Cidadeverde.com

O que vem por ai!

O governador Wellington Dias deve reunir os deputados estaduais na próxima sexta-feira para apresentar-lhes a proposta de reforma administrativa a ser encaminhada ainda este mês à Assembleia Legislativa. Tanto parlamentares do governo quanto da oposição serão convidados para o encontro.

Antes de enviar a proposta à Assembleia, o governador pretende discutir com os deputados os principais pontos da mudança. Ontem, em entrevista coletivamente à imprensa, na abertura do ano legislativo, ele falou genericamente sobre o projeto:

“Eu quero reafirmar que vamos ter reduções, fusões e modificações de áreas no governo, mas devo dizer que esse não é o ponto principal da reforma. Nós queremos que o Piauí alcance uma condição de desenvolvimento alto, o que não é uma tarefa simples.”

Segundo o governador, uma das novidades de seu novo mandato é que haverá o modelo de contrato de gestão. “Assim como o governador tem um contrato com o povo, cada gestor também terá um contrato com o governador e, assim, ele com a sua equipe”, iniciou Wellington Dias”, teoriza.

Embora esta seja uma ideia ainda muito vaga, se ela for implantada a partir de agora terá o efeito de uma verdadeira revolução no governo.

Até aqui, em todos os seus mandatos do governador Wellington Dias, as pastas da administração estadual têm funcionado como ilhas de poder. Cada gestor faz ou deixa de fazer o que quer. 

 

 

Greve nos ônibus

Teresina amanheceu ontem sem transporte público. Os motoristas e cobradores de ônibus decretaram uma nova greve por tempo indeterminado.

A Prefeitura cadastrou carros do transporte alternativo, mas a frota não foi suficiente para atender à demanda.

A greve continua hoje.

Comissões

O deputado Francisco Limma (PT), confirmado na liderança do Governo na Assembleia, previu que até a próxima terça-feira as comissões técnicas da Casa já estejam criadas.

O governo tem pressa na formação dessas comissões, para que a reforma administrativa seja aprovada até março.

Ouvido de mercador

O governador Wellington Dias terá que gastar muita saliva se quiser levar adiante o seu projeto de enxugamento da máquina governamental.

Até agora, dos partidos da base, apenas o Progressistas declarou, em documento, que é favorável à reforma administrativa, com cortes de despesas, secretarias, coordenadorias e cargos comissionados.

Demissões na Cepisa

A Cepisa informou ontem, através de nota, que o Tribunal Superior do Trabalho cassou os efeitos da decisão do Tribunal Regional do Trabalho da 22ª Região, que impedia a empresa de efetuar demissões “em massa” sem justa causa e determinava a reintegração de empregados desligados nesta condição.

A decisão foi assinada pelo presidente do TST, ministro João Batista Brito Pereira.

 

 

* O economista Raul Velloso foi contratado para auxiliar o Governo do Piauí na busca de saída para cobrir o déficit da previdência estadual.

* MDB e Progressistas estão em uma nova queda de braço no Piauí, pela presidência da Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia.

* O presidente Jair Bolsonaro passará mais uma semana internado, pelo menos. A decisão da equipe médica foi anunciada ontem.

* O ministro Sérgio Moro, da Justiça, apresenta hoje em Brasília o plano do governo Bolsonaro de combate à criminalidade.

 

 

Tomando chegada

Henrique Pires (MDB), deputado de primeiro mandato, ficou ontem, na foto oficial, ao lado do presidente Themístocles Filho. O decano e colega de partido, João Mádison  (MDB), logo soltou, em tom de piada:

- Mas rapaz, esse Henrique Pires é danado! Já tá no meu lugar, do ladinho do meu presidente!

Henrique Pires não se fez de rogado:

- Fique feliz e satisfeito por eu querer só esse seu lugar aqui!