Cidadeverde.com

Vai dar Bolsonaro no 2º turno

Foto: Exame.com

Jair Bolsonaro, candidato do PSL a presidente

 

Hoje trago um levantamento sobre os resultados das eleições presidenciais, desde quando elas foram restabelecidas no Brasil, em 1989.

Na primeira eleição para presidente, no período democrático, foram para o segundo turno os candidatos Fernando Collor (PRN), com 30,47% dos votos, e Lula (PT), com 17,18%.

No segundo turno, Collor venceu a eleição com 53,03% dos votos, contra 46,97% de Lula.

Na eleição de 94, não houve segundo turno. O tucano Fernando Henrique Cardoso FHC venceu no primeiro, com 54,24%, contra 27,07% de Lula.

A eleição seguinte, em 98, também foi decidida já no primeiro turno. FHC se reelegeu com 53,06%, contra 31,71% de Lula.

Em 2002, Lula conseguiu 46,44% dos votos no primeiro turno, contra 23,19% de Serra. No segundo turno, o petista obteve 61,27% da votação e o tucano, 38,72%.

Na eleição de 2006, novamente a parada foi decidida no segundo turno. No primeiro, o presidente Lula conseguiu 48,61% da votação, contra 41,64% de Geraldo Alckmin.

No segundo turno, o presidente foi reeleito com 60,83%, enquanto o tucano ficou com 39,17% dos votos.

Novo segundo turno na eleição presidencial de 2010. A petista Dilma Rousseff conquistou 46,91% dos votos no primeiro turno, contra 32,61% do tucano José Serra.

No segundo turno, ela foi eleita com 56,05, contra 43,95% dos votos conseguidos pelo tucano.

Mais uma vez, a eleição foi decidida no segundo turno em 2014. No primeiro turno, a presidente Dilma alcançou 41,59% da votação e Aécio Neves (PSDB), 33,55%.

No segundo turno, a presidente foi reeleita com 51,64%, contra 48,36% do senador Aécio.

A eleição deste ano também empurrou a decisão final para o segundo turno. No primeiro, o deputado Jair Bolsonaro (PSL) ficou com 46,03% dos votos, contra 29,28% atribuídos ao candidato do PT, Fernando Haddad.

Resumo da ópera

Ou seja, de 1989 para cá foram realizadas oito eleições presidenciais. Apenas duas delas não tiveram segundo turno, em 94 e em 98, ambas vencidas por FHC.

As outras cinco foram conquistadas pelo candidato com maior votação no primeiro turno. Isto é, o segundo turno apenas confirmou o resultado do primeiro.

A sexta eleição presidencial com segundo turno, que é esta de 2018, ainda está em aberto. Ela só será concluída dia 28.

Porém, pelo histórico das eleições presidenciais e pela análise do cenário político brasileiro, não é difícil arriscar um palpite certeiro sobre o seu resultado.

Os 11 candidatos que não chegaram ao segundo turno obtiveram, juntos, 24,69% dos votos. O candidato do PSL entrou no segundo turno com uma vantagem de mais de 16%, sobre Haddad. Até aqui é a maior diferença imposta a um candidato petista que passa ao segundo turno. 

Bolsonaro precisava de mais 4% dos votos para liquidar a fatura no primeiro turno; Haddad, de pouco mais de 20%.

No segundo turno, ganha quem simplesmente obtiver a metade dos votos mais um. Os eleitores de Haddad não desistem dele. Os de Bolsonaro também não.

Nas eleições presidenciais brasileiras, até hoje, nenhum candidato na segunda colocação virou a votação no segundo turno.

Além do mais, a “onda amarela” chegou à eleição de domingo passado num crescendo.

Portanto, Jair Bolsonaro está virtualmente eleito. O mais é farofa-fá!