Cidadeverde.com

No Piauí, reforma da Previdência já andou 80%

O Piauí já fez praticamente 80% de sua reforma previdenciária. Segundo o governo, a luta agora é para sanar o déficit, superior a R$ 1 bilhão por ano.

O Estado já adotou, por exemplo, a alíquota de 14%, a previdência complementar e a revisão da legislação sobre pensionistas.

Essas medidas foram implantadas através do envio de projetos para Assembleia Legislativa, aprovados nos anos de 2016 e 2017. 

Em 2018, o déficit da Previdência no Piauí foi de R$ 1 bilhão e 400 milhões, mas, em função dessas medidas, incluindo a alíquota patronal de 28%, fechou-se o ano com um rombo na casa de R$ 1 bilhão e 50 milhões - cerca de R$ 350 milhões a menos.

"Se não tivéssemos adotado essas mudanças, certamente teríamos atrasado os salários. E conseguimos fechar o ano de 2018 cumprindo a tabela salarial e honrando pagamento do salário dos servidores. Apertado, mas fechamos em dia", observa o governador Wellington Dias.

É preciso mais!

O governador enfatiza, porém, que tais medidas, apesar de imprescindíveis, não bastam para resolver o problema do déficit previdenciário no Estado.

No Piauí, a folha de inativos (aposentados e pensionistas) já ultrapassa a dos ativos – o déficit da Previdência consome 12% da Receita Corrente Líquida.

Pelos seus cálculos, se as demais mudanças planejadas forem implantadas, o equilíbrio das contas se dará somente para 2044.

O desafio, portanto, é chegar lá! A travessia não será fácil.

 

 

Foto: Divulgação

Júlio César entrega memorial com reivindicações do Nordeste a Bolsonaro

Pelo Nordeste

Como anunciado, o coordenador da bancada Nordestina, deputado federal Júlio César (PSD), teve audiência ontem, no Palácio do Planalto, com o presidente Jair Bolsonaro.

O parlamentar cobrou ao presidente mais ações do governo para o desenvolvimento do Nordeste.

Júlio César estava acompanhado do deputado estadual Georgiano Neto.

Bolsa Família

O coordenador do Bolsa Família no Piauí, Roberto Oliveira, informou que o programa desembolsa R$ 95 milhões por mês no Piauí, para o atendimento de 445 mil famílias cadastradas.

No ano passado, o programa transferiu para o Piauí R$ 1 bilhão 113 milhões.

Memorial

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Themístocles Filho (MDB), anunciou ontem que dará o nome do ex-de

putado Jesualdo Cavalcanti ao Memorial que a Casa vai inaugurar dentro de pouco tempo.

Não ficou muito claro como será essa homenagem.

Mudança

A despeito de todos os méritos de Jesualdo para receber tal homenagem, e outras mais, na campanha pela sua última reeleição, Themístocles anunciou que na nova gestão instalaria o Memorial Petrônio Portella, que, aliás, foi desativado por ele.

Agora a conversa é outra.

Tem mais!

Por que não dar o nome de Jesualdo Cavalcanti ao Cine-Teatro da Assembleia, por exemplo, levando-se em conta que, de todos, ele foi o parlamentar que se mostrou com maior sensibilidade para os temas culturais?

Quem o conheceu verdadeiramente sabe que ele jamais aprovaria a ideia de ver seu nome colocado por cima de outro.

Ainda mais em se tratando de uma personalidade histórica da envergadura de Petrônio Portella, cuja grandeza ele inclusive reconheceu, ao dar o seu nome ao Plano Editorial do Estado, quando foi secretário de Cultura.

 

 

* Foi celebrada ontem à noite, na Capela do Edifício Paulo VI, a missa de 7º dia do ex-ministro Reis Velloso, encomendada pela Academia Piauiense de Letras.

* O prefeito de Bom Jesus, Marcos Elvas (PSDB), decretou luto oficial de três dias pela morte do ex-deputado e ex-conselheiro Jesualdo Cavalcanti.

* Os líderes do Progressistas ligados ao senador Ciro Nogueira identificaram nas batidas da PF contra ele um movimento para enfraquecê-lo.

* O objetivo, segundo esses progressistas, é tirar o senador do comando do partido, na eleição para renovação de seu diretório nacional.

 

 

A Morte e o Joãozinho

Corre nas redes sociais: “Morreu Joãozinho. Sim, aquele mesmo das piadas, que aprontava com as professoras e as deixavam loucas. Então, a Morte veio buscar o Joãozinho, pois chegou a hora de ele pagar pelas travessuras que fez em vida.

A Morte: - Meu jovem, chegou sua hora, tenho que te levar desse mundo.

Joãozinho: - Eu não posso fazer meu último pedido, não? Não é assim que funciona?

A Morte: - Por ter praticado várias travessuras e, com isso, ter facilitado meu serviço, vou lhe deixar fazer um último pedido, mas você não pode pedir para não morrer.

Joãozinho: - Quero me aposentar no governo Bolsonaro.

A Morte: - Peste! Vai viver até os 80 anos!”