Cidadeverde.com

Nem Venezuela nem ditadura

Os brasileiros voltam às urnas no domingo para concluir a votação presidencial. A campanha chegou à reta final em alta temperatura, o que é comum nas disputas eleitorais mais acirradas.

Muito do que foi dito na campanha não passa de retórica inflamada de palanque. Não tem chance de acontecer. Por exemplo: nem o Brasil vai virar uma Venezuela, com uma eventual vitória do PT, nem se transformará em uma ditadura, se o vencedor for o candidato do PSL, Jair Bolsonaro.

Os 30 anos de vigência da Constituição de 1988 e o amadurecimento político das instituições brasileiras não autorizam descaminhos nem retrocessos para o país, que está com o seu regime democrático consolidado.

O resultado

Das urnas de domingo sairá, portanto, o resultado que for ditado pela maioria. E ele deve prevalecer, sendo respeitado e acatado. Este é um dos pressupostos básicos da democracia.

O mundo está de olho na eleição brasileira, dada a importância que o país ganhou no cenário internacional. Cabe ao Brasil, dessa forma, comparecer às urnas e votar livremente, com maturidade e serenidade, na crença de que está contribuindo para a construção de um futuro melhor para seu povo.

Entre os 13 candidatos a presidente, Bolsonaro e Haddad – que se apresentam com ideias e propostas antagônicas – foram os escolhidos para a disputa final de domingo.

Que o eleito saiba honrar a confiança de seus eleitores e não mate a esperança de um povo que, afinal, vive dela – da esperança!

 

 

Foto: Divulgação

Supremo reúne presidentes de Tribunais de Contas em Brasília

 

Obras paradas

Os presidentes dos Tribunais de Contas Estaduais de todo o país se reuniram ontem, em Brasília, com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, para um diálogo institucional sobre o país.

O encontro foi convocado pelo presidente do STF e teve como tema central a situação das obras paralisadas em todo o país e as condições do sistema prisional brasileiro.

Levantamento

Participaram da reunião o presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), ministro Raimundo Carrero, e ainda os ministros da Defesa, Raul Jungmann, e da Educação, Rossieli Soares.

O presidente do TCE-PI, conselheiro Olavo Rebelo, disse que o presidente do Supremo pediu aos dirigentes do TCU e dos TCs um diagnóstico das obras paralisadas em todo o país e das condições de funcionamento das unidades prisionais nos estados.

Na oposição

Na oposição, mas firme. O deputado Marden Menezes completa na legislatura que se inicia 12 anos de oposição na Assembleia Legislativa.

São quatro mandatos se mantendo como um dos pouquíssimos nomes que nunca votou no governador Wellington Dias (PT).

Ninho vazio

O vai e vem de quem era governo ou oposição foi passando e a bancada do PSDB diminuindo, diminuindo e diminuindo na Assembleia.

Na próxima legislatura, terá um único representante eleito em 2018, que é o próprio Marden.

Mas o risco de o ninho tucano zerar de vez é grande.

Foto: Divulgação

Henrique Pires com o ministro da Saúde, Gilberto Occhi, em Brasília

É ele!

O deputado federal Assis Carvalho, presidente do Partido dos Trabalhadores, já elegeu o deputado eleito Henrique Pires como o pomo da discórdia dentro do imbróglio da eleição da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa. 

Segundo ele, o MDB não esteve todo junto com Wellington Dias na campanha e apontou o nome do emedebista como a ovelha fora do rebanho.

Parceria

Enquanto isso, dizendo-se parceiro sempre do governo petista em todas as demandas via Brasília, Henrique Pires tem evitado o confronto direto. Ao invés disso, preferiu acompanhar o secretário de Saúde, Florentino Neto, em reunião na Caixa Econômica para tratar do projeto de reforma do Hospital Dirceu Arcoverde, em Parnaíba.

Então, como parceiro para destravar projetos junto ao Governo Federal o deputado eleito serve, e muito bem.

 

 

* Entrou areia na fusão do PTC com o Patriota. A negociação desandou na hora de definir quem ficaria com o comando da nova sigla.

* O deputado Assis Carvalho confirmou ontem a aliança do PT e do PP para a eleição do novo presidente da Assembleia.

* Ele disse que o prefeito Firmino Filho está 100% dentro dessa aliança. O petista já conta com 18 votos para enfrentar Themístocles Filho.

* Na eleição de 2015, o PT contava com 22 votos e acabou perdendo a a disputa. Mas cada eleição tem sua história.

 

 

Voto aberto

Do humorista Fraga:

- Quando o voto era secreto, as brigas eram não sabidas.