Cidadeverde.com

No Ceará, não tem disso, não!

O PT não vai apoiar a candidatura à reeleição do presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE). A posição da sigla foi manifestada pela presidente nacional do partido, senadora Gleisi Hoffmann, em uma rede social: “Nem o PT decidiu apoiá-lo nem o apoiará”, despachou a senadora.

A decisão do PT diminuiu a possibilidade de aliança entre o MDB de Eunício e a campanha de reeleição do atual governador do Ceará, o petista Camilo Santana.

Essa parceria era dada como natural e certa no Ceará, em função da proximidade do senador emedebista com o ex-presidente Lula.

Petista é rifado

O PT decidiu, porém, não indicar nomes para a disputa ao Senado em 2018. A decisão foi tomada por 200 votos a 70 no Encontro Estadual de Tática Eleitoral do partido, realizado no sábado passado, em Fortaleza.

Com isso, o Partido dos Trabalhadores rifa a candidatura do à reeleição do senador José Pimentel, um dos políticos mais combativos da sigla.

A alegação é de que o partido vai se concentrar nas candidaturas de Lula e Camilo Santana, que vai tentar se reeleger governador, e na ampliação das bancadas do Senado e da Câmara, além do bloco partidário na Assembleia Legislativa do Ceará.

O governador do Ceará fez uma aliança para votar no ex-governador Cid Gomes (PDT) para o Senado. O irmão do presidenciável Ciro Gomes lidera as pesquisas de intenção de voto.

Outro acordo feito com a inferência de Cid Gomes e de seu irmão Ciro vai tentar salvar o mandato do presidente do Senado. Por  esse arrajnjo político de cúpula, o PT do Ceará dará à reeleição do senador Eunício Oliveira um apoio por tabela, envergonhado.

PT não perdoa

Os petistas cearenses não perdoam o presidente do Senado por ter sido um dos articuladores do impeachment da presidente Dilma Rousseff.

No Piauí, o presidente nacional do Progressistas, senador Ciro Nogueira, vai buscar a reeleição no palanque do governador Wellington Dias, esquecido, talvez, de que os petistas piauienses não esqueceram que ele também figura na lista principal dos chamados golpistas.

 

 

Investigação

Da senadora Regina Sousa (PT), sobre a reabertura do Caso Vladimir Hergoz, assassinado nos porões da ditadura:

- Justiça, ainda que tarde! A contra gosto, mas vão reabrir o caso Herzog, por pressão internacional. Mas nós queremos reabrir os mais de 400 casos de desaparecidos da ditadura, para que a gente nunca esqueça, para que não mais aconteça.

Slogan

O candidato a presidente pelo PSL, Jair Bolsonaro, lançou mão de um slogan que durante muito tempo foi usado pelo prefeito Firmino Filho, nas suas campanhas em Teresina. Com a palavra Bolsonaro:

- Enquanto insistem em falar de "ditadura", o povo está sofrendo com mais de 14 milhões de desempregados, com mais de 60 mil homicídios por ano, com mais de 50 mil mulheres estupradas. É disso que o povo quer saber. Eu vencendo, é daqui pra frente!

Oh, Minas Gerais!

A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e o senador Aécio Neves (PSDB) são os preferidos dos eleitores mineiros para ocupar as duas vagas de Minas Gerais no Senado que estarão em disputa nas eleições de outubro.

Pesquisa da CNT/MDA divulgada ontem mostra que a petista tem 21,5% das intenções de voto, seguida pelo senador tucano, que aparece com 15% da preferência. 

 

 

* O PSL, o partido do deputado federal Jair Bolsonaro, tem oito candidatos a governador, um deles no Piauí.

* O coronel Carlos Pinho será o candidato a vice-governador na chapa encabeçada pelo publicitário Fábio Sérvio (PSL). O militar é filiado ao Pros.

* No Piauí, os partidos alinhados ao governo fazem as suas convenções na sexta, dia 3. Os de oposição no domingo, dia 5.

 * Em Teresina, a Fundação Municipal de Saúde dá assistência a 496 moradores de rua.

 

 

Feira

Do deputado Robert Rios, pré-candidato a senador pelo DEM, ao criticar a corrida de parlamentares da oposição para o governo Wellington Dias:

- Uns foram por um bombom; outros por uma talhada de melancia. Pra mim ofereceram uma Ceasa, mas não fui. O povo me botou foi na oposição.