Cidadeverde.com

Dilma mete Wellington Dias em saia justa

A declaração da ex-presidente Dilma Rousseff, negando-se a dividir um palanque com o presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira, põe o governador Wellington Dias e o PT do Piauí em uma saia justa.

Segundo a jornalista Cristiana Lobo, essa foi uma das alegações da ex-presidente para descartar a opção de ser candidata a senadora pelo Piauí. Ela vai concorrer por Minas Gerais, depois de transferir seu domicílio do Rio Grande do Sul.

Dilma ressalvou que nada tem contra o Piauí, mas jamais subiria ao mesmo palanque com o senador. Ela ainda guarda mágoas de Ciro Nogueira ao avaliar que o PP – hoje Progressistas – foi o último partido de sua base a abandoná-la para cavar o seu impeachment.

A mágoa de Dilma era também a mesma de boa parte do PT até pouco tempo. O senador Ciro Nogueira e sua mulher, a deputada federal Iracema Portella, passaram a ser os principais alvos dos petistas no Piauí. Acusados de golpistas, eles eram vaiados por onde passavam. O senador recebeu vaia até na ausência, apenas por ter seu nome citado em solenidade.

A volta por cima

Depois, já homem forte do governo Temer, Ciro Nogueira andou declarando que seu candidato ao Planalto seria o ex-presidente Lula. Claro que se tratava de uma estratégia sua para acalmar os petistas. De certo modo, ela funcionou. As vaias cessaram.

A chave 14 que o senador aplicou no PT do Piauí funcionou tão bem que hoje ele é o candidato número 1 do governador Wellington Dias ao Senado. O governador ainda está em dúvida quanto ao número 2, embora a senadora Regina Sousa esteja na vez.

O jogo de cintura demonstrado tanto pelo senador quanto pelo governador são próprios da cena política. A propósito, os dois são craques nisso.

No final de semana, se, de um lado, a ex-presidente Dilma criou algum desconforto para o governador, com sua declaração contra o senador Ciro Nogueira, de outro, o ex-presidente Lula – que é quem conta, afinal, no PT – encheu a bola de Wellington, chamando-o de o índio mais sabido do Brasil.

Dilma não se mostrou nem se mostra afeita a esse tipo de jogada, razão principal de sua queda da presidência.

 

Foto: Cidadeverde.com

Barragem do Bezerro, em José de Freitas, ontem

Barragem do Bezerro

O Piauí está às voltas com mais um perigo de acidente ambiental. No final de semana, foi emitido o sinal de alerta máximo sobre a Barragem do Bezerro, em José de Freitas.

As últimas chuvas encheram o reservatório, que, por falta de manutenção, apresentou falhas em seu maciço, com vazamentos na parede e risco de arrombamento.

Força-tarefa

Uma força-tarefa foi mobilizada para evacuar a área e realizar serviços emergenciais para evitar o acidente.

Com a ajuda do Exército, a Defesa Civil retirou mais de 40 famílias da área que fica abaixo do açude.

O Corpo de Bombeiros e o Instituto de Desenvolvimento do Piauí (Idepi), além da Prefeitura de José de Freitas, participam da ação.

Algodões

Toda essa mobilização faz sentido. Há nove anos, o Piauí viveu a maior tragédia ambiental de sua história, com o rompimento da Barragem de Algodões, no município de Cocal da Estação.

Então, todo cuidado é pouco. Daí a situação é de alerta máximo na Barragem do Bezerro.

Cavalo de pau

A saída do senador Elmano Férrer do MDB é o que se pode chamar de ‘cavalo de pau’ na política. Ele filiou-se, ao Podemos sem avisar, no sábado, último dia de vigência da ‘janela partidária’.

O senador se coloca agora como uma opção para disputar o Governo do Estado pela oposição.

A lembrar que ele não tem nada a perder, pois ainda tem quatro anos de mandato.

Balanço

Na Assembeia Legislativa, o PSD perdeu dois deputados – Dr. Pessoa, agora no SD, e Edson Ferreira, que foi para o PSDB.

No PTB, o deputado Hélio Isaias foi para o Progressistas e a deputada estadual Liziê Coelho filiou-se ao MDB.

O PDT teve uma baixa de dois parlamentares – Robert Rios, que está no DEM, e Ziza Carvalho, agora no PT.

O PSDB perdeu para o Progressistas o deputado Firmino Paulo, que era presidente regional da sigla.

O PSB perdeu o deputado Wilson Brandão para o Progresistas e recebeu a deputada Juliana Moraes Sousa, que não disputa a reeleição.

Mais um

Agora é que o ex-presidente Lula não terá sossego. A Justiça Federal em Brasília marcou para o dia 21 de junho o interrogatório dele no processo da Operação Zelotes, que apura irregularidades na compra de caças suecos durante o governo Dilma Rousseff.

Lula é réu no processo, junto com um dos filhos, por supostos tráfico de influência, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

O ex-presidente sempre negou as acusações.

Ficha não caiu

Do Blog do Noblat: “Ainda não caiu a ficha de Lula. Levará mais algum tempo para cair, e ele dar-se conta de que permanecerá preso. Por ora, está indignado. A fase do choro e do inconformismo será a seguinte. Só depois, a da resignação, sem perder a esperança na liberdade.”

 

 

* Faleceu ontem, em Teresina, o auditor fiscal aposentado da Receita Federal, João Soares da Costa. Ele foi vítima de um infarto e estava internado há quase quarenta dias com problemas cardíacos.

* O PT avalia a transferência de sua sede nacional para Curitiba enquanto durar a prisão do ex-presidente Lula.

* Não seria descabido sugerir também a transferência do Governo do Piauí para lá.

* O governador Wellington Dias estará hoje na capital do Paraná para visitar Lula e não vai sair de lá no período do cárcere.  

 

 

Às pressas

Do presidente regional do MDB, deputado federal Marcelo Castro, sobre a surpreendente saída do senador Elmano Férrer da sigla, no sábado:

- Imagino que a causa foi de emergência, pois não deu tempo nem de ele comunicar ao partido a sua desfiliação.