Cidadeverde.com

Conversa para boi dormir

Os sindicalistas ou estão mal informados ou querem engabelar os funcionários demitidos da Cepisa Equatorial.

Na audiência pública da Comissão de Administração Pública realizada na terça-feira pela Assembleia Legislativa, para discutir as demissões dos funcionários da empresa, após a privatização, os sindicalistas defenderam que os empregados demitidos sejam absorvidos pelo Governo do Estado.

Isso se daria através da aprovação de uma Proposta de Emenda Constitucional, já batizada de “PEC do Remanejamento”.

Trata-se de uma iniciativa inviável, que, se apresentada formalmente, cairá logo nas Comissões Técnicas. A Assembleia Legislativa não tem poderes para aumentar despesas do governo unilateralmente.

Não dá!

Apenas o Executivo pode propor o aumento de gastos com pessoal. E não parece ser essa a disposição do governo. No momento, o governador Wellington Dias está às voltas com a aprovação dos projetos de reforma administrativa em tramitação na Assembleia.

Essas propostas resultarão em extinção e fusão de órgãos púbicos e no corte de cargos.

Ora, se está enxugamento a máquina, como o governador vai aceitar aumento de despesas recebendo os funcionários da Cepisa, sem concurso e sem que o Estado tenha necessidade dos serviços deles?

Além do mais, dos 700 demitidos, 603 saíram da empresa através do Programa de Desligamento Voluntário (PDV), ou seja, recebendo incentivos para isso.

O que cabe à Assembleia, agora, é discutir a qualidade do serviço prestado pela Cepisa Equatorial e cobrar os investimentos da empresa no Estado.

Quanto às demissões, os deputados chegam tarde – tarde demais! – para o debate! E o mais

que se ouve sobre o assunto é conversa para boi dormir!

 

 

Pesquisa

E o governo, como vai?

Saiu ontem uma nova pesquisa do Ibope sobre a avaliação do governo Jair Bolsonaro. Os dados foram coletados entre os dias 16 e 19 de março.

O governo do presidente Bolsonaro é considerado ótimo/bom por 34%, regular por 34% e ruim/péssimo por 24%.

Outros 8% não sabem ou não responderam.

Danou-se!

No levantamento anterior, em fevereiro, Bolsonaro era ótimo/bom para 39%, regular para 30% e ruim/péssimo para 19% dos entrevistados.

Dessa forma, tanto a queda na avaliação positiva quanto o crescimento da avaliação negativa foram de cinco pontos percentuais – acima da margem de erro da pesquisa, que é de 2 pontos.

Então, na comparação com janeiro, a aprovação de Bolsonaro caiu 15 pontos.

Era de 49% no primeiro mês de sua gestão.

"Boca Livre"

A Polícia Federal amanheceu ontem novamente dentro da Secretaria de Educação do Estado.

Através da Operação Boca Livre, a PF busca aprofundar investigação que identificou fraude em processo licitatório realizado pela Secretaria.

Superfaturamento

Segundo a investigação, houve superfaturamento de preços na compra de merenda escolar para distribuição em escolas da Rede Estadual de ensino.

As investigações revelaram que um grupo de empresas atuou conjuntamente com agentes públicos na fraude à licitação.

O fato investigado refere-se ao exercício de 2014, onde foi identificado um prejuízo de R$ 1 milhão e 751 mil.

Os pagamentos às empresas envolvidas no esquema totalizaram, aproximadamente, R$ 5 milhões e 300 mil.

Tô fora!

O deputado federal Átila Lira (PSB-PI) apressou-se em garantir que as investigações da Polícia Federal sobre o desvio de repasses para a merenda escolar não compreendem a gestão do ex-governador Wilson Martins.

Átila foi secretário de Educação na gestão Wilson Martins, até desincompatibilizar-se em abril para disputar a reeleição em 2014. 

“As investigações se deram pós-março”, disse o deputado.

O substituto dele na Secretaria de Educação, já na gestão de Zé Filho, foi o advogado Alano Dourado.

Foto: Divulgação/Alepi

Campanha - A Assembleia Legislativa realizou ontem sessão solene para debater a Campanha da Fraternidade de 2019, cujo tema é “Fraternidade e Políticas Públicas”. A autora do requerimento convocando a sessão foi a deputada Teresa Brito (PV).  O vigário-geral de Teresina, padre Tony Batista, falou em nome da Igreja Católica.

 

 

* Quando desembarcar em Teresina amanhã, o ministro Gilmar Mendes será recebido já na pista do aeroporto.

* O Tribunal de Justiça vai colocar veículo, ajudante de ordem e segurança à disposição do ministro.

* A Câmara Municipal de Teresina realizou ontem à noite uma sessão especial sobre a felicidade.

* No Piauí, e em muitas partes do Brasil, o gerente das barragens é São Pedro. Se ele pesar a mão com chuva, será um Deus-nos-acuda!

* O Comando de Greve da Uespi convocou para hoje um ato público em frente ao Palácio Pirajá, a partir das 8 horas, com todos de preto.

 

 

Barragens

Do senador Elmano Férrer (PODEMOS-PI), na audiência pública da Comissão de Infraestrutura do Senado Federal, sobre a aplicação da Política Nacional de Segurança de Barragens, na terça-feira:

-Nosso diagnóstico é claro: o Brasil possui uma Política Nacional de Barragens, disciplinada pela Lei nº 12.334, de 2010; mas esta política é inócua. Isso reforça a necessidade de uma ação coordenada entre Legislativo, Executivo e Judiciário, para que haja leis adequadas, fiscalização eficiente e responsabilização legal.