Cidadeverde.com

Ato público reúne candidatos de oposição

Foto: Cidadeverde.com

Candidatos de oposição lançam manifesto contra o governo

 

Uma ideia lançada há alguns dias pelo candidato a governador pelo Podemos, senador Elmano Férrer, finalmente vingou ontem: os principais candidatos de oposição ao Governo do Estado fizeram um ato público e lançaram um manifesto contra a corrupção.

No manifesto, escrito em linguagem panfletária, os candidatos denunciam que a máquina pública estaria sendo usada pelo governo para vencer a eleição.

Os candidatos pedem uma ação mais efetiva do Ministério Público Eleitoral e da Polícia Federal  para que evitar o uso da máquina governamental na campanha eleitoral.

O documento é assinado por seis candidatos ao governo: Elmano Ferrer (Podemos), Dr. Pessoa (Solidariedade), Luciano Nunes (PSDB), Fábio Servio (PSL), Valter Alencar (PSC) e Romualdo Seno (DC.

Os candidatos manifestaram solidariedade ao Tribunal de Contas do Estado e demais órgãos de controle , que, no cumprimento de seu papel de fiscalização, estariam sendo atacados pelo governo.

Corrupção

O senador Elmano Férrer  afirmou que os indícios de corrupção no governo são visíveis. “É alarmante o que está ocorrendo no Piauí. Os casos de corrupção são gritantes. O governo, em vez de ajudar nas investigações, prefere atacar os órgãos de fiscalização”.

O Dr. Pessoa também atacou o Governo do Estado. Segundo ele, a eleição já estaria comprada. “Por onde andamos são denúncias de corrupção. É um absurdo. O que as pesquisas mostram não corresponde à realidade. Queremos que o Ministério Público Eleitoral e o Polícia Federal continuem com as investigações. Os resultados devem ser apresentados agora. Não podemos esperar mais”, afirmou. 

Valter Alencar cobrou o desdobramento das operações Topique, Natureza e Itaorna. “São denúncias graves. São milhões desviados do governo. Não podemos aceitar calados. A população tem que entender o que está acontecendo”, disse.

O candidato Luciano Nunes acusou o governo Wellington Dias de tentar se perpetuar no poder. “O que vemos é um projeto de governo de perpetuação no poder. Esse grupo quer se perpetuar com essas práticas criminosas de corrupção, que os órgãos de fiscalização estão denunciando”, destacou. 

O candidato Fábio Sérvio disse sofrer perseguição do governo. “Como empresário eu fui perseguido de todas as formas. Ninguém ficou do meu lado. Isso ocorreu porque desde o começo denunciei as irregularidades desse governo. Já fui até processado. Entrei na campanha para denunciar o que ocorre”, afirmou.

O candidato Romualdo Seno afirmou que a população tem que acompanhar de perto as denúncias. “O governo do PT é o que mais realizou corrupção no Brasil e no Piauí. A população tem que ficar atenta para que isso não continue. É algo muito grave”, destacou.      

O documento distribuído à imprensa será encaminhado ao Ministério Público como forma de pressionar o órgão a investigar as contas do Estado.

Falta voto

Como ato de campanha, o manifesto da oposição é válido. Oposição é para incomodar mesmo, até perturbar, se tiver força para isso. Mas ele pouco ou nada acrescenta às denúncias já feitas contra o governo e que estão em processo de apuração pelas autoridades competentes.

Quando a oposição parte para esse tipo de ataque ao governo, sem um foco específico ou um fato novo, mas apresentando apenas denúncias generalizadas de uso da máquina e compra de voto, geralmente está acusando escassez de voto.  

O manifesto da oposição

Reprodução