Cidadeverde.com

Candidato 'laranja' é golpe!

Saiu ontem uma nova pesquisa de intenção de voto para presidente e nela o candidato do PT, ex-ministro Fernando Haddad, já assume a liderança da corrida presidencial.

A nova pesquisa foi realizada pelo Instituto Vox Populi/CUT, entre 7 e 11 de setembro, e aponta Haddad com 22% das citações. Jair Bolsonaro, o candidato do PSL, cai para 18%, Ciro Gomes (PDT) registra 10%, Marina Silva (Rede) tem 5% e Geraldo Alckmin (PSDB), 4%.

A sondagem indica, em primeiro lugar, que a prisão deixou o ex-presidente Lula mais forte do que quando ele estava solto, e que o petista continua com grande poder de transferência de voto.

Em segundo lugar, que nos campos das esquerdas e do centro apenas Ciro Gomes vem resistindo ao PT. Marina derrete a olhos vistos.

“Laranja”

A situação não deixa de ser intrigante. É a primeira vez que um candidato a presidente da República se declara, oficialmente, que está no lugar de outro, portanto, é o outro. Ou, como se diz popularmente, é o ‘laranja’.

Haddad dispara nas pesquisas sem uma só promessa de campanha. Vive a repetir apenas que é o Lula, na falta deste. E ponto final.

A imprensa nacional já mostrou que ele precisou de autorização do ex-presidente Lula para dar cada passo que deu durante esse processo.

Em resumo, é um candidato que obedece comandos e ordens ditadas a partir de uma cela da Polícia Federal, em Curitiba.

Em um país sério, em uma democracia plena, uma pessoa que se propõe a ser presidente da República jamais poderia se apresentar como ‘laranja’ de alguém. Ainda mais de alguém que está preso por corrupção e lavagem de dinheiro. Em qualquer circunstância, "laranja" é golpe! 

Isso demonstra, no mínimo, falta de personalidade do candidato. A Presidência não pode ser terceirizada.  

No Brasil, porém, tudo pode!

 

 

Licitação do além

O governador Wellington Dias ficou chateadíssimo com a nova operação  para investigar fraudes em licitações em cinco órgãos do governo.

Imagine como ele reagiria se ainda estivesse na oposição e soubesse que as construtoras vencem licitação em órgãos públicos, defunto assina contratos destas licitações e as investigações têm como alvo apenas a empresa do defunto!

Rodou a baiana

A senadora Regina Sousa, candidata a vice-governadora, partiu ontem para cima da jornalista Myriam Leitão, no Twitter, com gosto de gás.

Miriam Leitão escreveu em sua coluna, no jornal O Globo: “Haddad precisou de autorização de Lula para dar cada passo que deu. Será um candidato tutelado a partir de uma cela da PF em Curitiba.”

Regina Sousa sacou a arma: “Tutelada é você, que só diz o que a Globo dita, abriu mão de pensar, esqueceu até que foi torturada. Ou não foi?”

Ficha limpa

O Tribunal Regional Eleitoral deferiu ontem o pedido de registro da candidatura do deputado federal Heráclito Fortes (DEM), que disputa a reeleição.

Por unanimidade, os membros do TRE declararam improcedente a impugnação apresentada pelo Ministério Público Eleitoral.

O deputado teve o pedido de impugnação da sua candidatura feito pelo MPE e pela coligação “Poder Popular na Construção do Piauí”, formada pelos partidos PSOL e PCB, por conta de condutas acontecidas no ano de 1990, quando Heráclito ainda era prefeito da capital.

Foto: Cidadeverde.com

Advogada Geórgia Nunes: "A Justiça foi feita"

Em campanha

Heráclito não furtou, não roubou nem desviou recursos públicos. Ele respondeu ação na Justiça por ter usado o slogan “Unidos seremos mais fortes”.

A advogada Geórgia Nunes, assessora jurídica do deputado, comentou a decisão: “A justiça reconheceu que não paira sobre o candidato nenhuma causa de inelegibilidade e que ele preenche todos os requisitos para ser candidato. Heráclito segue, assim, com sua campanha de forma limpa e transparente”, destaca Geórgia Nunes.

Fachin pega Ciro

Em franco crescimento nas pesquisas de intenção de voto, o senador Ciro Nogueira (PP) tem uma nova dor de cabeça na reta final da campanha.

O ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, mandou abrir inquérito para investigar o presidente do PP, o ex-ministro e atual prefeito de Araraquara, Edinho Silva (PT); e os executivos da J&F Joesley Batista e Ricardo Saud.

Esquema

Fachin atendeu a pedido da Procuradoria Geral da República, que quer apurar o envolvimento dos quatro em crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

Conforme a PGR, o objetivo é investigar suposto pagamento de propina ao senador em 2014, para que o partido apoiasse o PT, e em 2017, para que o PP não apoiasse o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

O senador nega as acusações e garante que vai provar a sua inocência mais uma vez.

 

 

* O cidadão ser um ilustre desconhecido tem seu lado bom. Quando era ministro da Educação, o petista Fernando Haddad veio passar uns dias de férias no litoral do Piauí.

* Andou descontraidamente pelas praias com a esposa, em seu jeito simples, sem ser reconhecido.

* O Supremo Tribunal Federal está desde ontem sob o comando do ministro Dias Toffoli, que tomou posse como presidente da Corte. Seu mandato vai até 2020.

* O Datafolha está em campo e divulga hoje à noite uma nova pesquisa para presidente, a primeira após a nova cirurgia de Bolsonaro e o lançamento de Haddad.

 

 

Amigo é pra essas coisas!

A piada do dia, nas redes sociais, ontem: “A candidatura é do Lula. Mas para não perder o hábito, está no nome de um amigo.”