Cidadeverde.com

MDB propõe fim da reeleição do presidente da Assembleia

O MDB jogou uma cartada que imagina ser decisiva para apaziguar os ânimos na Assembleia Legislativa e abrir caminho para uma nova eleição do deputado Themístocles Filho para o comando da Casa.

Um projeto apresentado pelo deputado João Mádison, com o endosso da bancada emedebista, propõe o fim da reeleição do presidente da Assembleia, mas a partir da próxima legislatura.

A ideia é fortalecer a candidatura do Themístocles Filho para uma nova eleição de presidente da Assembleia, já que se trata de uma nova legislatura.

Mas a proposta assegura aos partidos mais interessados em sua cadeira – no caso, o PP e o PT – a perspectiva de assumir o comando da Casa a partir da eleição seguinte, em fevereiro de 2021.

No começo da semana, o presidente regional do MDB, senador eleito Marcelo Castro, defendeu um entendimento acerca da sucessão da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa.

Briga desnecessária

Ele avalia que não seria interessante nem inteligente os partidos da base governistas se digladiarem para tirar da presidência da Assembleia um aliado, especialmente quando se trata de um político com espírito agregador, como é o caso de Themístocles Filho.

O governador Wellington Dias ainda não se manifestou sobre a questão. Já o senador Ciro Nogueira, presidente nacional do Progressistas, pregou abertamente uma aliança de seu partido com o PT para enfrentar o deputado Themístocles Filho.

O presidente da Assembleia, por sua vez, em seu estilo comedido e pragmático, prefere se movimentar nos bastidores, afastando-se de polêmicas.

Ele tem a seu favor o fato de prestigiar sempre os colegas, ao longo de seus vários mandatos como presidente da Assembleia. E tem contra ele justamente os vários mandatos como presidente da Casa.

 

 

Licença

A Assembleia aprovou ontem autorização para o governador Wellington Dias se ausentar do país. Ele irá à Inglaterra, para proferir palestra sobre gestão pública.

Os deputados Gustavo Neiva (PSB), Rubem Martins, (PSB) e Luciano Nunes (PSDB) votaram contra.

Cidadania

O governador eleito do Distrito Federal, Ibaneis Rocha Barros, ainda nem foi diplomado, mas já está em vias de ganhar um título de cidadão piauiense.

A proposta foi apresentada pelo deputado João Madison (MDB).

Duplicação

Da Assessoria do ex-governador Wilson Martins, a propósito da nova paralisação das obras de duplicação da BR-343, em Teresina:

“Por dever de justiça, durante o governo Wilson Martins, todas as obras de mobilidade da cidade de Teresina avançavam sem que houvesse quaisquer paralisações, vez que o monitoramento era diário e reuniões semanais com os atores envolvidos no processo; ressalvo a paralisação do rodoanel por conta de decisão judicial atendendo demanda de assentamento.”

Leite de pedra

O governador Wellington Dias mandou para a Assembleia Legislativa a proposta de criação de um novo Programa de Recuperação de Créditos Tributários do Estado.

Está querendo tirar leite de pedra.

Justiça Eleitoral

O TRE vai inaugurar o novo prédio onde serão instaladas todas as zonas eleitorais do Piauí. Trata-se de um imóvel moderno e funcional, instalado em área nobre e com acesso fácil.

O terreno desse Fórum Eleitoral foi adquirido na gestão do desembargador Edvaldo Moura, como presidente do TER, e do então corregedor-geral, desembargador Joaquim Santana, sem ônus para a União Federal e com autorização do Poder Legislativo do Piauí.

Quando se findou aquela gestão, 62% das obras estavam concluídas.

 
 

* A Agência de Desenvolvimento Agropecuário do Piauí (Adapi) reforçou as barreiras sanitárias na Divisa com o Ceará.

* Já foram detectados 11 focos de peste suína naquele Estado. O Piauí compra pouco porco de lá.

* Aos poucos, o futuro ministro Sérgio Moro monta a sua equipe com membros da Lava Jato.

* Ou seja, a partir de janeiro, a “República de Curitiba” se transfere para Brasília de malas e cuias.

 

 

O poder da burrice

Do humorista Fraga:

- A gente só descobre o poder da idiotice quando um idiota chega ao Poder.