Cidadeverde.com

Sem radar, motoristas ficam livres para voar!

Foto: Reprodução/PRF

Acidente na BR-316

 

Tem muita gente comemorando a decisão do presidente Jair Bolsonaro que barra a instalação de mais de 8 mil radares eletrônicos nas estradas federais de todo o país.

Ele alegou que o objetivo principal desses aparelhos é arrecadar recursos. Ou, como se diz popularmente, é a tal “indústria da multa”.

Bolsonaro certamente não conhece a selvageria nas rodovias federais nem os dados do Sistema Único de Saúde (SUS) sobre os acidentes nas BR’s.

Excesso de velocidade

Um levantamento da Polícia Rodoviária Federal, divulgado no ano passado, mas com dados de 2017, mostra que naquele ano foram expedidos 5,8 milhões de autos de infração.

O aumento em relação ao ano anterior foi de 4,8% e atesta que os motoristas ainda se comportam muito mal nas estradas.

O maior responsável pelas multas foi exatamente o excesso de velocidade em até 20% da máxima permitida: foram mais de 2 milhões de autuações.

 

Radar da PRF flagra carro a mais de 180km

Mortos e feridos

O levantamento mostra que mais de 6.000 pessoas morreram nas estradas federais em 2017.

Isso significa que, em média, os acidentes tiraram a vida de 17 pessoas por dia. 

O total de feridos nesses acidentes, conforme o estudo da PRF, foi de aproximadamente 84 mil. Isso representa um pouco mais de um ferido por acidente.

Os custos dos acidentes

Outra pesquisa, relativa a 2015, mostra que os acidentes de trânsito geraram um gasto de R$ 52 bilhões para o Brasil naquele ano.

O levantamento foi feito pelo Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV).

Conforme a pesquisa, cada brasileiro gastou R$ 255 ao longo do ano com acidentes de trânsito.

Esse custo significa o quanto cada cidadão, mesmo sem estar envolvido em acidentes de trânsito, desembolsou com despesas relacionadas com eles.

Ou seja, são gastos com acidentados (hospitais, médicos, infraestrutura, medicamentos, pronto-atendimento, entre outros).

Todas essas despesas são pagas através de impostos.

As despesas dos acidentes começam com o Sus e chegam à Previdência

Piauí é campeão

Ao se analisar os dados per capita desse levantamento, os estados do Piauí e Tocantins lideram o ranking, com gastos que chegam perto de R$ 500 por pessoa –  quase o dobro da média brasileira.

Esses números aumentaram, certamente, desde que essas pesquisas foram feitas.

Então, essa decisão do presidente de retirar os radares das estradas não passa de mais um ato demagógico, para ser louvado pelos que se acham cheios de direitos e são contumazes infratores da legislação de trânsito.

No Piauí mesmo, os radares da PRF já flagraram motorista andando a 180 quilômetros por hora.

Agora, sem o radar, esse tipo de motorista vai querer voar nas estradas!