Cidadeverde.com

Oposição pensa em mais um nome para o governo

A pesquisa de intenção de voto do Instituto Opinar foi o principal fato político do Piauí na semana passada. Os números foram divulgados pelo Grupo de Mídia Cidade Verde – TV, Rádio, Revista e Portal.

A sondagem mostrou o governador Wellington Dias em confortável posição na corrida sucessória, com 50% das preferências dos eleitores consultados.

A surpresa da pesquisa de intenção de voto para governador ficou por conta do fraco desempenho da oposição, que não conseguiu emplacar seus candidatos.

Os mais citados foram o deputado Luciano Nunes (PSDB) apareceu com 6,75%, e o senador Elmano Férrer (Podemos), com 5,73%. Estão tecnicamente empatados.

Em outras campanhas, por estas alturas, a oposição já tinha entre 25% e 35% das preferências, no mínimo.

Mais um candidato

O governador disse que o momento não é de calçar sapato alto, mas de trabalhar mais para merecer a confiança do eleitor nas urnas.

Luciano e Elmano também se mostraram animados e estão certos de que poderão crescer nas próximas pesquisas.

Após a divulgação da pesquisa, o deputado Robert Rios, pré-candidato a senador pelo DEM, no palanque de Luciano Nunes, com 8,9%, lançou a ideia de um terceiro candidato a governador pelas oposições, no caso o deputado Dr. Pessoa (SD), que está fazendo campanha para ser senador.

A tese de Robert Rios foi imediatamente abraçada pelo ex-governador Wilson Martins, que lidera a disputa para senador com 19,2%, na chapa do deputado tucano. Para Wilson, a oposição precisa de um candidato a governador com apelo popular, com o perfil do Dr. Pessoa.

Não ficou muito claro se Robert e Wilson estão de fato querendo fortalecer a campanha das oposições para o governo ou limpar a área para eles na disputa pelo Senado, tendo em vista que o Dr. Pessoa aparece em terceiro lugar na pesquisa para senador, com 15,3%.

Bipolarização

A tradição política do Piauí é ter a eleição para governador transformada em um Fla X Flu. Mesmo com mais de um candidato, a campanha fica sempre bipolarizada.

Observe: em 1982, Hugo Napoleão e Alberto Silva); em 1986, Alberto Silva e Freitas Neto; em 1990, Freitas Neto e Wall Ferraz; em 94, Mão Santa e Átila Lira; em 98, Mão Santa e Hugo Napoleão; em 2002, Wellington Dias e Hugo; em 2006, Wellington e Mão Santa; em 2010, Wilson Martins e Silvio Mendes; em 2014, Wellington e Zé Filho.

Então, com a tese de apresentação de um terceiro candidato a governador, fica no ar a ideia de que os maiores partidos de oposição precisam lançar três nomes para ver se eles dão um.

.

 

Ganhou, mas não levou

Várias categorias de servidores públicos estaduais ganharam, mas não levaram, os reajustes salariais concedidos este ano.

O governador Wellington Dias mandou projeto de lei para a Assembleia Legislativa propondo correção salarial para várias categorias.

Entre elas, está o magistério (6,81% - piso do professor – duas parcelas).

E mais 

Foram contemplados com mais 3,95% servidores da Secretaria de Educação, policiais militares, bombeiros militares, policiais civis, agentes penitenciários e procuradores do Estado. E o Ministério Público com 4,5%.

A Assembleia aprovou tudo, como o governo pediu.

Veto e derrubada

Acontece que o governador vetou todos os reajustes que ele mesmo propôs.

Ele justificou o veto alegando que, “em virtude do calendário eleitoral, é vedado fazer na circunscrição do pleito revisão geral da renumeração dos servidores públicos que exceda recomposição da perda de seu poder aquisitivo ao longo do ano da eleição a partir dos 180 dias que antecedem o pleito até a posse dos eleitos”.

Num fato inédito no atual governo, a Assembleia derrubou os vetos, por entender que não se tratava de aumento salarial, mas de reposição da inflação do período, o que a lei autoriza.

Devolução

O projeto foi novamente encaminhado para o governador, que o devolveu outra vez para ser promulgado pelo presidente da Assembleia Legislativa.

Por sua vez, o presidente da Assembleia, deputado Themístocles Filho, negou-se a promulgar a lei.

E até deu uma declaração enigmática: “Quem ama não mata”

Impedimento

Themístocles justificou: se o governador não pode sancionar por que está impedido pela legislação eleitoral, pois é candidato à reeleição, ele também não pode, já que também é candidato.

E despachou o caso para a procuradoria jurídica da Assembleia, para que ela se manifeste.

Foto: Divulgação

Lançamento - A professora e jurista Fides Angélica lançou seu primeiro romance, intitulado  'Presença do Tempo'. O lançamento foi no sábado, na Academia Piauiense de Letras, onde ela ocupa a cadeira 40, em sessão prestigiada por acadêmicos, familiares, magistrados, advogados, professores, estudantes e outros convidados, como o desembargador Francisco Sertório, diretor da Escola Superior da Magistratura de Pernambuco, e sua esposa, Eliana, engenheira da Prefeitura de Recife. Com experiência na área do Direito e da Política, em sua nova obra a escritora se aventura em uma história marcada por personagens simples e ricos de princípios morais, utilizando o tempo como arcabouço para as mudanças e superação de entreveros.

 

 

 

* Faleceu ontem, em Teresina, aos 86 anos, de complicações pulmonares, a viúva do ex-governador e ex-senador Dirceu Arcoverde, Maria José Ferraz Arcoverde,

* Era irmã do ex-prefeito Wall Ferraz e mãe do deputado Júlio Arcoverde, do engenheiro Dirceu Filho e do médico Aloísio Arcoverde.

* O Tribunal de Contas do Estado deu uma dura na Agespisa, acusada de ter servidores com acumulação ilegal de cargos.

* Não custa perguntar: isso é de hoje? Se não é, onde estava o TCE que não viu isso há mais tempo?

* O vice-prefeito de Monsenhor Gil, José Noronha (PT), trocou o cargo pelo de diretor da Agência Reguladora do Estado.

* Ele renunciou ao mandato no sábado, depois de sofrer impeachment na Câmara Municipal. Noronha já foi prefeito de Monsenhor Gil.

 

Desafinado

O governador Wellington Dias já tem em sua cabeça no mínimo os Planos A, B, C e D para a sua reeleição. E já fez também plano para quando sair da vida pública. Um deles é montar uma banda de música, dando o seu gosto pelo canto. E já escolheu até o nome para a banda:

“Desafinados do Brega”.