Outro capítulo é sobre o apoio que  a equipe de esportes da Rádio Pioneira recebe do empresário João Claudino e do Armazém Paraíba, há meio século. Na verdade, um case, pois se trata de um recorde na propaganda.

Tudo isso com fotos e outras imagens ilustrativas que o autor guarda em seu rico acervo, em parte apresentado ao público na exposição que ocorreu durante o lançamento do livro.

Com 233 páginas, em fino acabamento gráfico, o novo livro de Dídimo de Castro – já autor de dez publicações sobre o esporte, entre livros e revistas, destacando-se no plano nacional Gol Contra da Imprensa Esportiva - é importante não só porque conta como tudo começou, mas, sobretudo, porque “é recheado de histórias e casos que só alguém como ele poderia contar”, como destaca o jornalista, professor universitário e advogado Fernando Said, no prefácio da obra.

 

Dídimo no inicio da carreira; com a equipe de esportes da Pioneira e no banco

Livro quase não sai

De fato, é um livro cuidadosamente escrito por um dos mais zelosos e competentes profissionais da imprensa do Piauí e uma figura humana excepcional, um exemplo a um só tempo de dedicação e entusiasmo ao seu ofício e também de correção moral, daí a legião de ouvintes e telespectadores que se tornaram seus admiradores dentro e fora de campo.   

Por algum tempo, Dídimo de Castro – dedicado cronista esportivo da Rádio Pioneira e do Grupo de Mídia Cidade Verde – hesitou em escrever seu novo livro, imaginando que “a vida e a carreira de um simples radialista do Piauí” talvez não merecesse ser contada em livro.

É que, apesar de todo o seu sucesso profissional e de sua tarimba, ele não perdeu a timidez nem a simplicidade do garoto vindo de Esperantina. E isso explica plenamente a sua hesitação inicial.

Todos sabemos que, a despeito de seu apelido – Pequeno Polegar, que lhe foi carinhosamente atribuído no início da carreira pelo Magro de Aço, mestre de todos nós – Dídimo de Castro é um gigante!

 

 

Dídimo com Dom Avelar; em Santiago, na Copa do Chile, e com o mestre, Carlos Said.