Cidadeverde.com

As voltas que a política dá

O Piauí teve ontem um dia de intensa movimentação na política, destacando-se:

1. A Operação da PF na Seduc

Logo cedo, a Polícia Federal deflagrou na Secretaria de Educação do Estado a Operação Topique, para investigar fraudes no programa de transporte escolar.

Foram presas 23 pessoas, sendo dois servidores da Seduc e 21 empresários ou funcionários de empresas contratadas para o transporte de alunos. A polícia cumpriu também mandados de busca e apreensão.

Com o auxílio da Controladoria Geral da União, a PF apura o desvio de quase R$ 120 milhões no período de 2013 a 2017.

A Secretaria de Educação divulgou nota no final da manhã informando que estava colaborando com as investigações e que já vinha adotando providências para evitar fraudes no transporte escolar.

Pelo visto, esse controle não funcionou.

Foto: Cidadeverde.com

Elmano novamente no páreo para governador

2. Elmano renuncia à renúncia

Uma semana depois de anunciar que estava desistindo de concorrer ao Governo do Estado nas próximas eleições, o senador Elmano Férrer (Podemos) surpreendeu ontem com a renúncia à renúncia.

Ele comunicou que estava novamente no páreo da sucessão estadual. O parlamentar recebeu o apoio do PRP, PV, PMN, Podemos, PPS, Avante e Patriota.

Sua candidatura a governador foi homologada ainda ontem, em convenção realizada na Câmara Municipal de Teresina.

Elmano apontou “forças ocultas” para abandonar a candidatura, há uma semana. Sua volta deve ter sido obra também das tais “forças ocultas”.

3 . Wilson no palanque de Pessoa

Se ainda há rusgas no palanque do governador Wellington Dias, por conta da composição da chapa majoritária e das alianças para deputado, elas se manifestam também no campo da oposição.

Há dois dias, circula nos meios políticos a informação de que o ex-governador Wilson Martins (PSB), pré-candidato a senador na chapa do deputado Luciano Nunes (PSDB), estaria com um pé no palanque do deputado Dr. Pessoa, candidato a governador pelo SDD.

Ontem, o ex-governador negou a adesão, mas manifestou queixas com a sua coligação. “É preciso que se coloque todos os pingos nos is e que se tenha a consciência de que esta fazendo um entendimento para uma chapa majoritária. Não pode ter uma vírgula e um ponto fora do lugar. Tem que estar tudo em seu lugar. Não pode ter uma chapa que é votada por líderes de forma diferente", reclamou.

Tradução: o que o ex-governador está querendo é que o prefeito de Teresina vote nele.

O senador Ciro Nogueira (Progressistas) é o candidato número 1 do prefeito, embora esteja aliado com o governador Wellington Dias.

O candidato número 2 de Firmino seria o deputado Robert Rios (DEM). Nesse caso, Wilson, mesmo votando no candidato do PSDB a governador, sobra.

Foto: Cidadeverde.com

Wilson Martins com Luciano Nunes: pingos nos is

4. Margarete perde vice pela 2ª vez

A senadora Ana Amélia(PP-RS) será a candidata a vice-presidente na chapa encabeçada pelo ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB). Ela vinha relutando a aceitar o convite, mas ontem foi finalmente convencida a entrar na disputa.

A senadora foi indicada pelo chamado Centrão, composto por PP, DEM, PR, PRB e Solidariedade.

A escolha de Ana Amélia é mais um golpe no presidente nacional de seu partido, senador Ciro Nogueira. Ela não reza na cartilha dele.

Quem também perde com a escolha é a vice-governadora Margarete Coelho, que teve o seu nome cogitado para a vice de Alckmin.

O senador Ciro Nogueira não moveu, no entanto, uma palha para sacramentar o nome dela, para não criar arestas com o governador Wellington Dias, seu aliado número 1 nesta campanha.