Cidadeverde.com

Aos 39 anos, estrela do PT perde o brilho

Fotos: Ricardo Stuckert/PT

Dirigentes do PT comemoram aniversário da fundação do partido

 

O PT completa hoje 39 anos de fundação ainda mergulhado na mais profunda crise de sua história. As comemorações começaram ontem, em São Paulo, na reunião do Diretório Nacional.

O partido se esforça para, em seu aniversário, passar a imagem de que completará 39 anos de defesa dos direitos dos trabalhadores, combatendo a desigualdade e defendendo a soberania nacional.

Na verdade, com seu principal líder preso por corrupção e outra parte da cúpula partidária sob investigação, há muito tempo o PT perdeu o brilho e também naufragou na crise política que afetou as principais legendas do país, como MDB e PSDB.

Resistência

O Partido dos Trabalhadores programou Atos de Resistência em todo o país para celebrar hoje o seu aniversário. A principal palavra de ordem será “Lula Livre!”

No entanto, ao contrário de outras comemorações, quando arrastava as massas para suas festas, o partido deve mobilizar hoje apenas as suas lideranças e a militância.

Os simpatizantes estão cada vez mais raros, pois, além do desgaste ético, o PT carrega a conta de pai da crise econômica que levou milhares de empresas ao fechamento de suas portas e jogou 13 milhões de trabalhadores ao desemprego.

 

Wellington Dias defende o legado de Lula e do PT

O legado do PT

O governador Wellington Dias foi a São Paulo para abertura das comemorações dos 39 anos da legenda e destacou, em seu discurso, as principais lutas e os avanços conquistados pelo país através da atuação do partido e ainda citou o ex-presidente Lula. 

“Ajudamos a mudar toda aquela história de sofrimento para um Brasil para todos e todas. Um Brasil com Minha Casa Minha Vida, Água e energia para todos, crédito para os pequenos, mais médicos e mais especialização. Criamos mais escolas técnicas e mais universidades, com mais vagas em todo Brasil. Foram criados milhões de empregos e mais empreendedores puderam abrir seus negócios. Foi uma época de crescimento econômico, mais cultura, mais infraestrutura. Tudo feito com democracia, levando qualidade de vida e construindo um Brasil para milhões de brasileiros que estavam de fora do desenvolvimento”, contabilizou.

"Preso político"

Wellington destacou ainda a figura de Lula como um dos maiores líderes políticos de sua época: “Temos um dos maiores líderes do mundo: Luís Inácio Lula da Silva. O mais perseguido e injustiçado. Por ele e todos e todas que são parte desta história que vem de antes destes 39 anos, devemos manter a chama da esperança acesa. Acreditando sempre, como ele acredita lá como preso político, na luta democrática. Vamos vencer!”

É difícil que esse tipo de discurso ainda anime alguém fora do PT, especialmente depois da segunda condenação do ex-presidente Lula a mais 12 anos de prisão no Caso do Sítio de Atibaia.

O PT pode até ainda dar a volta por cima, mas vai levar muito tempo para conseguir isso.