Cidadeverde.com

O avanço de Ciro e a estagnação de Marcelo

As eleições se alimentam de muitas variáveis. As pesquisas de intenção de voto são apenas uma delas. Mas se tornam uma ferramenta muito valorizada nas campanhas, porque influenciam eleitores e balizam decisões e estratégias eleitorais.

A última pesquisa do Instituto Opinar, sobre a disputa para as duas vagas para o Senado no Piauí, divulgada na semana passada pelo Grupo de Mídia Cidade Verde, mostra uma troca de posições na corrida pela segunda cadeira.

A liderança de Wilson

O ex-governador Wilson Martins (PSB) segue como líder, com 21,2. Ele vinha de uma citação de 22,10 na pesquisa anterior, realizada de 10 a 13 de agosto.

A posição de Wilson não surpreende, pois ele é um político com capilaridade em todo Estado. Há mais de 20 anos na política, ele exerceu dois mandatos de governador, com um grande acervo de realizações em todo o Piauí.

Nas eleições passadas, perdeu a disputa para a única vaga no Senado por conta de um erro fatal das forças governistas em sua estratégia eleitoral, com o qual ele contribuiu imensamente. Nesta nova campanha, se beneficia do recall das eleições de 2014.

O ex-governador está formalmente “casado” com o deputado Robert Rios, o outro candidato na senador no palanque do deputado Luciano Nunes (PSDB). O que se vê, porém, é Wilson fazendo uma campanha solo, bicando voto até nas hostes governistas.

O avanço de Ciro

Já o cantor Frank Aguiar (PRB) apareceu agora com 15,2% e foi ultrapassado pelo senador Ciro Nogueira (Progressistas), na disputa pela segunda cadeira. Na busca pela reeleição, o senador atingiu a marca de 16,8%.

Embora a pesquisa sinalize para um empate técnico, a vantagem que já foi de Frank agora é de Ciro. Os números mostram que o senador está em plena ascensão, pegando velocidade. No levantamento anterior, de agosto, Frank pontuou com 16% e Ciro com 13,40%.

O senador faz uma campanha suprapartidária, com votos no governo e na oposição. É o que tem a maior estrutura de campanha e maior exército de lideranças pedindo voto para ele.

Além disso, está formalmente aliado a um bom puxador de voto, o governador Wellington Dias.

Marcelo preocupa

Os dois concorrentes citados em seguida com a melhor pontuação, deputados Robert Rios (DEM) e Marcelo Castro (MDB), estão embolados. O democrata tem 8,6, contra 9,50 do levantamento de agosto. A alteração está dentro da margem de erro.

O deputado Marcelo Castro apareceu com 7,2% em agosto e subiu agora para 8,4%. O discreto avanço também está dentro da margem de erro.

A situação do emedebista já passa a ser preocupante para a coordenação de sua campanha, pois, embora seja o segundo nome do esquema governista para o Senado, ele ainda está longe de ameaçar o segundo colocado na pesquisa, que avança para cima do primeiro.

Marcelo foi lançado como um candidato competitivo. Até aqui ele ainda não disse a que veio.O deputado ainda não foi capaz de convencer o eleitorado governista de que é um petista da gema, que votou contra o impeachment da presidente Dilma, que quer Lula livre e também abraça todas as bandeiras do Partido dos Trabalhadores.

Pelo visto, a campanha feita pelo PT contra o MDB, acusado de golpista, no episódio do impeachment, foi tão violenta que ainda não deu para separar Marcelo de seu partido e ele paga injustamente pelo que não deve.

Daí o deputado estar apelando agora para a exibição de seu voto, naquele episódio, na propaganda eleitoral. Se o parlamentar não reagir na próxima pesquisa, a situação dele se complica.

Os indecisos

A quarta rodada de pesquisa está registrada no TSE com o Nº PI 087993/2018 e BR 02130/2018. A pesquisa foi realizada entre os dias 30 de agosto a 2 de setembro e entrevistou 1.082 eleitores do Piauí. A margem de erro é para 2,97% para mais ou para menos. A  pesquisa entrevistou eleitores em 59 municípios. 

Veja a pesquisa completa para senador acessando: https://cidadeverde.com/noticias/281721/wilson-ciro-e-frank-aguiar-lideram-pesquisa-para-o-senado

A última pesquisa apresenta um número que enche os olhos de todos os candidatos a senador e de seus eleitores e simpatizantes: é o recorde de indecisos – 88 %, no universo de 200%, já que são duas vagas em disputa.