Cidadeverde.com

O novo Mapa da Violência

Imagem: Reprodiução

 

Saiu o novo Mapa da Violência, divulgado no meio da semana, em São Paulo. O Brasil bateu um novo recorde de homicídios: quase 64 mil assassinatos em um ano.

Para ser mais preciso, foram 63.880 mortes violentas em 2017, o maior número de homicídios da história, de acordo com os dados divulgados pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Dessa forma, foram 175 assassinatos por dia no ano passado, sete por hora - um aumento de 2,9% em relação a 2016.

O Rio Grande do Norte registrou a maior taxa de mortes violentas por 100 mil habitantes: 68, seguido pelo Acre (63,9) e Ceará (59,1).

As menores taxas estão em São Paulo (10,7), seguida de Santa Catarina (16,5) e Distrito Federal (18,2).

As capitais com as maiores taxas são Rio Branco, com 83,7 por 100 mil habitantes; Fortaleza, com 77,3; e Belém, com 67,5.

Teresina apresentou redução das mortes violentas, em um índice de 14,2% a cada 100 mil habitantes. De 367, em 2016, o total de assassinatos na cidade caiu para 316, em 2017. 

O 12º Anuário de Segurança Pública compila dados das polícias de todos os estados do país e é utilizado como dado oficial, já que o governo federal ainda não tem uma base de informações nacional.

A taxa do Piauí

No Piauí, foram registrados 20,2 homicídios para cada 100 mil habitantes em 2017. O dado é 1,7% menor que no ano anterior.

O Estado teve uma redução de 7,6% de mortes a cada 100 mil habitantes. Em 2016, foram 703 e no ano seguinte, 651. Com esse resultado, o Piauí é o terceiro do Nordeste em redução dessa taxa, atrás de Sergipe (12,9%) e do Maranhão (12,8%). 

Em qualquer situação, no entanto, esses números expressam uma tragédia nacional.

E, infelizmente, o Brasil continuará sendo lavado em sangue, de ponta a ponta, já que o país não conta com uma política efetiva de segurança pública.

Em todas as esferas e poderes, insiste-se em fazer mais do mesmo.