Cidadeverde.com

Teresina entre as 50 cidades mais violentas

Teresina está entre as 50 cidades mais violentas do mundo. Na ponta da lista, mas está. Ela ocupa o 48º lugar no ranking da organização não-governamental mexicana Segurança, Justiça e Paz, que faz o levantamento anualmente, com base em taxas de homicídios por 100 mil habitantes.

A pesquisa foi divulgada esta semana e nela o Brasil aparece como o país com o maior número de cidades entre as 50 áreas urbanas mais violentas do mundo.

São 17 cidades brasileiras com mais de 300 mil habitantes listadas no ranking, que é encabeçado pela mexicana Los Cabos (com 111,33 homicídios por 100 mil habitantes em 2017) e pela capital venezuelana, Caracas (111,19).

Natal, no Rio Grande do Norte, aparece em quarto lugar, com 102,56 homicídios por 100 mil habitantes - para se ter uma ideia, a Organização Mundial da Saúde (OMS) considera uma taxa acima de 10 homicídios por 100 mil habitantes como característica de violência epidêmica.

As mais violentas

Outras cidades brasileiras que aparecem no ranking são Fortaleza (CE), Belém (PA), Vitória da Conquista (BA), Maceió (AL), Aracaju (SE), Feira de Santana (BA), Recife (PE), Salvador (BA), João Pessoa (PB), Manaus (AM), Porto Alegre (RS), Macapá (AP), Campos de Goycatazes (RJ), Campina Grande (PB) e Vitória (ES).

Nessa pesquisa das 50 cidades mais violentas do mundo, apenas duas aparecem com menos assassinatos que Teresina: Vitória, no Espírito Santos, e Cúcuta, na Colômbia.

Mas a posição de Teresina melhorou em relação ao ano passado, quando a cidade figurou na pesquisa na 38ª posição, com uma taxa de 42,84 assassinatos por 100 mil habitantes. Agora é de 37,05. Também caiu do 13º para o 14º lugar entre as cidades brasileiras e continua como a menos violenta do Nordeste.

Fortaleza, em especial, é destacada no relatório por sua taxa de homicídios ter subido 85% entre 2016 e 2017 - de 44,98 para 83,48.

Imagem: Reprodução

O mapa das cidades mais violentas do mundo

 

Foto: Divulgação

Margarete Coelho faz palestra na Universidade Federal do Paraná

Elas na política

A vice-governadora Magarete Coelho fez ontem, no Salao Nobre da Faculdade de Direito da UFPR, a palestra inaugural do II Curso de Iniciação à Formação Política para Mulheres.

Bolsonaro no PSL

O deputado federal Jair Bolsonaro filiou-se ontem ao nono partido de sua carreira política. Agora ele é do PSL, mas já foi do PDC, PPR, PPB, PTB, PFL, PSC e PEN.

Ele foi eleito para o seu sétimo mandato de deputado federal, em 2014, pelo PP.

Cassação

Os ministros do STF decidiram ontem que deve continuar valendo a regra atual: só o TSE pode cassar diploma e decretar perda do mandato de deputados, senadores e governadores.

Uma ação do PDT questionava o fato de os Tribunais Regionais Eleitorais não terem essa prerrogativa.

Foto: Divulgação

João Henrique ouve os "Canarinhos de Brasília"

Arte

O ex-ministro João Henrique Sousa deu um tempo ontem nas atividades políticas. Como presidente do Sesi, ele acompanhou ontem à tarde a apresentação musical dos jovens do Instituto José Maurício Nunes Garcia, no Conselho Nacional do Sesi. 

As 150 crianças e adolescentes carentes da comunidade São Sebastião, do Distrito Federal, que fazem parte do projeto Oficinas de Aperfeiçoamento Artístico-Cultural, conhecidos pelo público brasiliense como os 'Canarinhos de Brasília', receberam apoio do Sesi para as aulas de música, bem como para a manutenção e aquisição de instrumentos musicais.

Jogo do bicho

Surpresa: o projeto de lei que defende a regulamentação dos jogos de azar e a instalação de cassinos no Brasil foi rejeitado ontem pelos membros da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado.

A proposta foi apresentada pelo senador Ciro Nogueira (PP).

A derrota

Senadores criticaram o relatório apresentado por Benedito de Lira (PP-AL), que sugeriu que a criação de leis específicas para o setor poderia diminuir os problemas causados pela exploração clandestina das apostas.

Ao final, 13 senadores votaram contra a proposta, enquanto apenas dois se posicionaram de forma favorável: o próprio relator, Benedito de Lira, e Ivo Cassol (PP-RO).

Netinhos

O Instituto de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos do Estado do Piauí (Iaspi) volta a incluir dependentes netos nos planos Iaspi/Saúde e Plamta.

Esse tipo de inclusão, que já havia sido aberta em 2014, no Governo Zé Filho, estava fechada desde o início da atual administração, e será retomada agora.

Foto: Divulgação

Mulher na Constituinte - Mulher na Constituinte -A propósito da passagem do Dia da Mulher, a Agência Senado traz uma reportagem especial com as 28 constituintes que participaram da elaboração da Constituição de 1988. Ontem, elas receberam em Brasília o Prêmio Bertha Lutz, pela participação na elaboração da nova Carta. O Piauí teve apenas uma representante na Assembleia Nacional Constituinte, a deputada federal Myriam Portella (PDS). Eis um trecho de um pronunciamento dela, destacado pela Agência Senado:

“A questão urbana é tão importante quanto a questão agrária. (...) Ambas têm em comum um ponto fundamental: a propriedade e o uso do solo. (...) Para o poder econômico, expressões como 'finalidade social', 'interesse social', 'necessidade' ou 'utilidade pública' são coisas vagas, difusas (...). Por isso, (...) quando se estipula como será alcançada essa função social, (...) mexendo, portanto, no patrimônio dos grandes proprietários, a coisa muda e a reação é imediata."  (21 de agosto de 1987)

 

 

* O secretário de Cultura, Fábio Novo, entrega hoje, às 19 horas, totalmente reformada, a nova Escola Estadual de Teatro Gomes Campos, na Rua Jônathas Batista, ao lado do Verdão.

* A Prefeitura de Teresina iniciou a restauração asfáltica da Avenida Jockey Clube. Os serviços devem ser concluídos até o final de abril.

* O deputado Ismar Marques está trocando o PSB pelo MDB. O seu colega Wilson Brandão conta os dias para deixar o PSB e se filiar ao PP.

* Assim, a bancada socialista na Assembleia encolhe para apenas dois deputados: Gustavo Neiva e Rubem Martins.

 

Dívidas

Do humorista Fraga:

- Quem não acumula dívidas tem todo o direito de falar o que não deve.