Cidadeverde.com

Polícia na política

Capitão, sargento, soldado, coronel, tenente, delegado... Pelo menos 746 postulantes às eleições deste ano carregarão consigo, para as urnas, as instituições às quais estão ou foram vinculados.

Mais de um quarto deles (199) vai concorrer pelo PSL, do deputado e presidenciável Jair Bolsonaro.

Levantamento do site Congresso em Foco mostra que pelo menos 19 patentes e cargos relacionados a forças policiais, militares e armadas serão utilizados por candidatos nas eleições de outubro.

O levantamento aponta que a maioria desses candidatos com patente no nome vai concorrer a vagas nos legislativos estaduais e federal em 23 estados e no Distrito Federal.

Bolsonaro puxa candidatos

O número de candidatos pelo PSL disparou com a candidatura do capitão Bolsonaro.

Nem todos, porém, levam a patente ou a instituição à qual pertencem no nome, como o próprio Bolsonaro, um capitão da reserva do Exército.

O TSE indica em seu site que 889 pessoas declararam à  Justiça Eeitoral serem membros das instituições militares (bombeiros, policiais e militares reformados) neste ano. Entre eles, o próprio presidenciável.

O número é quase idêntico ao de 2014, quando 888 pessoas se autodeclararam militares. O que muda é o maior uso da patente na propaganda dos candidatos.

Representação

Ao todo, são 430 postulantes a deputado estadual, 19 a distrital e 262 a federal.

Na lista aparecem, ainda, oito candidatos a governador, oito a vice, um a presidente, o Cabo Daciôlo (Patriota), e um a vice-presidente, o General Mourão (PRTB), que faz chapa com Bolsonaro.

Para esses candidatos, a população tem buscado nas forças policiais referências para levar para a política.

Não existe qualquer dado mostrando que a representação política tenha melhorado com a maior participação de policiais na política.

Além de não apresentarem propostas inovadoras e consequentes para os graves problemas do país, em geral eles têm feito mais do mesmo que muitos dos políticos profissionais fazem: demagogia, fisiologismo e carreirismo.

 

 

Foto: Pablo Cavalcante/RCV

Deputado Rodrigo Martins desiste da reeleição

Jogando a toalha

O mundo político piauiense foi surpreendido, ontem, com o anúncio do deputado federal Rodrigo Martins (PSB) de que estava desistindo da disputa pela reeleição.

O próprio parlamentar fez o comunicado, através das redes sociais.

O comunicado

Eis a nota do deputado: “Em uma década de militância política, trabalhei de maneira comprometida, honesta e pelo bem do nosso povo, sempre combatendo a má política, seus vícios e desvios.

Mesmo com o reconhecimento do nosso trabalho enquanto Deputado Federal, estando bem avaliado no ranking nacional de parlamentares e aparecendo bem nas pesquisas eleitorais, meus princípios, valores e minha coerência levaram-me a uma reflexão e decisão fundamentada por questões pessoais e familiares, motivo pelo qual RETIRO minha candidatura à reeleição.”

Na campanha

E conclui Rodrigo Martins: “REAFIRMO o total apoio e dedicação à campanha majoritária do candidato a Governador do Piauí, Luciano Nunes (PSDB), dos candidatos ao Senado, Wilson Martins (PSB) e Robert Rios (DEM), bem como as candidaturas proporcionais da coligação.”

 

Foto: Divulgação

Formatura - O desembargador Arnaldo Boson, do TRT-Piauí, festeja, com a família, a formatura de Arnaldo Boson Paes Júnior em Medicina pela Universidade Federal do Piauí, Turma 2018.1. As cerimônias foram realizadas durante a semana, encerrando-se ontem à noite com o Baile de Formatura.

 

 

* A nova pesquisa do Opinar, divulgada no meio da semana pelo Grupo de Mídia Cidade Verde – TV, Rádio, Revista e Portal – agradou a gregos e a troianos.

* Mesmo quem perdeu ponto comemorou o resultado da primeira pesquisa após as convenções que homologaram as alianças e candidaturas.

* Na Assembleia Legislativa, a oposição trabalha a criação de uma CPI para investigar denúncias de desvios no Transporte Escolar da Secretaria de Educação.

* Só palanque eleitoral. O caso já está sendo apurado pelo Ministério Público Federal e pela Polícia Federal.

 

 

Ô louco!

Do jingle do deputado Robert Rios como candidato a senador pelo DEM:

- Pode me chamar de Maluquinho/ mas a minha maluquice é por você/ Sou doido pra ver meu povo feliz/ É tudo que eu sempre quis/ Doido pra te proteger.