Cidadeverde.com

Intervenção não melhora serviços de cartórios

O Tribunal de Justiça fez intervenção em vários cartórios do Piauí, agiu com mão de ferro, mas o atendimento aos usuários pouco mudou.

Quem busca algum serviço nos cartórios, como uma simples autenticação de um documento, deve se preparar para um exercício de paciência.

Isso porque o tempo voa, a tecnologia avança, mas os atendimentos nos cartórios continuam tão ruins quanto no século passado.

O problema é generalizado, mas em alguns a situação chega a ser pior. É o caso do Cartório do 2º Ofício de Notas e Registro de Imóveis e Cartório do 8º Ofício de Registro de Imóveis, o antigo Naila Bucar.

Localizado na Zona Leste de Teresina, o cartório já foi alvo de muitas críticas.  Seus antigos tabeliães foram retirados pela Justiça e ele também mudou de local, saindo do Centro para o bairro de Fátima, na zona Leste.

Mas, pelos relatos de seus usuários, os problemas persistem, mesmo com o cartório funcionando nas mãos da Justiça. O atendimento é penoso.

Também está na mesma situação o Cartório Djalma Veloso, no Centro de Teresina. As filas são longas, todos os dias, pela manhã e à tarde.

Já no Cartório Nazareno Araújo, também no Centro, os serviços foram suspensos desde o dia 9 de abril, por força de ordem da Corregedoria Geral de Justiça. O acervo foi transferido para o Cartório Themístocles Sampaio, Centro de Teresina, congestionando o atendimento.

Em resumo, a Corregedoria de Justiça estancou os problemas que os cartórios estavam criando para o Tribunal, mas não resolveu efetivamente os problemas que eles causam à população.

Ainda que se pague por tudo, os seus serviços vão de mal a pior.