Cidadeverde.com

Piauí dá a maior votação do país a Haddad

 

O Piauí é o Estado que, proporcionalmente, dá a maior votação ao candidato do PT a presidente da República, Fernando Haddad. Pelo menos é o que mostra a nova pesquisa do Ibope sobre a intenção de voto para presidente, divulgada na segunda-feira.

Nela, o candidato do PT aparece com 22% das citações em todo o país, contra 28% do primeiro colocado, deputado federal Jair Bolsonaro (PSL). Ciro Gomes (PDT) recebeu 11% das citações, Geraldo Alckmin (PSDB), 8% e Marina (Rede), 5%.

O levantamento foi realizado entre os dias 17 e 21 de setembro, em 22 estados e no Distrito Federal.

No Nordeste

No Nordeste, Haddad lidera com 34% das citações, contra 18% de Ciro, 17% de Bolsonaro, 5% de Marina e 4% de Geraldo Alckmin.

No Piauí, o candidato do PT sobe para 38%, a sua maior aceitação em todo o país. Ciro recebe 15% das citações dos piauienses, Bolsonaro, 14; Alckmin, 7 e Marina, 6%.

O candidato do PT tem o seu segundo melhor desempenho no Maranhão, com 36% das citações, contra 18% de Bolsonaro, 13% de Ciro Gomes, 6% de Marina e 5% de Alckmin.

Nas eleições presidenciais de 2014, a maior votação da candidata do PT, a presidente Dilma Rousseff, no segundo turno, foi no Maranhão, com 78,76% dos votos apurados.

O Piauí ficou em segundo lugar, com 78,30% dos votos dados à petista.

Foto: Divulgação

Marcelo Castro, Wellington Dias e Fernando Haddad em campanha

A corrida nos Estados

Segundo o Ibope, Bolsonaro lidera em 13 estados e no DF (Acre, Amapá, Amazonas, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia, Roraima, Santa Catarina, São Paulo);

Haddad lidera em sete estados do Nordeste (há empate técnico entre Haddad e Bolsonaro em Alagoas; no Ceará, onde Ciro Gomes liderava em agosto, a nova pesquisa ainda não foi divulgada);

Bolsonaro e Haddad empatam tecnicamente em Tocantins;

No mesmo período, os candidatos Ciro Gomes e Geraldo Alckmin tiveram oscilações dentro da margem de erro;

Marina Silva teve queda acima da margem de erro em 15 estados pesquisados.

(Com informações do g1.com)