Cidadeverde.com

Wellington avança na reta final

Infográfico: Fenelon Rocha/Cidadeverde.com

Na última pesquisa, Wellington se distancia dos dversários

 

Endividar o Piauí em mais de R$ 5 bilhões, sem apresentar obras e serviços que justifiquem tantos empréstimos; incentivar o desinvestimento com o aumento exagerado de impostos; começar o ano letivo de 2018 no segundo semestre porque atrasou o pagamento do novo piso do professor, que deveria ter sido implantado em janeiro; deixar a segurança virar um caso de “salve-se quem puder”; descuidar da saúde no interior, que vai de mal a pior; findar o governo sem concluir obras como a Transcerrados, o Centro de Convenções de Teresina, o Rodoanel e a duplicação dos acessos à capital pelas BRs-343 e 316; também sem reconstruir obras como a Barragem de Algodões; praticar o que o PT condena em praça pública, como passar empresas do Estado às mãos da iniciativa privada, como ocorreu com os serviços de água e esgoto, em Teresina, e a Ceasa...

Não bastasse isso, dar na última hora uma rasteira política nos aliados, puxando o tapete da vice-governadora Margarete Coelho (PP) e do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Themístocles Filho (MDB), para lançar chapa pura ao governo.

Além, claro, dos escândalos que pipocaram recentemente e levaram a polícia a vasculhar diversos órgãos do Estado, entre eles a Secretaria de Educação, para investigar por lá o sumiço de quase R$ 120 milhões do Programa de Transporte Escolar.

Nada disso, que se imaginava como pedras no caminho do governador Wellington Dias, vai comprometer a sua reeleição. Ele caminha lépido e fagueiro para o seu quarto mandato, com amplas chances de, mais uma vez, liquidar a fatura ainda no primeiro turno.

Pelo menos é o que mostra a nova e última pesquisa de intenção de voto do Instituto Opinar, divulgada ontem pelo Grupo de Mídia Cidade Verde – TV, Rádio e Portal de Notícias.

A pesquisa

Na sondagem, Wellington Dias (PT) aparece com 48,52% das intenções de voto, contra 20,33% do candidato do SD, deputado Dr. Pessoa; 10.54% do candidato do PSDB, deputado Luciano Nunes; e 2,20% do candidato do Podemos, senador Elmano Férrer.

Os demais candidatos têm os seguintes índices: Fábio Sérvio (PSL), com 1,20%; Valter Alencar (PSC), com 0,83%; Sueli Rodrigues (PSol) e Luciane Santos (PSTU), com 0,37%, cada. Romualdo Seno (DC) e Lourdes Melo (PCO) não pontuaram.

No total, a oposição até cresceu um pouco: somou 35,84% das intenções, contra 34,28% da pesquisa anterior. Mas Wellington cresceu muito mais, quase 10 pontos.

A nova pesquisa do Opinar – a sexta da atual campanha eleitoral – foi feita de segunda a quarta-feira passadas. Foram ouvidos 1.082 eleitores. Seu registro no TRE-PI tem o número 07441/2018 e no TSE BR-02691/2018).

Pelos novos números, Wellington amplia a vantagem sobre a soma dos concorrentes. Ela saiu de 5,65%, na pesquisa de 15 dias atrás, para 12,68%. Ou seja, está com os dois pés na reeleição. E no primeiro turno!