Cidadeverde.com

Fundo de Participação do Estado cai 40%

As notícias de falta de dinheiro no caixa do Governo do Piauí partem de todos os lugares. Já são muitas as informações sobre atraso de pagamentos em vários setores.

Os mais divulgados são os dos hospitais conveniados pelo Plamta e do transporte escolar.

Mas os atrasos estão em muitas outras áreas, atingindo principalmente os terceirizados e os fornecedores. As obras públicas estão paralisadas em vários setores por falta de pagamento.

Isso apesar de o Estado ter arrecadado R$ 228 milhões a mais no primeiro quadrimestre deste ano, em relação ao mesmo período de 201, conforme relatório apresentado na Assembleia Legislativa, na primeira quinzena deste mês, pela equipe econômica do governo.

O relatório informou ainda que as metas fiscais previstas na Lei Orçamentária de 2018 foram cumpridas no período, alcançando um superávit primário de R$ 982 milhões.

Em queda

A situação é, então, muito preocupante, sob todos os aspectos, e tende a ficar ainda mais grave.

O próprio Governo do Estado calcula que vai fechar este mês com uma queda de 40% no Fundo de Participação. Com isso, o Estado vai deixar de receber R$110 milhões.

No mês passado, o FPE do Piauí foi de R$ 285 milhões. A estimativa da Secretaria de Fazenda é que esse valor caia para R$ 175 milhões.

Desafio

Historicamente, julho, agosto e setembro têm valores menores nas transferências do Fundo de Participação, em relação aos outros meses. Para este mês, porém, os números são assustadores.

Isso porque, enquanto o FPE cai 40%, as despesas obrigatórias seguem no mesmo patamar.  No Piauí, metade das receitas do Estado ainda vem do FPE.

Soma-se ainda a esta aritmética negativa a retenção de repasses que ao longo dos últimos quatro anos, nas contas do Governo do Piauí, totalizam mais de R$ 600 milhões, além da queda nos programas sociais que irrigavam a economia, como os investimentos no Programa Minha Casa, Minha Vida, dentre outros.

Assim, o Governo do Estado tem pela frente mais um grande desafio – justamente esse de ver o FPE despencar, estar devendo a Deus e ao mundo e manter o Estado com os seus serviços essenciais em funcionamento.

 

 

Veín Dançador

O pré-candidato a governador pelo SDD, deputado Dr. Pessoa, tomou do senador Elmano Férrer (Podemos) o troféu de Veín Dançador.

No final de semana, os grupos de WhatsApp receberam vídeos com o deputado dançando forró e rodopiando mais que uma carrapeta.

Dilma vem aí!

O deputado federal Heráclito Fortes  (DEM) foi informado por um petista de estrela reluzente que a ex-presidente Dilma Rousseff virá ao Piauí para fazer campanha em favor da eleição do deputado federal Marcelo Castro (MDB) para o Senado.

Marcelo foi ministro da Saúde e ficou com Dilma até o fim, votando contra o seu impeachment.

Golpe em Ciro

Se a vinda da ex-presidente se confirmar, na verdade ela estará querendo acertar as contas com o senador Ciro Nogueira, presidente nacional do Progressistas.

O partido do senador votou em peso pela queda de Dilma.

Foto: Divulgação

Convenção do PSD - O ex-senador Hugo Napoleão participou da Convenção Nacional do PSD, realizada em São Paulo, no final de semana, e que indicou o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) como candidato a presidente da República. Depois, participou de almoço com o presidenciável, juntamente com outras lideranças do PSD, como o ministro Gilberto Kassab (Comunicações), Cláudio Lembo, Afif Domingos, Kassab, Guilherme Campos e Jorge Bornhausen.

 

 

* O aniversário do deputado federal Heráclito Fortes (DEM), que transcorre na quarta-feira, será comemorado antecipadamente hoje.

* Como acontece todos os anos, haverá celebração de Missa em Ação de Graças no Santuário de Nossa Senhora da Paz, na Vila da Paz, às 8 horas.

* O governo do presidente Temer acabou há muito tempo, mas de fato chega ao fim agora.

* Os principais partidos da base – agrupados no Centrão – refugaram o candidato do MDB, Henrique Meireles, e se abraçaram com o tucano Alckmin.

 

 

Lá e cá

Do deputado federal Heráclito Fortes (DEM), sobre a posição dele nesta campanha eleitoral, quando busca sua reeleição e a eleição do deputado estadual Luciano Nunes (PSDB) para o governo e a do ex-governador Geraldo Alckmin para a Presidência da República:

- Estou com um olho na missa e o outro no padre.