Cidadeverde.com

Governo rompe contrato com empresa que tocava obra do Centro de Convenções

Foto: Reprodução

A obra do Centro de Convenções de Teresina para outra vez na reta final

 

A novela da obra do Centro de Convenções de Teresina ganha mais um capítulo: o Governo do Estado rompeu o contrato com a empresa que tocava a conclusão da obra, a Soferro Construtora Ltda. O contrato estava em vigor desde 10 de março de 2014.

O termo de rescisão amigável do contrato para execução das obras de construção e requalificação do Centro de Convenções, 2ª etapa, foi assinado pela Secretaria de Turismo e a construtora.

O documento não esclarece as razões da rescisão do contrato. O que se sabe é que o governo deve aproximadamente R$ 12 milhões à construtora.

Pelo acordo, a Secretaria de Turismo vai providenciar novo levantamento dos valores e medições para posterior pagamento.

A construtora se obriga a manter a vigilância da obra, visando garantir a sua integridade física.

Obra já passou por 4 governos

A obra do Centro de Convenções foi iniciada há mais de dez anos. Já passou por quatro governos – Wellington Dias (2007-2010), Wilson Martins (2010-2014), Zé Filho (2014) e Wellington Dias novamente (2015-2018). O orçamento inicial era de R$ 28 milhões.

A data de inauguração já foi marcada e remarcada diversas vezes e jamais cumprida. Agora ela fica indefinida.

Nesse período, a obra já serviu de estacionamento irregular e foi alvo de graves denúncias de irregularidades que já mobilizaram o Ministério Público Federal, o Tribunal de Contas da União e a Justiça.

E tudo começou quando o antigo Centro de Convenções, construído em poucos meses pelo governador Dirceu Arcoverde, na década de 1970, foi fechado para passar por uma ampla reforma.

O projeto era construir um auditório com 1.200 lugares, com possibilidade de outros 600 lugares móveis em outras seis salas; dois pavilhões de exposição; amplo estacionamento; área de camarim; banheiros e oficinas de teatro, além de áreas de acessibilidade.

O governo não informou como nem quando vai concluir a obra. Adiantou apenas que faltam em torno de 3% para o seu término.  

O risco, agora, é o que já foi feito ser depredado.

Foto: Reprodução

O antigo Centro de Convenções que o governo botou abaixo para construir outro no lugar

Os termos do rompimento do contrato

Veja a seguir a reprodução do documento de rescisão do contrato para a conclusão da obra do Centro de Convenções de Teresina: