Cidadeverde.com

Violência explode no Nordeste

Foto: Jorge Bastos/CCom

Governador reúne equipes de Segurança e Justiça

 

Nos últimos 10 anos, sete dos nove Estados nordestinos apareceram pelo menos uma vez entre os quatro mais violentos do país: Alagoas, Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Sergipe. Curiosamente, os Estados que não ingressaram são justamente os mais próximos ao Norte: Piauí e Maranhão. 

Ao longo desse período, o número de homicídios no Nordeste cresceu 58%, saltando de 15.706 assassinatos, em 2007, para 24.825 em 2016. Alagoas foi o líder nacional de assassinatos por oito anos, entre 2007 e 2014.

Nesse período, Alagoas atingiu, em 2011, a maior taxa de assassinatos já registrada por um Estado no país: 73,6 assassinatos por cada 100 mil habitantes – no país, a taxa foi de 24,3 por 100 mil naquele ano.

Os dados são do anuário do Fórum Brasileiro de Segurança Pública e foram divulgados no final do ano passado. O Mapa da Violência coloca seis Estados do Nordeste no ranking dos dez campeões em taxa de CVLI – sigla que designa Crimes Violentos Letais Intencionais, que agrega as ocorrências de assassinatos, incluindo homicídio doloso, latrocínio e lesão corporal seguida de morte.

Pacto Nordeste

A explosão da violência no Nordeste será discutida amanhã, em Teresina, pelos governadores da região. Será o primeiro encontro deles depois da intervenção federal no Rio de Janeiro e da criação do Ministério Extraordinário da Segurança Pública.

O governador Wellington Dias esteve reunido no final de semana com  as equipes de Segurança Pública e Justiça do Piauí para tratar do planejamento da reunião, da qual participarão também os secretários de Segurança e Justiça.

Wellington Dias afirmou que a intenção é fazer um Pacto Nordeste de Segurança.  Os governadores da região defendem um projeto de abrangência  nacional, com a criação de um Fundo  Nacional de Segurança e de um Sistema Único de Segurança.  (Com informações da CCom e do Uol)

 

 

Foto: Zózimo Tavares

Dídimo de Castro com os juízes Luis Moura e João Bittencourt

Lançamento

Foi dos mais prestigiados o lançamento do novo livro do jornalista e radialista Dídimo de Castro, intitulado “Na trajetória dos noventa”.

A sessão de autógrafos foi na sexta-feira à noite, no Salão de Eventos do  Sesc Ilhotas.

De desportistas a atletas, de políticos a autoridades e de empresários a profissionais de comunicação, todos marcaram presença no lançamento.

A dúvida do PP

A coluna Radar, da revista Veja, informa que o PP do senador Ciro Nogueira, antes fechado com a candidatura do presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM), deu sinais de que ficará com o presidente Michel Temer na corrida ao Planalto.

A dúvida do PP de ser porque os dois – Temer e Maia – estão empatados nas pesquisas de intenção de voto.

De fato, o páreo é duro, pois cada um tem 1% das preferências do eleitor.

Meia volta

O deputado Dr. Pessoa não chegou aos finalmentes com a Rede. Ele desistiu de ingressar no partido depois que recebeu da direção nacional a informação de que não teria o comando da sigla no Piauí.

O parlamentar abriu conversações com o PPS, que está com um pé no governo Wellington Dias.

Migração de bandido

“Toda vez que se tem uma ação forte em outros estados, a exemplo de São Paulo e Rio de Janeiro, a tendência é que estes criminosos migrem para outras regiões do país”, observa o governador Wellington Dias.

Por isso, ele defende um plano de ação forte  e estratégico para combater o crime de forma integrada, e afastar as organizações criminosas que chegam à região.

Bandido bom

Metade da população brasileira acha que “bandido bom é bandido morto”, segundo pesquisa do Ibope.

Um país que acredita ser esse o caminho para combater a violência não tem a menor noção do que seja paz.

Votar em um candidato a qualquer cargo que preste, por exemplo, poucos querem.

Nem desconfiam que por aí já pode começar a redução da criminalidade.

Foto: Divulgação

 

O querido - Aliados e adversários já fizeram as contas: o senador Ciro Nogueira (PP) é o único parlamentar da bancada federal do Piauí que recebe convite do prefeito Firmino Filho para acompanhá-lo em suas andanças pela cidade.

 

 

* O ministro da Fazenda, Henrique Meireles, começou a limpar as gavetas. Ele deixa o cargo em um mês, para efeito de desincompatibilização.

* Ele sonha subir a rampa do Planalto com 1 por cento nas pesquisas de intenção de voto para presidente.

* Depois do senador Ciro Nogueira, presidente do PP, é a vez do deputado federal Heráclito Fortes – a caminho do DEM – esbanjar prestígio na República.

* Nos próximos dias, o deputado trará ao Piauí o ministro Moreira Franco, que, por sinal, é teresinense.

 

Tchau, querida!

Do MDB nacional, ao comemorar nas redes sociais a notícia de que o PIB brasileiro cresceu 1% em 2017 e confirma o fim da recessão:

- Tchau, crise!