Cidadeverde.com

Um segundo turno no fim do túnel

Reprodução: Cidadeverde.com

 

Segundo turno na eleição para governador do Piauí era um sonho impossível para a oposição. Era. Ele passou a ser possível com a nova pesquisa de intenção de voto do Instituto Opinar, divulgada ontem pelo Grupo de Mídia Cidade Verde.

A pesquisa mostra o governador Wellington Dias em queda, depois de navegar em céu de brigadeiro por um longo período.

Pelo levantamento, o governador tem 37,15% das intenções de voto. Na pesquisa anterior, de 10 a 13 de agosto, a primeira depois das convenções e o início oficial da campanha, ele aparecia com 41,13%.

Em segundo lugar, aparece Dr. Pessoa (Solidariedade), com 13,59%, registrando um aumento, já que no último levantamento ele tinha 11,65% dos votos.

Luciano Nunes, do PSDB, também subiu, saindo de 7,58% para 10,35%. 

O candidato pelo Podemos, o senador Elmano Férrer, se manteve sem alteração, com 3,97% das intenções de voto. 

A pesquisa foi realizada entre os dias 30 de agosto a 2 de setembro. O instituto entrevistou 1.082 eleitores em 59 municípios. O levantamento está registrado no TSE, com o número PI 08793/2018. A margem de erro é para 2,97%.

 

 

O governador já apareceu com 50% das preferências do eleitor, na pesquisa de 8 a 10 de junho (a primeira do Opinar nestas eleições). Naquele cenário, porém, o quadro sucessório ainda não estava definido. Ele só veio a se configurar efetivamente com o lançamento das candidaturas do Dr. Pessoa e do senador Elmano Férrer.

Se, de algum modo, a nova pesquisa frustrou os governistas, com a queda de Wellington em 4 pontos, ela não apresentou o salto esperado do candidato do SDD.

Além do mais, os números mostram que, apesar da queda, Wellington ainda tem em torno de 56% dos votos válidos, contra 44% das oposições somadas.

Outro ponto negativo da nova pesquisa para as oposições é que os chamados nanicos caíram muito. O maior deles (PSTU) desceu a 0,37%.

A pesquisa pegou apenas dois dias da propaganda eleitoral no rádio e na TV. Os indecisos se mantêm na faixa de 20%. Como os dois principais nomes da oposição subiram e o governador caiu, supõe-se que eles tiraram voto do governador.

É isso que dá ânimo à oposição na aposta, agora, de um segundo turno. Na pesquisa anterior, ele estava a uma distância de 16,4% dos adversários somados. Essa distância foi encurtada na metade - caiu para 7,9%.

 

 

Bem, esta é a notícia alvissareira da nova pesquisa do Opinar para a oposição – o  da possibilidade do segundo turno. 

O indicador negativo da sondagem, também para a oposição, é que, em havendo o segundo turno, o governador seria vitorioso, com folga, em qualquer cenário, enfrentando qualquer candidato.

Enquanto houver campanha, porém, há esperança, até porque os percentuais de indecisos ultrapassam largamente os atribuídos à oposição, formando um expressivo eleitorado a ser conquistado.