Cidadeverde.com

Deputado sem mordomia e com salário baixo

Imagine um lugar onde deputado não tem carro oficial. Tampouco tem uma vaga reservada apenas para ele na sede do parlamento.

Nesse lugar, se não estiver de carona, o deputado só tem uma maneira de chegar ao parlamento com motorista: é se ele pegar o ônibus coletivo que conduz a população para o centro da cidade.

Uma exceção para transitar em carro de representação é feita apenas ao presidente do Parlamento.

Mas ele só tem direito a essa regalia se for a um evento na condição de presidente da Câmara e não a título pessoal.

Tem mais: nesse lugar, a política é considerada como um envolvimento popular. Portanto, não existe deputado profissional. Todos os políticos são obrigados a ter emprego.

Mas, para não atrapalhar o emprego de cada um dos 100 representantes do povo, as sessões do Parlamento são realizadas no final da tarde, quando o expediente já terminou.

Também durante os anos em que estão no “poder” não podem contratar parentes e recebem um vale para fazer duas refeições por mês.

O auxílio-moradia não faz parte dos benefícios. Ao final de quatro anos de mandato, os deputados não ganham uma aposentadoria.

A remuneração

Esse lugar existe! É a Suíça, um dos países mais ricos do mundo. O país é um dos pilares de um sistema financeiro mundial que guarda em seus cofres trilhões de dólares.

Em Genebra, um deputado chega a receber por ano cerca de 30 mil francos suíços, o equivalente ao pagamento médio atribuído a um artista de circo ou a um ajudante de cozinha, postos ocupados em grande parte por imigrantes.

O pagamento a um membro do Parlamento de Genebra é bem inferior à média de um salário de um fabricante de queijo, menor que a renda de um mecânico de carros na Suíça, de uma secretária, de um policial, de um carpinteiro, de uma professora de jardim de infância, de um metalúrgico e de um motorista de caminhão.

Enquanto isso...

No Brasil, o salário de um deputado estadual chega a R$ 25.300 por mês em São Paulo, por exemplo.  Além disso, os parlamentares brasileiros têm direito a uma verba mensal (o chamado “cotão”), que pode superar R$ 30 mil, para custeio de gastos de alimentação, transporte, passagens aéreas e despesas de escritório.

Essas regalias e tantas outras mordomias concedidas de mão beijada aos parlamentares brasileiros já estão tão naturalizadas que ninguém mais estranha.

O estranho seria o Brasil querer um parlamento igual ao da Suíça. (Com informações do Estadão)

 

 

Zorra

Na República, uma bobagem atrás da outra, a divertir ou enfurecer as plateias, como nas arenas romanas.

Em decisões monocráticas, ministros do Supremo tiram a competência do presidente da República.

Não se pode escolher ministros, pode-se ter o sigilo bancário quebrado e se reedita indulto natalino.

Mais zorra

Na outra ponta, por qualquer indisposição, já se vai levantando a ideia do impeachment de ministro do Supremo.

É um país que não se dá a respeito!

Conexão

O presidente do Conselho Nacional do Sesi, João Henrique Sousa, encerrou ontem sua viagem aos Estados Unidos com uma visita ao governador do Colorado, John Hickenlooper. Ele recebeu apoio à iniciativa de patrocinar, no programa de intercâmbio - Conexão Mundo, 500 jovens matriculados na rede Sesi e Senai de educação.

O intercâmbio permite, além da capacitação do idioma inglês, vivência, visão de mundo diferenciada e fortalecimento das relações, bem como criação de redes.

Foto: Divulgação/CN-Sesi

Governador do Colorado com João Henrique

Pensa, Piauí!

O Plenário da Assembleia Legislativa recebe amanhã e em 22 de março o evento Seminário Pensar Piauí – Prosperidade Agora, que vai discutir temas como economia, segurança, saúde e educação.

O evento está sendo organizado pelo deputado e líder do Governo na Casa, João de Deus (PT).

Empréstimo

O deputado Robert Rios (PDT) disse que o governo excluiu o Tribunal de Contas do acesso online às contas do Estado e que os empresários que construíram obras com recursos de outras fontes retificaram as notas fiscais.

São irregularidades que ele aponta na prestação de contas da primeira parcela do empréstimo de R$ 615 milhões junto à Caixa Econômica Federal.

Caveira de burro

Pelo visto, desenterraram a cabeça de burro que enfiaram na Avenida Duque de Caxias, na zona Norte de Teresina. As obras foram retomadas.

A avenida é um dos corredores do novo sistema de tráfego da cidade.

Foto: Divulgação

Batalha do Jenipapo - O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Themístocles Filho (MDB), recebeu ontem um diploma de Honra ao Mérito de Bravura e Heroísmo Combatentes na Batalha do Jenipapo, entregue  pela Academia  de Letras de Campo Maior. A homenagem foi feita em alusão aos 195 anos da Batalha do Jenipapo, com o objetivo destacar nomes de personalidades que lutaram pelo reconhecimento e inserção da data 13 de março de 1823 na Bandeira do Piauí. A solenidade foi presidida pelo presidente da academia, João Alves Filho. Além do deputado, também foram homenageados o ex-deputado estadual Homero Castelo Branco e os escritores Adrião Neto e Antenor Rego Filho.

 

 

* O deputado Luciano Nunes (PSDB) participou ontem, no Rio Grande do Sul, do lançamento da 22ª Conferência Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais.

* O evento acontece no mês de maio, em Gramado, e tem como tema central “Os desafios de um novo Brasil”.

* Luciano é o atual presidente da União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale), entidade que promove a conferência.

* O presidente do PT, deputado Assis Carvalho, está tocando fogo na base governista, com a ideia da chapa pura proporcional.

* O discurso do prefeito Firmino Filho é o de quem não vai arredar pé do Palácio da Cidade para ser candidato nas eleições deste ano.

 

Modus operandi

Do humorista Fraga:

- Reverência é a puxação de saco a seco; bajulação é o puxa-saquismo com saliva.