Cidadeverde.com

Governadores quiseram empurrar três jabutis na reforma da Previdência

Os governadores do Nordeste reclamaram da exclusão dos estados e municípios do projeto de reforma da previdência, mas, no fundo, no fundo, eles estão pouco preocupados com isso.

Ficou claro que os governadores nordestinos entraram na discussão, em bloco, para marcar posição contra o governo Bolsonaro, pegar carona na reforma e incluir nela três jabutis.

O primeiro seria uma nova distribuição dos recursos do petróleo. O outro a securitização das dívidas estaduais e o terceiro, a tributação dos bancos, sob a forma de imposto.

Ou seja, no fundo, os governadores queriam mesmo era reforçar seus caixas, que estão em situação calamitosa após anos e anos de gastança desenfreada.

Sem dinheiro novo e imediato em suas mãos, os eles resolveram cruzar os braços diante da reforma.

Resumo da ópera

O resumo da ópera, então, foi este: o presidente Jair Bolsonaro deixou para os governadores a inclusão de estados na reforma da Previdência.

Os governadores empurraram a decisão para os líderes partidários, que deixaram os estados de fora.

Quando o pau comer, mais adiante, porque policiais estarão em greve por não recebem seus salários porque não tem dinheiro para a folha, alguém certamente vai lembrar que alguém poderia ter evitado isto.

O governador Wellington Dias foi apresentado como porta-voz dos colegas, nas discussões sobre a reforma da previdência.

Como o final não foi o esperado, o risco agora é o governador ficar conhecido como articulador da derrota. A conferir!

 

 

"Você é meu!"

Os deputados João Mádison (MDB) e Franzé Silva (PT), que andaram se estranhando na reunião da LDO, já fumaram o cachimbo da paz.

Não se esperava outra coisa, pois esses dois aí não são de briga.

Mas as orações do deputado pastor Gessivaldo devem ter apressado a reconciliação.

Reforma anda

O relatório da reforma da Previdência foi aprovado ontem, no começo da tarde, na Comissão Especial, por 36 votos a 13.

O texto será encaminhado ao plenário da Casa, onde novos destaques poderão ser  propostos e votados.

Questões como a flexibilização das regras para os agentes de segurança pública e a inclusão de estados e municípios podem, portanto, ainda ser modificadas na Câmara.

As mudanças

O texto-base modifica as regras de aposentadoria no país e estabelece idade mínima de 62 anos para mulheres e 65 para homens.

Por 30 votos a 19, os deputados rejeitaram o destaque nº 40, apresentado pela bancada do PSD, que buscava estender as regras especiais adotadas para as Forças Armadas (53 anos para homens e 52 anos para mulheres) para policiais federais, agentes penitenciários e agentes socioeducativos.

A bancada do PSL, partido do governo, do Novo e de parte do Centrão votaram contra o destaque.

 

 

* O governo Bolsonaro já pode computar o seu primeiro milagre: a ressurreição do finado Dieese, que estava morto e sepultado desde o início da era petista.

* Em sua primeira aparição, o Dieese afirma que o salário mínimo em junho deveria ter sido de R$ 4.214,62.

* Outro milagre está a caminho: o Supremo recebeu ação da OAB contra contingenciamento de verbas de universidades federais.

* Os governos anteriores também adotaram esse expediente fiscal e a valente OAB não deu um pio.

* Ou seja, Bolsonaro está conseguindo fazer com que a Ordem finalmente defenda o ensino público.

 

 

Espaçoso

Do humorista Fraga:

- Gente folgada cria muito aperto para os outros.